Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 17 de maio de 2008

II Seminário Nacional de Língua e Literatura

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO
INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
Campus I -Km 171 -BR 285, Bairro São José, C. Postal 611
CEP 99001-970 Passo Fundo-RS

IFCH -30/05: 14h às 16h

Sala 105 -Discurso e ideologia


Charge e propaganda: vozes da sedução
Graziela T. Baggio Pivetta (UPF)

Votos de juízes: construções de sentido
Ângela Maria Plath da Costa (UFRGS)

A sexualidade da mulher: o discurso da mídia feminina
Elisa Marchioro Stumpf (UFRGS)

O sujeito, o interdiscurso e as condições de produção na construção do sentido
Liane Tubino El Asmar (UFRGS)

A noção-conceito de formação discursiva e sua aplicabilidade
Sandra Novello Silvestri (UPF)


Sala 119: Discurso e mídia 1

Modalidades de subjetivação em empreendimentos autogestionários
Darlene Arlete Webler (UFRGS)

Da ilusão da transparência ao equívoco: um caso em língua estrangeira
Giovani Forgiarini Aiub (UFRGS)

A problemática do sujeito em processo de ensino-aprendizagem de línguas
Maria Cledir Zilli Queiroz (UPF)

Maitena: uma leitura sob a perspectiva da Análise do Discurso
Graciele Hilda Welter (UPF); Sandra Mariani Batista (UPF)

De Mark e Engels a Kafka: o marxismo em Metamorfose
Rafael Pedro Poli (UPF); Sandra Roberta Catto (UPF)


Sala 202: Enunciação e gêneros textuais

Subjetividade em Vida Maria
Patrícia Valério (UPF)

O ensino do editorial como um gênero textual
Ivanete Mileski; Ivanilda Salton Köche (UCS)

As tipologias textuais a serviço dos gêneros textuais no ensino e escrita
Adiane Fogali Marinelo (UCS)

Enunciação e persuasão em textos de diferentes gêneros
Luciana Maria Crestani (Faplan/Anhanguera)

A importância da leitura na formação do aluno: a contribuição da semiótica do texto
Graciela Ortolan (UPF)


Sala 203: Línguas Materna e Estrangeira: ensino 1

Pronomes possessivos adjetivos em inglês
Silvana Aparecida Calegari (UPF)

Estratégias de leitura e sua aplicabilidade na compreensão de textos de provas de vestibular em língua inglesa
Luciane Schiffl Farina (UPF)

Estratégias de leitura: sua aplicabilidade e eficácia nas provas de proficiência de mestrado e doutorado
Aline Fantinel Alves (URI/UPF); Lucila Augusta Campesatto (URI)

A variação nas formas de representação do tempo futuro: considerações sobre o ensino
Adriana Gibbon (FURG)

O ensino de língua estrangeira X cultura: a desconstrução de um mito separatório
Elaine de Marchi Kussler (UPF)


Sala 211: Leitura e sociedade 1

Cultura Hip Hop
Vera Lúcia da Silva Antunes (UPF)

Identidade Nacional e dependência cultural: Antonio Candido e a dialética do localismo e do cosmopolitismo
Gabriela Luft (UFRGS)

A escrita pós-colonial em A árvore das palavras, de Teolinda Gersão
Fernanda Silva (FURG)

História e cultura em O continente de Érico Veríssimo
Aline Venturini (E. E. Monte Castelo)

J. G. Rosa: o “corpo fechado” da narrativa
Jocilei Dalbosco (UPF)

Da tira dominical ao Mangá: as particularidades das histórias em quadrinhos
Danielly Batistella (UPF); Edson Gregory Trescastro (UPF)


Sala 213: As faces do sujeito: ficção, cultura e identidade 1

Da nova barbárie à esquifronezia: a experiência em Lorde, de J. G. Noll
Edson Roig Maciel (UFRGS)

Entre o real e o fictício: elementos narrativos em Sonhos tropicais, de Moacir Scliar
Ivete Bellomo Machado (UCPel)

Música perdida: identidades em trânsito no pampa de Assis Brasil
Luciano Passo Moraes (FURG)

A literatura como fonte de sonhos: uma análise acerca da personagem principal de Pelo fundo da agulha
Tiago Pellizzaro (UNISC)

Facetas do indivíduo: uma breve análise do protagonista em O evangelho segundo Jesus Cristo, de José Saramago
Janaína da Silva Sá (EAFS_Sertão)

O “deixar de ser” como conseqüência da fragmentação do sujeito
Maria Carolina Souza Silveira (FURG)


Sala 215: As faces do sujeito: ficção, cultura e identidade 2

Em busca de “O Outro Pé da Sereia”
Cassiana Grigoletto (UFRGS)

A identidade portuguesa vista através do personagem Afonso Sanches de A flor do sal
Anderson Hakenhoar de Matos (UFRGS)

Identidade ou identidades?
Alessandra Ávila Martins (UCPel)

A escrita da identidade incoerente – páginas do diário íntimo do general Couto de Magalhães
Rodrigo Oliveira Fonseca (UFRGS)

Enrique Villa-Matos: comparatismo e vanguardas
Kelvin dos Santos Klein (UFRGS)

A voz do monstro: o narrador no conto de Sérgio Sant´Anna
Thiago Porto Oleiro (FURG)


IFCH -30/05: 16h30 às 18h 30


Sala 213: Discurso e mídia 2

“A praga da doutrinação ideológica”: ideologia e ensino analisados no blog da revista Época
Maria Daniela Leite da Silva (UFRGS)

Interfaces entre o sujeito-leitor e sujeito-autor: uma relação de tensão e lugar de subjetividades
Vanda Mari Trombetta (UPF)

A relação fábrica-trabalhador: o noticiado e os não-ditos
Solange Mittmann (UFRGS)

Construção de sentidos e inscrição da subjetividade no discurso acadêmico sobre a reforma agrária
Sandra Roberta Catto (UPF); Rafael Pedro Poli(UPF); Carme Regina Schons (UPF)

Os sentidos na divulgação científica e a tensão entre a vulgarização e a erudição
Altair Alberto Fávero (UPF); Carme Regina Schons (UPF)

A imagem e a palavra tecendo os sentidos do texto
Carolinas Fernande (UFRGS)


Sala 211: A AD e as novas tecnologias

A escrita de adolescentes nos ambientes virtual e escolar: repetição ou autoria?
Evandra Grigoletto (UPF); Monize Aparecida Moreira Rodrigues (UPF)

Internet e escola: movimentos identitários na escrita de adolescentes
Jamile Forcelini (UPF); Juliana L. da Cunha (UPF)

A noção de autoria na escrita hipertextual
Rosângela Leffa Behenck (UFRGS)

Ciberativismo: formato e funcionamento discursivos
Gláucia da Silva Henge (UFRGS)

Berlusconi “aqui” e Berlusconi “lá”: objeto discursivo Sílvio Berlusconi na Wikipédia em língua portuguesa e em língua italiana
Carla Maicá Silva (UFRGS)


Sala 203: Línguas Materna e Estrangeira: ensino 2

Professores de inglês: construção das crenças e ação pedagógica
Luciane Sturm (UPF)

Professor de línguas: reflexões sobre a construção da identidade profissional
Josiane Redmer Hinz (UCPel)

A construção de conceitos nas áreas de linguagem e expressão: a experiência da formação continuada
Silvia Fernanda Souza (SEMED)

A cultura em sala de aula de língua espanhola
Ilaine Marlei Schwinn (UPF)

Aproximações entre língua, cultura e identidade no ensino de “ele”
Luiza Machado da Silva (UCPel)

Histórias infantis como recurso didático nas aulas de LE para crianças
Giovana Magalli Poletto Medeiros (Sunflower Escola de Idiomas); Luciane Sturm (UPF)


Sala 205: Texto e argumentação

Não. Não, não é resposta: um estudo da polifonia presente na negação
Andréia Inês Hanel (UPF)

Influência da argumentação da proposta de redação nos textos dos alunos
Telisa Furlanetto Graeff (UPF); Graziela Minas Alberti (UPF)

Compreendendo a origem de mal-entendidos em diálogos pela teoria dos blocos semânticos
Telisa Furlanetto Graeff (UPF); Silvane Costenaro (UPF)

Escrita e intertextualidade: análise de produções textuais de vestibulandos
Arlézia de Souza ((UFPel); Alessandra Baldo (UFPel)

Marcas da enunciação em texto publicitários: o sentido argumentativo de até
Tânia Aider Scarton Fornari (UPF)

A presença de argumentações transgressivas nas propostas de redação do Exame Nacional do Ensino Médio: um olhar sob a teoria dos blocos semânticos
Silvia Letícia Scopel Bristot (UPF)


Sala 105: Leitura e ensino

Aula de literatura: a realidade através de textos
Marlei M. Diedrich (I. E. Cecy Leite Costa)

Leitura literária e escola: alguns apontamentos
Fabiano Tadeu Grazioli (FAE)

Escritores da liberdade – identidade e narrativa
Ana Maria Bueno Accorsi (UERGS)

Nova Escola e a literatura arquitetônica de Fernando Vilela: a identidade do texto
Ana Carolina Martins da Silva (CESB)

Projeto “Encontro marcado” de escritores catarinenses com alunos de Ensino Fundamental e Médio da E. E. B. Prof. Adelina Régis, em Videira, SC
Lia Fausta Bonilla Colomé (UNIOESTE)


Sala 202: Leitura e sociedade 2

Hibridismo e alteridade na construção de histórias da literatura
Maria Lucia Bandeira Vargas (PUC/RS)

“O menino antigo”: a caracterização do velho na obra poética de Carlos Drummond de Andrade
Nathália Sabino Ribas (UPF)

Neuromancer -luta constante entre a carne e a mente – verdadeiro exemplo de distopia, ficção científica e ciberpunk
Rodrigo Timm Nessi Carnacini (UPF)

A caverna do titãs, de Ivanir Calado: livro e joystick em nome da literatura
Miguel Rettenmaier (UPF)

De Clarice Lispector a Cazuza: marcas da literatura na obra musical
Daiane Raquel Steiernagel (UFSM)


Sala 119: Leitura: emancipação e consciência 1

Ensaio sobre a cegueira: uma experiência com cegos leitores ouvintes
Hercílio Fraga de Quevedo (UPF)

Sítio do Picapau Amarelo: duas versões da mesma história
Daniela de Oliveira (UPF)

A repercussão da leitura na vida de um monstro
Bianca Deon Rossatto (UPF); Temístocles M. Dreyer Zamprogna (UPF)

Literatura fantástica no meio digital: o perfil do novo leitor
Mariane Rocha Silveira (UPF); Talita Maria da Silva (UPF)

A literatura e o universo infantil na perspectiva de Sérgio Capparelli
Odete Teresa S. Capelesso (UPF)


IFCH -30/05: 19h30min às 21h30min

Sala 212: Leitura: emancipação e consciência 2

Um ser em construção
Lidiane Guerra (UPF)

Palavras e imagens na construção da narrativa
Madalena Teixeira Paim (UPF)

A emancipação da criança leitora
Daiane Casagrande Spuldaro (UPF)

Leitura na infância inicial: uma intervenção precoce da leitura
Rita de Cássia Tussi (UPF); Tania Rösing (UPF)

Entre as mãos de quem lê: figurações da leitura em Sophia Andresen
Márcia Helena Saldanha Barbosa (UPF); Fabiane Verardi Burlamaque(UPF)


Sala 211: Língua e enunciação

Cotas raciais e representações sociais: uma perspectiva enunciativa
Gabriela Barboza (UFSM); Vera Lúcia Pires (UFSM)

Relações entre a teoria sócio-interacionista de Vigostky e a aquisição dos pronomes “eu” e “tu”
Gabriela Fontana Abs da Cruz (UFRGS)

O desdobramento meta-enunciativo no discurso infantil: uma tentativa de negociação com as não-coincidências do dizer
Marlete Sandra Diedrich (UPF)

Elementos constituintes de uma língua de sinais
Diogo da Costa Rufatto (UPF)

Compreendendo os problemas de compreensão
Daiane Neumann (UPF)

O estudo da língua pela enunciação
Claudia Stumpf Toldo (UPF)


Sala 215: Leitura e dialogismo

A viagem como construção identitária em Um estranho em Goa, de José Eduardo Águalusa
Lígia Dalchiavon (FURG)

Repensando os narradores benjaminianos nas vozes de Paulo Honório e de seus Ribeiro
Temístocles Mario Dreyer Zamprogna (UPF)

Releitura do poema “Canção do Exílio” pela paródia, paráfrase e estilização
Neli Jacinta Blume (UPF)

Mikhail Bakhtin e Cristóvão Tezza: um diálogo da prosa ao verso
Carina Dartora Zonin (UFRGS)

Mulher maravilha, super-homem e AIDS: retomada identitária de heróis em quadrinhos para campanhas educativas
Veridiana Caetano (UCPel)

O plurilingüismo em Os Ratos
Alessandra Ferreira de Camargo (UPF)

Fonte:
http://www.upf.br

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to