Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

José Feldman (Mensagem de Boas-Vindas aos Novos Imortais da Academia de Letras do Brasil/Goiás)


Exmo Presidente Executivo Imortal da ALB/GO José Faria Nunes, Ph.I.
Novos Nobres Imortais,
Agostinho de Almeida Moreira – Aidenor Aires Pereira – Ana Luiza de Lima – Adelice da Silveira Barros – Adejar Vicente dos Santos – Arietto (Léo Teixeira) – Brasigóis Felício Carneiro – Cássia Vicente – Célia Siqueira Arantes – Dauro Guimarães – Eliene Aparecida Ferreira – Elizabeth Caldeira Brito – Elvis Souza Nascimento – Elzi M. La Guárdia – Gênio Eurípedes Assis – Geraldo Coelho Vaz – Janete Martins Medeiros – Jonan de Castro Reis – Joelma Gonçalves Rocha – Jacinto Euzebio Ferreira – Joana D'Arque de Freitas – José Mendonça Teles – José Ubirajara Galli – Lupércio Mundim – Lázara Ambrózia de Souza – Lêda Selma – Lionizia Pereira Martins – Luiz de Aquino Alves Neto – Maria Aparecida Gama de Almeida – Martiniano José da Silva – Ney Teles de Paula – Paulo Nunes Batista – Ravel Giordano de Lima Faria Paz – Rozaíres Guimarães de Lima Nunes – Waldomiro Bariani Ortêncio

Externo-lhes as minhas mais profundas congratulações pela posse que se avizinha do nobre presidente e de todos os novos imortais conterrâneos que irão compor o Panteão Goiano da Academia de Letras do Brasil.

Em virtude de fatores inerentes a minha vontade, não poderei estar presente na solenidade que ora se realiza. Contudo, sinto-me feliz, envaidecido e orgulhoso por ter em conta que a minha indicação da pessoa do presidente para imortalizar os nomes de vosso estado, renderam frutos. Mais que isto, por todos os nomes dos escritores que estarão sendo empossados na data, vejo que de apenas uma pequena pedra que entreguei ao nobre confrade, transformou-a em diamante, lapidando-o com a categoria e nobreza que o nobre escritor possui incrustado em si.

Minha satisfação é incontida e imensa. Deixo, portanto, meus votos de sucesso a todos os integrantes do Panteão da ALB/GO, nomes que se destacam perante este imenso país e mesmo além de suas fronteiras, pelos seus valores, pelas suas capacidades, pelas suas batalhas pela cultura brasileira. O escritor qualquer que seja ele, é um poeta, ele manipula as palavras que lhe vêm à mente. Um escritor é o máximo do sublime, pois ele transmite por meio de suas palavras emoções, sentimentos recatados ou não, alegrias e tristezas, delírios, momentos de prazer e de sofrimento. Segundo uma poetisa transforma suas mais profundas sensações/ Em cores dos sonhos mais belos,/ Em sons que reproduzem a melodia da criação,

Por isto, nobres escritores e escritoras, neste momento que assumem este novo papel na vida cultural do Brasil, começam a transgredir novas fronteiras, e carregar a bandeira da ALB/GO desfraldada aos ventos. Prezados Imortais, deixam de ser apenas soldados nesta batalha pela grandeza de nossos valores culturais , para ocupar posições de destaque frente aos pelotões da cultura que a cada dia ganha novos seguidores.

Sejamos, pois, um exercito único, cujas armas sejam canetas ou teclados de computadores, que espalharemos do Oiapoque ao Chuí nossas palavras, nossa literatura, nossa cultura, nossos valores.

Como presidente Estadual do Paraná, da Academia de Letras do Brasil, eu VOS SAÚDO COMO IRMÃOS, confrades e confreiras.

Paraná, 27 de outubro de 2010.

Um comentário:

Unknown disse...

Mensagem enviada por José Faria Nunes - Presidente da ALB/Goiás

Estimado Líder e Padrinho da ALB Goiás,
Dr. José Feldman, mui digno presidente da ALB/Paraná

Quis Deus que eu tivesse o privilégio da generosidade do imortal e agora confrade paranaense, companheiro de sendas literárias. Sou imortalmente grato por tua amável iniciativa de minha indicação para uma cadeira vitalícia da ALB. Igualmente grato sou a nosso presidente nacional, prof. dr. Mário Lopes Carabajal, pessoa que tive a alegria e a honra de conhecer em minha pequenina Caçu de Goiás, quando de nossos eventos literários em outubro último.
Nem todos os mais de 50 confrades de minha indicação compareceram para posse. Na verdade, pouco mais de 30. Mas de significativa representatividade. Entre eles, o presidente da Academia Goiana de Letras, dr. Hélio Moreira, o presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, dr. Aidenor Aires, ambos agraciados por nosso presidente nacional com o título dr Doutor Honoris Causa, assim como também o poeta francês Athanase Vantchev de Thracy e o sueco Guilem Rodrigues, com títulos internacionais.
O confrade Leo Teixeira, indicado pelo nosso estimado presidente da ALB/Paraná, também marcou presença e recebeu seu diploma de posse. Entre teus indicados faltaram Safia dos Pirineus e Paulo Nunes Batista.
Maior que a alegria pela honrosa assumência de uma cadeira vitalícia na ALB é a cobrança de minha consciência para o muito que devemos fazer, em contraste com minha minúscula condição pessoal, dados outros compromissos assumidos e também ante a fragilizada condição financeira para manter os deslocamentos necessários para estimular diversos confrades nas regiões várias do extenso território goiano. Porangatu, por exemplo, no norte do Estado, fica a quase mil quilômetros. Sinto a necessidade de cobrir o território goiano desde a divisa norte, com o Tocantins, até a divisa sul, fronteira de Itajá-GO com Mato Grosso do Sul; e também o nordeste do Estado na divisa com a Bahia, em Posse-GO e o oeste na divisa com o cuiabano estado de Mato Grosso.
Como no texto sagrado, a messe é grande e os operários são poucos. Mesmo assim resta-me o alento de saber que posso contar com o apoio e a experiência de nosso padrinho Dr. José Feldman (ALB/Paraná) e a madrinha Vânia Diniz (ALB/Brasília). E ainda com os igualmente experientes confrades goianos integrantes também de outras entidades e o arrojo de outros menos experientes mas com energia jovial tal que em muito poderão me ajudar no sonho de fazer da ALB/Goiás uma significativa célula a pulsar viva no Estado Central do Brasil.
A ti, amigo e companheiro de senda, o meu abraço goiano e minha gratidão cassuense.
Espero que dentro em breve possa contar com tua amável visita em nosso território goiano, particularmente em minha Cassu de Goiás. Cassu, como prescreve a memória histórica, ou Caçu, como impôs o IBGE, ainda que com fundamentos questionáveis.
Amigo e irmão, o meu até breve,
cá de Cassu de Goiás,
José Faria Nunes

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to