Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

32º Semana Literária SESC & Feira do Livro (Programação de Maringá)

Tema:Cadê o Leitor?

Autor Homenageado: Bartolomeu Campos de Queirós


Patrono do evento: Manoel Carlos Karam

BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS

Nasceu em Papagaio (MG), em 1944. Publicou mais de quarenta livros (alguns deles traduzidos para inglês, espanhol e dinamarquês), como Onde tem bruxa tem fada (1979) e Até passarinho passa (2004). É considerado um dos principais autores da literatura infanto-juvenil brasileira. Em 2011, publicou Vermelho amargo, seu primeiro livro voltado ao público adulto. Queirós cursou o Instituto de Pedagogia em Paris e participou de importantes projetos de incentivo à leitura no Brasil, como o Proler (Biblioteca Nacional) e o Movimento por um Brasil Literário, do qual foi o idealizador. Também atuou como educador e crítico de arte e ministrou seminários sobre educação, leitura e literatura. Foi presidente da Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes e membro do Conselho Estadual de Cultura, ambos em Minas Gerais. Por suas realizações, recebeu condecorações como Chevalier de l’Ordre des Arts et des Lettres (França), Medalha Rosa Branca (Cuba), Grande Medalha da Inconfidência Mineira e Medalha Santos Dumont (Governo do Estado de Minas Gerais). Ganhou ainda o Grande Prêmio da Crítica em Literatura Infantil/Juvenil pela APCA, Jabuti e Academia Brasileira de Letras. Em 2010, foi finalista do prestigioso prêmio internacional Hans Christian Andersen de Literatura Infantil. O prêmio Ibero-americano SM reconheceu “a transcendência de sua obra que se manifesta na profundidade dos temas abordados, o respeito pelo leitor, seu compromisso com a arte literária sem concessões e o caráter poético e filosófico de sua obra”. Faleceu em 16 de janeiro de 2012.

MANOEL CARLOS KARAM

Nascido em 1947, em Rio do Sul (SC), Manoel Carlos Karam fixou-se em Curitiba nos anos 1960, onde viveu até sua morte, em 2007. Escritor, jornalista e dramaturgo, trabalhou em jornais e emissoras de TV do Paraná e, a partir da década de 1970, escreveu e dirigiu peças de teatro. Em 1995, seu romance Cebola recebeu o Prêmio Cruz e Souza, da Fundação Catarinense de Cultura, tendo sido publicado dois anos depois. Junto a ele, Fontes murmurantes (1985), O impostor no baile de máscaras (1992) e Pescoço ladeado por parafusos (2001) compõem o projeto do escritor de traçar painéis sobre um país, uma cidade, uma casa e um quarto. Karam também é autor dos contos de Comendo bolacha maria no dia de são nunca (1999), dos romances Encrenca (2002) e Sujeito oculto (2004) e da peça teatral Duas criaturas gritando no palco (2003). Considerado um dos grandes nomes da geração de prosadores dos anos 1980, deixou vários textos inéditos — entre crônica, teatro e prosa de ficção — que vêm sendo publicados postumamente, a exemplo de Jornal da guerra contra os taedos (2008).
Em sua obra, destacam-se o humor, a mistura de gêneros da prosa, personagens “genéricos” que representam os tipos comuns (em muitos casos, não possuem identidade própria ou gênero e idade bem definidos) e o enredo labiríntico.


                                 ESPAÇOS PERMANENTES

ESPAÇO INTERATIVO  BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS


“Da Narrativa ao poema”

Com o objetivo de mostrar  Bartolomeu com sua força poética, as palavras que se escondem e se revelam na  história,  o mistério, o passageiro e o eterno, a mágica das palavras e o resgate da infância. O espaço será composto de: Bosque da poesia,Trilha dos mistérios,Caminho dos Contos.

Exposição de ilustrações de livros infantis – “A Imagem do Medo na Ilustração de Livros Infantis Brasileiros”,
organizada pela FNLIJ – Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
Local : Tenda das exposições.

Exposição “Lendo Os Clássicos Infantis Através da Arte”
Técnica da arte em biscuit
Arte-educadora - Eliane Gabriel Corrêa.
Local - Hall de entrada.

LEITURAS AO VENTO
Projeto de Incentivo à leitura, destinado à crianças e jovens.
São mais de 200 livros espalhados em varais para a leitura das crianças.

SINOPSE
O projeto Leituras ao Vento nasceu da iniciativa de dois professores: Maristela Melo Barroso, pedagoga e especialista em Administração Escolar; e Wagner Oliveira Candido, historiador e especialista em Metodologia do Ensino Superior. Nasceu espontaneamente a partir de suas idas em família à Praça da Catedral de Maringá, para estudar, ler um bom livro, brincar de bola, estender um lençol para relaxar junto ao gramado. Em um certo domingo do verão de 2011 surgiu a idéia: Por que não compartilhar nosso acervo de livros infantis e juvenis com as crianças e jovens que vinham passear na praça?

Local: Espaço externo da Unidade.

OFICINAS LITERÁRIAS E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
Voltada a alunos da Pré-Escola até o 5º ano do ensino fundamental.


Contação de Histórias- “Ciganos”
Autor: Bartolomeu Campos de Queirós

Sinopse - Ciganos - Bartolomeu Campos de Queirós
História adaptada do livro “Ciganos” do escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós, conhecido como o “tecelão de imagens e sonhos”- Conta  a história de um menino que observa a chegada e a partida de ciganos em sua cidade.  Sentimentos de solidão e falta de afeto paterno são retratados nessa narrativa e o desejo de ser levado por aquele povo nômade para conhecer outros lugares.


Público: Infantil
Contadora de Histórias – Sibele Milani
Local: Biblioteca
==================
OFICINA- Palavra Puxa Palavra e Cria Poemas.
A oficina é inspirada no livro “Diário de Classe” de Bartolomeu Campos de Queiros, os participantes construirão uma poesia, poema ou versinho com palavras que surgirão do texto, uma palavra puxa a outra e o verso começa a se formar.

Público: Infantil
Local : Tenda das letras
=====================
Oficina- Baralho Narrativo-“Brincando com o Texto”.
Após a leitura do texto serão formados cinco grupos de alunos, cada grupo receberá uma ficha (A,B,C,D e E),  os alunos tem a tarefa de   embaralhar  os diversos grupos de fichas e tentar formar seqüências: Personagem, ação, espaço (lugar), tempo e a causa determinante da ação.

Público: Infantil
Local: Tenda das Letras
=====================
Oficina de Texto-Construção Oral e História Coletiva.
Na oficina o mediador lê o episódio que conta a “história de Maria do Céu que cansou de ser Ideia e virou fada”, convida  os participantes a experimentarem uma narrativa suave com linguagem simples,  a construir oralmente uma história coletiva, usando como suporte o livro “Onde tem bruxa tem fada de Bartolomeu Campos de Queirós.

Público: Infantil
Local: Tenda da Letras
=====================

Tenda dos Mistérios: Mistérios e Terror na literatura
A tenda terá uma programação diferenciada onde, várias histórias de Edgar Allan Poe serão contadas, além de lendas urbanas resgatadas pela mediadora de leitura.
Objetivo: Aprender o conceito de histórias de terror, desenvolver leitura e interpretação desse tipo de história, produzir histórias desse gênero textual.
Mediadora : Sirlei Vimieiro- Mestranda em Letras
=====================

Programação Diária

16 - Setembro (Segunda – Feira)

9h

Oficina: Ler e Criar – Poesias

Ministrante-Escritor e Poeta Jaime Vieira

Nasceu em Marília - São Paulo É professor de Língua Portuguesa e Inglesa, autor dos livros: “Desencontros”, “Ecos e Gritos”, ”Reencontro”,”Outonos”, “Reencanto”,,”Asas” e “Contra- Espelho”(Inédito). Tem 36 prêmios Literários, alguns deles são internacionais.  Escreveu durante  muitos anos a Coluna Literária “Sinal Verde”, para jornais de Maringá.  Atualmente além de membro da Academia de Letras de Maringá, faz parte da União Brasileira de Escritores (UBE) de São Paulo.

Público: 5ª ano ao ensino médio.
Local: Tenda dos autores
=====================
9h,10h,14h,15h

Espetáculo de Contação de histórias

DIVERSAS HISTÓRIAS DE UMA DIVERSIDADE DIVERTIDA.


Apresentação: Cia. Manipulando.

O espetáculo conta a história de uma menina que apesar de todas as tentativas de Bullying não se deixa levar. Mara é uma menina com detalhes que a ela não fazem diferença, o tamanho da sua orelha, seu cabelo, suas roupas, tudo cabe como uma maneira diferente de ver o mundo. Uma menina de olhos verdes vê o mundo pelas cores, cheiros, sensações e na verdade não pode ver. Um divertido e emocionante espetáculo com as “Diversas Histórias de uma Diversidade Divertida”.

Local: Salão de eventos do SESC
=====================

14H30

Lançamento de Livros e Sessão de Autógrafos - “Um Caminho Cinzento”, “Estudiosos do Macabro” e o Deserto de Ferrugem.

Escritor: Diogo Pereira.

Mediador: Marcelo Bulgarelli - jornalista

Diogo Al-chueyr Martins Pereira (ou apenas D. Pereira) nasceu em Curitiba em 1979 e atualmente reside em Maringá, no Norte do estado do Paraná. Formado em Engenharia Civil, fez cursos de desenho, pintura e histórias em quadrinhos no Solar do Rosário e no Meio Tom Atelier Studio, na capital paranaense. Leitor compulsivo dos clássicos do terror gótico, com 20 anos começou a escrever contos, chamados de “Pequenos Delírios”. No final de 2011 publicou o livro  Estudiosos do Macabro, no qual relata as aventuras e mistérios de dois detetives do oculto britânicos. Na sequência, em 2012, lançou dois novos livros, Um Caminho Cinzento (sequência do primeiro livro) e O Deserto de Ferrugem (uma obra de ficção científica com ares de terror espacial). Atualmente, além das atividades como engenheiro civil, trabalha num terceiro e último volume que encerrará as aventuras dos estudiosos do macabro e mantém uma página de divulgação discussão de histórias de terror na internet (www.facebook.com/pequenosdelirios).

Local: Tenda dos Autores
=====================

20h
MESA REDONDA: “JABUTIS NA POLTRONA”- CADÊ O LEITOR?

OSCAR NAKASATO E JOSÉ CASTELLO.

MEDIAÇÃO: Dr.Milton Hermes Rodrigues- UEM

O brasileiro lê em média pouco mais de um livro por ano, conforme números da pesquisa Retratos na Leitura no Brasil. Apenas 50% da população brasileira acima de cinco anos pode ser considerada leitora. Mas há um paradoxo, pois o mercado editorial passa por uma grande transformação e os eventos literários se multiplicam país afora. Como aumentar a média de leitura? O que tem sido feito? Até que ponto o governo tem ajudado? E a sociedade civil? O sistema educacional tem culpa pelo baixo índice de leitura?

José Castello – È  carioca nascido em 1951 e residente em Curitiba. É biógrafo, crítico literário, cronista, romancista e jornalista e mestre em comunicação pela UFRJ. Iniciou sua carreira jornalística na década de 1970. Atualmente colabora regularmente com os jornais, O Globo, Valor Econômico e Rascunho, entre outros. É também autor de perfis e biografias como “Vinicius de Moraes: O Poeta da Paixão”. Em 2007, publicou “A literatura na poltrona”, resultado de suas experiências com oficinas literárias e de jornalismo cultural. Outro livro “Ribamar” publicado em 2010 foi o vencedor do prêmio Jabuti (CBL) de romance, em 2011.

Oscar Nakasato. Nascido em Maringá-Pr em 1963. Atualmente reside em Apucarana-Pr. Graduado em Letras, Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada, Doutor em Literatura Brasileira. Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Premiado no III Festival Universitário de Literatura Xerox – Livro Aberto em 1999, com os contos Olhos de Peri e Alô, ganhador do Concurso Nacional de Contos Newton Sampaio, Categoria Especial Paraná, em 2003, com o conto Menino na árvore, do Prêmio Benvirá de Literatura em 2011, do Prêmio Bunkyô de Literatura em Língua Portuguesa em 2011 e do Prêmio Jabuti na categoria romance em 2012 com Nihonjin. Autor do livro Imagens da integração e da dualidade: personagens nipo-brasileiros na ficção.
Local: Salão de eventos do SESC

Milton Hermes Rodrigues
Possui graduação em Letras Ânglo-Portuguesas pela Universidade Estadual de Maringá (1980), graduação em Direito pela Universidade Estadual de Maringá (1986), mestrado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1989) e doutorado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000). Atualmente é professor associado da Universidade Estadual de Maringá. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em literatura brasileira contemporânea

=====================

FÓRUM DA LEITURA- “LIVROS E LEITURA COMO TRANSFORMAÇÃO SOCIAL”

8h30-Conferência de abertura-Leitura, Mediação e Transformação Social

Dr. Ezequiel Theodoro da Silva - Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP - SP
=====================
9h30-Apresentação do texto Vermelho Amargo - Bartolomeu Campos de Queirós.
Escritora, diretora e atriz- Majô Baptistoni – Academia de Letras de Maringá.
=====================
10h- Palco de debates- Os jovens e o exercício da Leitura em tempos atuais.

Profa. Dra. Alice Aurea Penteado Martha, da Universidade Estadual de Maringá (UEM),
Prof. Dr. Ezequiel Theodoro da Silva – Da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

Mediação: Escritora Olga Agulhon – Academia de Letras de Maringá
=====================
11h30- Autógrafos dos participantes da mesa redonda.
=====================

14h- Palestra: Leitura e Memória
Francisco Gregório Filho – Sistema Nacional de  Bibliotecas Públicas – Rio de Janeiro
=====================

15h - Palco de debates: Práticas de leitura na escola.

Francisco Gregório Filho - Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas. Rio de Janeiro
Prof. Dr. Renilson José Menegassi- da Universidade Estadual de Maringá (UEM)
Mediação: Rogério Recco - Academia de Letras de Maringá
=====================

16H30 – Experiências em Projetos de Leitura-Biblioteca do Papai Quinha - Formando Leitores.
Profa. Dra. Tânia Maria Gomes da Silva - Coordenadora de Pós-Graduação
Faculdade Metropolitana de Maringá - Unifamma
=====================

17H30 - Autógrafos dos participantes da mesa redonda.
 
*Ezequiel Theodoro da Silva
Possui Graduação em Língua e Literatura Inglesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1971), Mestrado em Educação - Leitura - University of Miami (1973) e doutorado em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1979). Atualmente é professor aposentado - colaborador voluntário da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em pedagogia, psicologia e didática, atuando principalmente com os seguintes temas: leitura, formação do professor, biblioteca escolar e leitura na Internet. Desenvolve também estudos e pesquisas na área da pesca esportiva, fazendo a manutenção de um portal da Internet. Mais recentemente inaugurou o PORTAL LEITURA CRITICA onde inseriu boa parte da sua obra e promove a formação dos professores para o ensino da leitura. Ex-secretário municipal de Educação de Campinas. Sócio fundador e presidente de honra da Associação de Leitura do Brasil – ALB (biênio 2007-2008).

Alice Áurea Penteado Martha
Possui graduação em Letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Penápolis (1969), mestrado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1988) e doutorado em Letras Assis pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1995). Atualmente é professor Associado da Universidade Estadual de Maringá. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: leitura, literatura infantil, literatura brasileira, literatura e Monteiro Lobato. É votante, desde 2005, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil - FNLIJ, Coordenadora do Centro de Estudos de Literatura, leitura e escrita: história e ensino - CELLE, certificado pelo CNPq/UEM; participa do Grupo de Pesquisa Leitura e Literatura na Escola, que congrega professores de diversas universidades do país. Coordenadora do GT de Leitura e Literatura Infantil e Leitura, da ANPOLL desde 2010

Olga Agulhon
Possui graduação em  Pedagogia e Letras,  especialista em literatura brasileira , membro da União Brasileira de Trovadores, dona de extenso currículo literário. Foi presidente da Academia de Letras de Maringá . Tem vários livros publicados: "Delírios  - 1991 (poesias), "As Três Estatuetas de Bronze" - 2000 (infanto-juvenil), "O Tempo" - 2003 (poesias), "Germens da Terra" - 2004 (contos).  Maneja com a mesma habilidade a Trova, a Poesia Livre e a Prosa.

*Francisco Gregório Filho
Nasceu em Rio Branco, no Acre, e formou-se em artes cênicas pela UNIRIO. Geriu projetos culturais e tem sido um dos organizadores do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (PROLER), implantado e 1992. Desde então desenvolve oficinas de formação de contadores de histórias para educadores sociais, estudantes e profissionais de diferentes áreas. Além de atuar no Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas. Alguns de seus livros são “Lembranças Amorosas”, “Dona Baratinha e Outras Histórias” e a mais recente “Ler e Contar, contar e ler - caderno de Histórias,

Rogério Recco
Jornalista e escritor em Maringá, é natural de Assis (SP).Como jornalista, trabalhou em jornais de Maringá, Londrina e Curitiba. Especializado em agronegócio, é assessor de imprensa da Cocamar, da Sicredi União e da Associação dos Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar). Foi colaborador da Revista Globo Rural,editor do Caderno Agrícola de O Estado do Paraná e é integrante da Associação dos Jornalistas de Agronegócio do Paraná (Ajap).  Ao longo de sua carreira, foi ganhador de vários prêmios de jornalismo concedidos pela Associação Brasileira de Marketing Rural, Associação Brasileira de  Comunicação Empresarial e Organização das Cooperativas do Paraná-Ocepar. É editor do Jornal de Serviço Cocamar.
Como escritor, é autor de diversas obras que retratam, basicamente,  o resgate da história regional.   Fundador do Instituto da Árvore,  é membro da Academia de Letras de Maringá e foi agraciado com o Mérito Municipal em 2008.


Renilson José Menegassi

Doutor em Letras pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP-Assis). Atua nas linhas de pesquisa 'Ensino e Aprendizagem de Línguas', enfatizando-se a leitura e a escrita em situação de ensino, e 'Formação do Professor de Língua', investigando a constituição da escrita na formação inicial e continuada. Coordena o Grupo de Pesquisa Interação e Escrita no Ensino e Aprendizagem (UEM/CNPq), Docente da Universidade Estadual de Maringá. Atualmente, coordena três projetos de pesquisa financiados pela Fundação Araucária, um deles com Bolsa de Produtividade de Pesquisa.

Majô Baptistoni
Formada em Letras-Português pela UEM, Pós-graduação  em Ensino de Artes pela SOET, Curso de  Artes Cênicas pela Fundação Teatro Guairá e UEM;  Aperfeiçoamento em Artes Cênicas pela Fundação Teatro Guaíra; Membro da Academia de Letras de Maringá; Autora dos livros: Pingos de Vida, O Pintinho Assustado , O Menino que Ganhou uma Boneca e Rosas para Margarida (no prelo).
Escreve contos e textos para teatro, presidente da Cia Teatral Tipos & Caras.


Tânia Maria Gomes da Silva*
 Presidente da Comunidade Social Cristã Beneficente, entidade filantrópica sem fins lucrativos  e coordenadora dos projetos culturais da entidade. Pós-doutoranda em História (UFPR), doutora em História (UFPR), Mestre em História (UEM). Tem experiência na área de família das camadas populares, mulheres e gênero. Coordenadora dos cursos de pós-graduação da Faculdade Metropolitana de Maringá e professora dos cursos de graduação e pós-graduação. Desenvolveu trabalhos voluntários na Associação Obras Sociais Irmã Dulce, na Bahia e no Nagalynea College, na Austrália, que trabalha com aborígines em situação de vulnerabilidade.

Público - O Fórum  da Leitura  é voltado a educadores, especialistas ,profissionais da área de literatura e público em geral.

Local: Anfiteatro do Senac
Horário: 8h às 18h
Carga horária: 08 horas.
Os participantes receberão certificado.
=====================
17 - Setembro (Terça – Feira)

9h,10h,14h,15h
– O CIRANDEIRO - Apresentação: GRUPO ALMAZEM TEATRO DE BONECOS


Sinopse: “O Cirandeiro” é um espetáculo de bonecos destinado a crianças de todas as idades. Cantar, brincar de roda, cirandar... Um ator e seu violão, apoiado em situações desenvolvidas ludicamente através do teatro de animação, cria situações inesperadas e às vezes inusitadas, que deleitam grandes e pequenos. “O Cirandeiro” surpreende a criança com um universo rítmico e melodioso nem sempre presente no seu cotidiano. Surpreende o adulto gerando um clima nostálgico que ele logo identifica como os momentos felizes da infância.

Público: Infantil e infantojuvenil
Local: Salão e eventos do SESC
=====================

9h30, 14h
Literatura e Música
"Música para Vinicius"


O Objetivo da oficina é possibilitar uma imersão dos alunos no mundo do artista.
A oficina oportunizará as crianças o acesso ao universo literário de Vinicius de Moraes, fazendo uso de instrumentos musicais interagindo com a poesia e a música, levando-os a constituírem uma relação diferenciada com a literatura e consequentemente tornarem-se futuros leitores e apreciadores da literatura e da música do autor.

Público: A partir 11 anos
Duração: 40 min
Realização: Centro de Difusão Musical do SESC
Local: Tenda dos autores
=====================
15h
LANÇAMENTO DE LIVRO E SESSÃO DE AUTÓGRAFOS
LIVRO: 1+1=3  Sem Limites


Sinopse
O livro traz várias ideias como meio de romper limites, sejam os criados por nós mesmos ou os que o meio nos impõem. A intenção é trazer aos leitores a sensibilidade de identificar esses limites, para que possam rompê-los.
 “Uma das peculiaridades do livro é ter página comestível.”
Luiz Maurício Bidim, nasceu em Maringá, Paraná, tem 22 anos, é  formado no curso de Marketing pela faculdade América do Sul.
Rafael Jorge Pinhatti,  nasceu em Maringá, Paraná , tem 21 anos  e está cursando o 4º ano de Direito, no CESUMAR.

=====================

19h30

Literatura e Cinema
Meu nome é Paulo LeminsKi

Embate entre pai e filho em torno de poesia de Paulo Leminski. "Tudo que eu faço, alguém em mim que eu desprezo sempre acha o máximo; mal rabisco, não dá mais para mudar nada, já é um clássico".
Duração: 5 min
Ano: 2004
Cidade: Rio de Janeiro  RJ País: Brasil
Mediação: Bárbara Gennaro

Local: Salão de eventos do SESC
=====================
18 – Setembro (Quarta – Feira)

9h,10h,14h,15h
Espetáculo de Contação de Histórias : ONDE TEM BRUXA TÊM FADA.

    Apresentação:  Cia Fanto Kid’s

Sinopse - Onde tem bruxa tem fada - Bartolomeu Campos Queirós
Para onde vai o mundo sem imaginação nem fantasia?
Imagine a decepção de Maria do Céu, uma fada que vem á terra e descobre que o consumismo tomou conta de todos e que não há mais lugar para o sonho e a fantasia!
Uma fábula cheia de fascínio, que nos leva a refletir sobre as convenções impostas pelo progresso.
Seria o sacrifício do amor e da liberdade em troca do conforto material?
A Cia Fanto Kid’s faz uma adaptação livre, utilizando-se dos recursos do teatro de bonecos e animação, para contar, de forma lúdica, esta incrível história. Por meio de objetos que ganham vida, as atrizes e contadoras de histórias Rô Fagundes e Luara Fagundes, convidam o público infantil a fazerem uma viajem pelo mundo da imaginação.

Elenco: Rô Fagundes e Luara Fagundes.
Duração da história: 45min.
Técnica Utilizada: Teatro de bonecos e animação de objetos.
Trilha sonora: Cairan Fagundes

Publico: Infantil
Local: Salão de eventos do SESC
=====================
9h30, 14h30

Literatura em Cena
 Histórias com contos de Edgar Allan Poe

A Cia Em Cena Ser apresenta Histórias de  Terror de Edgar Allan Poe uma contação de histórias com os contos: Sepultamento prematuro, O Poço e o Pêndulo e Hop Frog.  Numa relação direta com a plateia, a atriz recria o clima de horror presente nessas narrativas.  E quem acha que contação de histórias é coisa de criança, precisa ver esta! 
Duração: 45 minutos
Indicação: a partir 12 anos
Adaptação e Interpretação: Cristiana Gimenes
Direção: Andreza Domingues

Público: Adolescentes e adultos.
Local: Tenda dos mistérios
=====================

16h
Literatura e Cinema
Transubstancial

 Dir. Torquato Joel - Sinopse: Uma visão existencialista da obra do poeta Augusto dos Anjos a partir de fragmentos de seus poemas.
Título: Transubstancial
Programadora Brasil
Duração: 17 min
Ano: 2003
Cidade: João Pessoa UF(s): PB País: Brasil
Gênero: Ficção

Mediação: Bárbara Gennaro
Local: Tenda dos Autores
=====================
20h

 Mesa redonda “ A Força do Escritor”-Antonio Torres
Mediação: Wilame Prado


A FORÇA DO ESCRITOR
Que tipo de transformação social a literatura é capaz de empreender num país como o Brasil? Vamos discutir de que maneira se dá a interferência da ficção no dia a dia das pessoas, no cotidiano social. É possível falar em potência social das ficções?

 Antônio Torres nasceu no povoado de Junco (onde atualmente é Sátiro Dias), na Bahia, e escreveu uma extensa obra que hoje o coloca como um dos mais importantes escritores de sua geração. Autor de romances como “Um cão uivando para a lua” (1972), “Essa terra” (1976) e “Meu querido canibal” (2000), Torres é vencedor de diversos prêmios literários: já levou o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, o Zaffari & Bourbon, da Jornada Literária de Passo Fundo (RS), e o Prêmio Jabuti de Romance, em 2007. Ele também foi condecorado pelo governo francês com o título de “Chevalier des Arts et des Lettres” e tem seus livros publicados em 11 países.

Wilame Prado nasceu em São Paulo-SP, em 1985. Formou-se em jornalismo e atua como repórter e cronista. “Charlene Flanders, que voava em seu guarda-chuva roxa, mudou minha vida” é seu livro de estreia.  Atualmente mora em Maringá.

Local: Salão de eventos do SESC
=====================

19 – Setembro (Quinta – Feira)
9h,10h,14h15h

Apresentação do espetáculo teatral:   Cotidiani Clown
Grupo : Meu Clown

Direção: Marcelo Colavitto 
O espetáculo apresenta cenas do cotidiano de um grupo de palhaços que se relacionam entre si e com objetos comuns do dia-a-dia.    
Em cotidiani Clown, resgata-se o espírito ingênuo das brincadeiras da infância de todos nós, compartilhando com os palhaços a alegria e a emoção da descoberta que cada elemento proporciona: um bambolê, uma piscina inflável, o jogo das cadeiras, músicas folclóricas e da infância, fazem com que todos experimentem um sentimento puro e inocente, presente naqueles que se permitem ser o que são que se libertam das amarras sociais e se deixam ser no momento presente.

      Duração: 60 minutos

Público: Infantil
Local: Salão de Eventos do SESC
=====================
9h
Literatura e Cinema

Meu nome é Paulo LeminsKi

Embate entre pai e filho em torno de poesia de Paulo Leminski. "Tudo que eu faço, alguém em mim que eu desprezo sempre acha o máximo; mal rabisco, não dá mais para mudar nada, já é um clássico".
Duração: 5 min
Ano: 2004
Cidade: Rio de Janeiro- RJ País: Brasil
Programadora Brasil
Mediação: Bárbara Gennaro

Local: Tenda dos mistérios
=====================

14h30 –
Horror Cult: Literatura e Cinema de Arrepiar!


Leitura do prólogo da obra Paranorman, da editora Salamandra.- trailer do filme Paranorman e comentários.
Contos de horror do livro xeque mate, de Roberth Fabris lidos em forma de leitura dramática.

Biografia
Roberth Marcel Fabris é crítico de cinema e artes, Mestre em Letras UEM, Pós-Graduado em Arte-Educação, Membro da Academia de Letras de Maringá, Acadêmico de Artes Cênicas PARFOR 2012, autor das obras Xeque Mate, Noites.

Público: Adolescente

Local:Tenda dos Mistérios
=====================
20h

Literauta e Cinema
Título: Transubstancial

Uma visão existencialista da obra do poeta Augusto dos Anjos a partir de fragmentos de seus poemas.
Duração: 17 min
Ano: 2003
Cidade: João Pessoa)-PB País: Brasil
Mediadora: Bárbara Gennaro
Gênero: Ficção
=====================

20 – Setembro (sexta – Feira)

8h30
Literatura e Cinema
CineSesc
Helena de Curitiba 


SINOPSE: “Helena de Curitiba” narra a história da professora e poetisa paranaense Helena Kolody. O documentário traz imagens e depoimentos inéditos da poetisa, colhidos um mês antes de sua morte, em fevereiro de 2004, aos 92 anos. O enredo do filme nasce com cenas fictícias da infância e adolescência dela em meio à natureza paranaense, passando pelo amadurecimento da escritora, professora, e mostrando a sua história como filha, jovem, mulher e autora. Relata parte da história da imigração ucraniana no Paraná através de imagens do acervo da Cinemateca de Curitiba. Adquirindo este filme, o Sesc estará valorizando a arte e cultura local, propiciando o acesso deste importante registro histórico pelo público de todo o Estado.
Dir. Josina Melo – 31 minutos
Público: Livre
Mediação: Bárbara Gennaro

Local: Tenda dos mistérios
=====================

9h,10h,14h,15h

Espetáculo de contação de histórias - A CASA DOS CONTADORES DE HISTÓRIAS.

Apresentação: Cia. dos Ventos

Numa casa muito engraçada, que não tinha teto e não tinha nada, moram mãe e filha. A mãe é uma contadora de histórias de profissão e ensina a sua interessada filha, sobre como nasceu seu gosto pelas histórias e em que momento esse gosto passou a ser um modo de vida. A sua experiência e suas referências são repassadas à filha. Uma história com muitas Histórias e muita música. Um trabalho com atores e objetos.

Público Infantil
Local: Salão de eventos do SESC
=====================

9h30-Papo Aberto com o Escritor
Nivaldo Donizete Mossato - Academia de Letras de Maringá

Público: Livre
Local: Tenda dos Autores
=====================

14h30
BATE-PAPO: Mistérios e Terror na literatura
Escritora: Heloísa Prieto

Mediação: Marcelo Bulgarelli
 
A escritora Heloisa Prieto, reúne dez relatos que são construídos de uma forma meticulosa, tomando por base lendas urbanas que circulam pelo país e apresenta em seu livro: Rotas fantásticas (FTD, 2003), enveredando pelos caminhos do sobrenatural.  Este será o foco das discussões no encontro marcado com a escritora, mistérios e terror na literatura.
Heloisa Prieto, paulistana, nasceu em 1954. É formada em Letras, mestre em comunicação e semiótica e Doutora em teoria literária pela USP. Heloisa é tradutora e autora de diversas obras de literatura infanto-juvenil, se divide entre escrever, traduzir, coordenar coleções e ministrar oficinas de criação literária para crianças e adolescentes. Sempre gostou de literatura gótica dedicando-se a escrita e pesquisa desse gênero.  Entre seus trabalhos mais recentes, destacam-se "De Primeira Viagem" e "O Imperador Amarelo". E para as crianças, "O Jogo da Parlenda" e a "Panela da Paz", uma homenagem ao seu pai.

Marcelo Bulgarelli -  natural de Petrópolis, Rio de Janeiro. está radicado em Maringá há 15 anos. trabalhou durante dez anos em o Diário do Norte do Paraná e cinco anos na rádio CBN. em o Diário foi repórter e editor de cultura , trabalhou na RIC rede Record em Maringá como editor- chefe atualmente é produtor da TV Cultura - globo de Maringá  -RPC.  Atualmente trabalha na Viapar como assessor de Comunicação.

Público: Adolescente
Local: Tenda dos mistérios
=====================

20h
MESA REDONDA: “POESIA MARGINAL E OUTRAS POESIAS”

ANTONIO CÍCERO E RICARDO CHACAL

MEDIAÇÃO: Alexandre Gaioto
 
Que tipo de transformações sociais a poesia brasileira foi capaz de empreender desde a década de 70? Quais tendências poéticas se delineavam  nesse período?   Os poetas que surgiam desse período eram em sua maioria de classe média alta, com boa formação acadêmica e viviam em um momento de censuras.  Movimentos literários  como a poesia Marginal ou de mimeógrafo começam a surgir gerando uma poesia mais pessoal e afinada com seu momento histórico, ela ainda sobrevive?  E o que nos mostra o cenário da poesia brasileira hoje?

Antonio Cícero Correia Lima, nasceu em 1945, no Rio de Janeiro.  Formado “Bachelor of Arts” em Filosofia pelo University College London, da Universidade de Londres (1972), o poeta e ensaísta Antonio Cicero é autor, entre outras coisas, dos livros de ensaios filosóficos O mundo desde o fim ( 1995), Finalidades sem fim ( 2005) – obra finalista do Prêmio Jabuti de 2006, na categoria Teoria / Crítica Literária – e Poesia e filosofia ( 2012), e dos livros de poemas Guardar (1996) – obra que recebeu o Prêmio Nestlé em 2007 –,  A cidade e os livros ( 2002), Porventura (2012) e, em colaboração com o pintor Luciano Figueiredo, O livro de sombras: pintura, cinema e poesia ( 2010). Em colaboração com o poeta Eucanaã Ferraz, organizou a Nova antologia poética de Vinícius de Moraes (2003) e, em colaboração com o poeta Waly Salomão, organizou o livro O relativismo enquanto visão do mundo (1994). Organizou o livro Forma e sentido: poesia contemporânea (RJ: EdUERJ, 2012). Antonio Cicero é autor do “Posfácio” à Antologia poética de Carlos Drummond de Andrade (SP: Cia das Letras, 2012).

Ricardo de Carvalho Duarte, nasceu no Rio de Janeiro, em 1951, é músico, letrista e poeta. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Fez parcerias na composição de letras de música com artistas como Lulu Santos e Blitz. Chacal, como é conhecido, também foi co-autor em várias peças e publicou diversos livros, entre eles, “Comício de Tudo”, “Posto Nove” e “Belvedere”. Foi um dos criadores do espaço CEP 20.000 (Centro de Experimentação Poética), onde atualmente é diretor e no qual se apresentavam performers, bandas de rock, vanguardas em geral, entre outros.

Alexandre Gaioto, formado em Letras (UEM) e Jornalismo (CESUMAR), é repórter do jornal O Diário. Colaborou com as seções de cultura dos jornais O Estado do Paraná, Folha de Londrina, Gazeta do Povo, Zero Hora e Jornal do Brasil.
Local: Salão de Eventos do SESC

Público: Adulto
=====================
Apoio
Academia de Letras de Maringá

Livrarias participantes

Livrarias  do Chaim
Livrarias Curitiba
Livraria Espaço do Livro
Livrarias Paulinas
SeboMultimania


Oficinas Literárias - 8h às 11h e 13h30 às 17h
As Oficinas Literárias para o público infantil- acontecem todos os dias como atividade permanente, de hora em hora, necessitando de agendamento prévio.

Sesc- Serviço Social do Comércio- Av. Duque de Caxias,1517 – zona 7
Telefone de contato(44) 3262-3232 -laidesousa@sescpr.com.br

Fonte:
Laide Cecilia de Sousa | Assistente Administrativo
Biblioteca
Av. Lauro Eduardo Werneck,1517 | CEP 87020 025 | Maringá- PR
Tel: (44) 3262-3232 | email: laidesousa@sescpr.com.br

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to