Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Eliana Ruiz Jimenez (Trova-Legenda: Peregrino)

Movido a sonho, eu poeta,
porque amo a estrada, não canso.
– Mais importante que a meta
é cada passo que avanço.
A. A. de Assis – Maringá/PR

Caminho com galhardia
rumo a um futuro risonho
amparado na poesia
que vai dourando meu sonho.
Adamo Pasquarelli/SP

Eu, nessa estrada vazia
não vou caminhando a esmo;
faz parte da terapia...
Tentar fugir de mim mesmo!
Ademar Macedo- Natal/RN

Namorando a natureza,
como quando era menino,
sigo a trilha na certeza
de encontrar novo destino.
Agostinho Rodrigues – Campos/RJ

Mesmo longa a caminhada,
não sinto cansaço ou dor,
porque no final da estrada
me espera meu grande amor!
Alberto Paco – Maringá/PR

Sou mochileiro constante,
sempre um amor a buscar,
mesmo sabendo que adiante
só névoas vou encontrar.
Angelica Villela Santos- Taubaté/SP

Curtindo a bela paisagem,
sigo rumo aos Pirineus
levando, em minha bagagem,
teu amor e a fé em Deus.
Antonio Juraci Siqueira – Belém/PA

Ao mundo da liberdade,
muitos caminhos achei.
Porém à felicidade,
caminho algum encontrei.
Ari Santos de Campos - Itajaí/SC

Acompanhado ou sozinho,
segue em frente, sem parar,
que é bem mais longo o caminho
dos que não querem andar!
Arlindo Tadeu Hagen – Belo Horizonte/MG

A diferença que existe,
hoje eu sei, amor, é infinda:
sozinho, a jornada é triste;
contigo, seria linda!
Bruno P. Torres – Niterói/RJ

Eu levo a vida nas costas,
e a esperança na mochila,
subo morros, desço encostas,
minha fé jamais vacila!!!
Carolina Ramos – Santos/SP

Seguindo além do nevoeiro,
subestima os precipícios:
nos montes, o forasteiro
foge do chão dos inícios.
Cida Vilhena – João Pessoa/PB

Não se quede ante as mazelas,
seja terno e pertinaz,
que caminhos são janelas
que conduzem para a paz.
Dáguima V. de Oliveira – Santa Juliana/MG

Contra atalhos me previno,
mantendo firme a passada:
- Não quero a mão do destino,
mudando os traços da estrada...
Darly O. Barros – São Paulo/SP

Leva um caniço na mão
e, no braço, uma criança...
Os sonhos, onde é que vão?
- Numa pasta de esperança!
Delcy Canalles – Porto Alegre/RS

Vou chegar a Santiago
de Compostela e rezar!
Que, na volta, eu tenha um mago,
que queira me acompanhar!
Dilva Moraes – Nova Friburgo/RJ
Caminhar é minha sina,
em campo ou desfiladeiro,
nesta busca peregrina
por um amor verdadeiro.
Eliana Jimenez – Balneário Camboriú/SC

Nos caminhos desta vida
é preciso compreender
que só tem uma saída
e ela é bem clara: vencer!
Flávio Stefani – Porto Alegre/RS

Penitente viajante
solitário e decidido,
sob a nuvem flutuante
esquece o corpo dorido.
Francisco José Pessoa – Fortaleza/CE

Vida, a longa caminhada:
- Nascer, viver e morrer.
E ao final sua morada,
você não pode escolher.
Francisco Macedo - Natal /RN
Sua mochila, pegou,
cheinha de solidão,
e esse peso carregou
machucando o coração!
Gislaine Canales – Balneário Camboriú/SC

Em busca do bom Santiago
caminho, enfrento a neblina,
e me sinto, assim, bem pago
em minha fé peregrina!...
Hermoclydes Siqueira Franco – Nova Friburgo/RJ

Caminhando entre a neblina
na esperança da chegada,
o andarilho vive a sina
de uma eterna madrugada!
João Batista Xavier Oliveira – Bauru/SP

A mulher, rasgando os passos,
caminha alegre, vai cedo...
Quem leva um filho nos braços
enfrenta o mundo sem medo.
José Lucas de Barros – Natal/RN

Quando o caminho é distante,
e longa é a estrada, sem fim,
é bem neste exato instante
que Deus alia-se a mim!!
Lisete Johnson – Porto Alegre/RS

Um caminhar já constante
por uma estrada asfaltada,
um homem, o caminhante,
segue vida maltratada...
Lora Saliba – São José dos Campos/SP

O que busca o andarilho,
caminhante solitário?
- Se o cansaço é empecilho,
incentiva-o o cenário!
Maria Lúcia Fernandes - São Fidélis/RJ

A vida é uma longa estrada,
procure o amparo de alguém;
é mais longa a caminhada,
percorrendo-a sem ninguém.
Marina Valente - Bragança Paulista/SP

Levantei-me bem cedinho,
quero subir pela estrada,
sem desviar do caminho,
que me leva a minha amada.
Nadir Giovanelli - São José dos Campos/SP

Num caminho, solitário,
meu Deus eu quis encontrar,
sem lembrar que no Sacrário,
lá está Ele . . . a me esperar!
Maurício Norberto Friedrich – Curitiba/PR

Numa perfeita postura,
faça suas caminhadas;
assim, a vida assegura
cada uma das passadas.
Mifori - São José dos Campos/SP


Na bela estrada vazia,
procurando nova fonte,
peço carona à poesia
buscando a luz no horizonte!
Neiva de Souza Fernandes – Campos/RJ

Chorando, segue o andarilho
solitário, a sua dor;
de deixar pra trás um filho,
fruto de um fugaz amor!
Nemésio Prata – Fortaleza/CE

Sozinho eu me desaprumo,
mas sigo de peito aberto,
na estrada e no mesmo rumo
atrás do meu rumo certo!
Prof. Garcia – Caicó/RN

Quando é longa e dura a estrada,
nós sempre aprendemos tanto,
que as conquistas, na chegada,
têm sempre o dobro do encanto.
Olga Agulhon – Maringá/PR

Na longa estrada da vida
Com a mochila nos ombros
Busco na sombra guarida,
Por entre tantos escombros.
Olga Maria Dias Ferreira – Pelotas/RS

Pelos caminhos da vida,
não me sinto abandonado,
pois na subida ou descida,
há sempre Alguém ao meu lado!
Rodolpho Abbud – Nova Friburgo/RJ

Prossigo em minha viagem,
ora alegre, ora tristonho...
levando em minha bagagem
pouca coisa e muito sonho.
Vanda Fagundes Queiroz – Curitiba/PR

Não busco terra distante,
mas tesouro de valor:
desbravo, sou bandeirante
do meu mundo interior.
Wagner Marques Lopes - Pedro Leopoldo/MG

Se a tristeza vem de dia,
Para enfrentá-la eu disponho
Da força desta alegria
Que eu carrego em cada sonho.
Wilton Di Carli – Guarulhos/SP

Fonte:
http://poesiaemtrovas.blogspot.com

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to