Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 29 de março de 2014

José Feldman (Chuva de Versos n. 85)


Uma Trova de Balneário Camboriú/SC
ARI SANTOS DE CAMPOS

Neste mundo de conflitos
o Poder faz e desfaz...
Os povos seguem aflitos
com a esperança de paz.

Uma Trova Humorística de Curitiba/PR
VANDA ALVES

Depois que se aposentou,
seu pijama é só frangalho,
pois nunca mais o tirou
para não lhe dar trabalho.

Uma Trova Premiada  de TrovaUneVersos/RN , 2010
FRANCISCO JOSÉ PESSOA (Fortaleza/CE)

Quando o sol se faz mais forte
e a chuva responde…não!
a silhueta da morte
se espraia pelo sertão.

Uma Trova de Maringá/PR
ELIANA PALMA

Arruaça sempre grande:
jogo, bebidas, e orgia,
Quanto mais o vício expande,
mais sua alma se esvazia!

Um Poema do Rio de Janeiro
ANTONIO JOSÉ DA SILVA
Rio de Janeiro (1705 – 1739) Lisboa/Portugal


A Mulher e o casamento

Toda mulher que não for
Inclinada ao matrimônio,
Se a não levar o amor:
Trate logo de depor
Seu tirano desdenhar;
Seu rigor, deve escolher
Ou casar, por não morrer,
Ou morrer por não casar.

Trovadores que Deixaram Saudades
JOSÉ MARIA MORGADE
Ribeirão Preto/SP


Quando o solo estranho pisa,
o imigrante, esta é a verdade,
imigra porque precisa,
mas não foge da saudade.

Uma Sextilha de Porto Alegre/RS
GISLAINE CANALLES
Podemos trocar carinhos
por e-mails todo dia,
e podemos divulgar

mensagens, versos, poesia,
repartindo com o mundo
a nossa eterna alegria!

Uma Aldravia de Pirapetinga/MG

AMÉLIA MARCIONILA RAPOSO DA LUZ

Fui
linha
e
ponto
tecendo
remendo

Um Epigrama de Salvador/BA
ROBERTO CORREIA
(1876 – 1937)


Burro, a cegueira da sorte
Elevou-te e, ao sol, espelhas
Mas guardas o mesmo porte
E as mesmíssimas orelhas.

Um Haicai de Curitiba/PR
HELENA KOLODY
Cruz Machado/PR (1912 – 2004) Curitiba/PR


Pássaro arisco
passou de leve…
Fugiu!

Um Poema de São Mateus do Sul/PR
GERSON CESAR SOUZA

Neblina

 

Tal qual o véu que cobre um rosto de menina,
tua beleza amanheceu hoje escondida.
Chegou o inverno... e eu te encontro adormecida,
cidade amada, sob um manto de neblina...

Meus passos calmos já conhecem cada esquina,
cada comércio, cada rua ou avenida.
Mesmo esta névoa é uma velha conhecida,
parceira antiga na jornada matutina.

Eu acompanho este momento em que despertas:
luzes se acendem... as janelas são abertas...
e o sonolento vai e vem da nossa gente.

Quando a neblina vai, por fim, se dissipando,
alto no céu há um sol ansioso te esperando
para abraçar teu frio e dar-te um beijo quente!
========================
O que é Sextilha?
Sextilha, estrofes de seis versos, com versos de sete sílabas poéticas. Obrigatoriamente, o segundo, o quarto e o sexto versos devem rimar entre si. Para exemplificar, segue abaixo a primeira estrofe do cordel “O Pavão Misterioso”, de José Camelo de Melo Rezende, um dos cordéis mais lidos até hoje:

1.  Eu/ vou/ con/tar/ uma/ his/tó/ria [não rima]
2. De um pavão misterioso [rima]
3. Que levantou vôo na Grécia [não rima]
4. Com um rapaz corajoso [rima]
5. Raptando uma condessa [não rima]
6. Filha de um conde orgulhoso. [rima]
(Fonte: http://acorda.net.br/?page_id=1061)

================================================

Concursos de Trovas em Andamento
(Os Regulamentos dos concursos podem ser obtidos no site do José Ouverney, em http://www.falandodetrova.com.br/concursos) 

 XXVIII JOGOS FLORAIS INTER-NACIONAIS DE RIBEIRÃO PRETO-SP
Nacional/Internacional

PÊNALTI(L/F)
GANDULA (H)
Prazo: 31.03.2014

Municipal
BOLA (L/F)
ESCANTEIO (H)
Prazo: 31.03.2014

XXIV CONCURSO NAC. E INTERNAC. DE TROVAS DE PINDAMONHANGABA
Nacional/Internacional

SENSATO (L/F)
Prazo: 31.04.2014
Regional

INSANO 
Prazo: 31.04.2014 

 XXVIII JOGOS FLORAIS DE BANDEIRANTES
Nacional
FELICIDADE (L/F)
JANELA (H)
Prazo: 15.05.2014
Estadual

Motivo (L/F)
Lorota (H) 
Prazo: 15.05.2014
Paralelo (aberto)
  Bandeirantes - 80 anos
Prazo: 15.05.14
 
X CONCURSO DE TROVAS UBT-MARANGUAPE
(Concurso Virtual)
Nacional/Internacional
GENTILEZA (L/F)
BOLA/s (H)
Prazo: 15.04.2014.
Aberto (Nacional/internacional,  estadual  e  municipal)
MÉDICO (a, as, os) (L/F)
ÉTICA (o, as, os) (L/F)
Prazo: 15.04.2014
Estadual (Ceará)
FUTEBOL (L/F)
SESSENTÃO (humor)
Prazo: 15.04.2014
Municipal (Maranguape)
SINCERO(s) (L/F)
COVA(s) (humor)
Prazo: 15.04.2014

JOGOS FLORAIS DE CAMBUCI
ACADEMIA (L/F)
Homenagem a Academia de Letras e Artes de Cambuci.
SOGRA (H) 
Prazo: 31.05.14

IV JOGOS FLORAIS DE CAMPOS DOS GOYTACAZES
Nacional (e países de língua portuguesa):

FUTEBOL (L/F)
Prazo: 31.05.2014 

Estadual
CIDADANIA (L/F)
Prazo: 31.05.2014 
 Municipal
EDUCAÇÃO (L/F)
Prazo: 31.05.2014 

 CONCURSO INTERNACIONAL DE TROVAS “CIDADE DE BELO HORIZONTE”
Nacional/Internacional (exceto Belo Horizonte)

COPA (L/F)
(não valem trovas humorísticas e os trabalhos devem referir-se a "copa" no conceito futebolístico)
Prazo: 31.05.2014

Municipal
TAÇAPrazo: 31.05.2014 

 CONCURSO NACIONAL INTERSEDES
“DILEMA” (L/F)
Prazo: 31.05.2014

CONCURSO DE TROVAS DE TAUBATÉ – EDIÇÃO 2014
Nacional/Internacional

"OUTONO"(L/F)
Prazo: 31.05.2014

Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira 
 VERÃO
Prazo: 31.05.2014 


PRÊMIO DE POESIA E TROVA JUVENAL GALENO
(Concurso Virtual)
Nacional/Internacional e Estadual:
Tema das Trovas:
Trovador (es) (L/F)
Juvenal Galeno (L/F)]
Prazo: 30.06.2014

XIII CONCURSO DE TROVAS DO CTS/UBT-CAICÓ/RN
Nacional

CHÃO (L/F)
Prazo: 30.06.2014

Estadual
ESPERA (L/F)
Prazo: 30.06.2014 
Internacional (Lingua Hispânica)
HOGAR (L/F)
 Prazo: 30.06.2014 

 XXXIV CONCURSO DA ATRN - ACADEMIA DE TROVAS DO RIO GRANDE DO NORTE
Nacional

ENSAIO (L/F)
Prazo: 30.06.2014

Estadual
PRÊMIO (L/F)
Prazo: 30.06.2014
Sócios Efetivos
PASSARINHO (L/F)
Prazo: 30.06.2014
Sócios Correspondentes
ENREDO (L/F) 
Prazo: 30.06.2014

CONCURSO DE TROVAS DA UBT NATAL/RN
Nacional
ENIGMA (L/F)
Prazo: 30.6.2014
Estadual

ESTEIRA (L/F)
Prazo: 30.6.2014

I CONCURSO VIRTUAL DE TROVAS DA UBT MARINGÁ

Âmbito estadual (Paraná)
Canção (L/F)
 Prazo: 30.06.2014

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to