Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 20 de julho de 2014

José Feldman (Chuva de Versos n.194)





Uma Trova de Maringá/PR
CÔNEGO BENEDITO VIEIRA TELLES

A trova é flor tão pequena
neste jardim de emoção.
Chamo-te rosa, açucena,
amo-te com afeição.

Uma Trova de Caicó/RN
EVA GARCIA

Aquele velho retrato...
uma lenda, que me invade,
hoje é um sonho abstrato,
na moldura da saudade!

Uma Trova Humorística de Curitiba/PR
HELENA KOLODY

Cresceu estranho tumor
no pé descalço do Zé.
Será que eu tenho, doutor,
apendicite no pé?

Uma Trova Premiada em Natal/RN, 2005
JOSÉ OUVERNEY(Pindamonhangaba/SP)

Meu filho, que Deus te ajude
e a tua fé te incentive
a plantar o que eu não pude
e a colher o que eu não tive!

Uma Trova do Piauí
WALDIR RODRIGUES

Para meu mal não existe
um remédio com certeza
como é triste ser-se triste
e sofrer-se de tristeza.

Um Poema de Santo Antonio do Monte/MG
CARLOS LÚCIO GONTIJO

Falsa retidão

Tudo o que quis ser e não fui
Hoje se dilui sobre o que sou
Em meu passo o mar do destino flui
No que não sou o pedaço do que sou está
Esquecimento faz parte da lembrança
Esperança com a desesperança convive
A vida vive em meio a muita morte
O mais forte nem sempre é valente
Pode não ser contente a pessoa feliz
Há muita presença cheia de ausência
Muita ausência que presença marca
Refletindo a fiel luz da transparência
Que reflete o ser humano em solidão
Pois que sob o pano solerte da multidão
Todos aparentam viver em retidão

Uma Trova Hispânica da Argentina
NERINA THOMAS

El hombre avaro se muestra
bajo la piel de una oveja
por su ambición tan siniestra
la justicia muerta deja.

Um Poema de Huntington/Estados Unidos
WALT WHITMAN
(1819 – 1892)

Enquanto eu lia o livro

Enquanto eu lia o livro, a famosa biografia:
- Então é isso (eu me perguntava)
o que o autor chama
a vida de um homem?
E é assim que alguém,
quando morto e ausente eu estiver,
irá escrever sobre a minha vida?
(Como se alguém realmente soubesse
de minha vida um nada,
quando até eu, eu mesmo, tantas vezes
sinto que pouco sei ou nada sei
da verdadeira vida que é a minha:
somente uns poucos traços
apagados, uns dados espalhados
e uns desvios, que eu busco
para uso próprio, marcando o caminho
daqui afora.)

Trovadores que deixaram Saudades
HELENA FERRAZ
Rio de Janeiro/RJ

Muito cuidado, se mentes
 e se o mentir te seduz:
 – a mentira é, das sementes,
 a que mais se reproduz!

Um Poema de Rio Verde/PR
ADY XAVIER DE MORAES

Mulher

És bela, não porque se fez bela,
mas porque tens no íntimo
o brilho de uma estrela
que durante o dia se esconde
e, durante a noite, no infinito,
mostra tua face que resplandece.

És linda, não porque se fez linda,
mas porque a natureza preparou
para nascer e brilhar.
Tu não precisas de arranjos,
porque uma flor já nasce
com toda a beleza, tenra
e perfumada.

És perfeita, não porque te fez perfeita,
mas porque a vida deu-te de tudo.
A simplicidade de um anjo.
A inocência de uma criança.
O carisma de uma rainha
quando sorri…
sorri com os olhos,
com os lábios, com o coração.

Mostras com muita esperança,
a vontade de vencer na vida
e não sabe da virtude que tens,
por isso, és linda, és bela,
como a flor do meu jardim.

Uma Trova de Fortaleza/CE
JOÃO UDINE VASCONCELOS

Um bom livro nos traz luz.
Um bom livro é como o pão:
É alimento que seduz,
Que faz bem ao coração...
Uma Sextilha Agalopada, de São Simão/SP
THALMA TAVARES

É teimoso meu velho coração!...
Aos menores trinados da poesia
ele esquece que deve se aquietar
e, ansioso, cedendo  a euforia
vai feliz capengando ao entrevero,
com coragem, com fé, com ousadia.

Um Haicai de Maringá/PR
A. A. DE ASSIS

Os Ipês de Maringá

O show dos ipês.
Turistas gravam imagens
para o facebook.

Um Poema de Dom Pedrito/RS
SIMONE BORBA PINHEIRO

Amor imaginário

É maravilhoso, quando pela manhã,
encontro seu sorriso sereno à meu lado,
e com seus beijos exploradores, me delicio,
e o amor se faz, ao cantar dos pássaros.
E assim, nosso dia começa:
Com o café na cama, a seguir,
recheado de muito amor.

Quando você, para o trabalho sai,
com um ardente beijo, nos despedimos,
e é como se o mundo, nesse momento, parasse,
pois, apaixonados estamos, cegos de amor,
como no primeiro dia em que nos vimos,
naquele baile em que você,
para dançar, me convidou, alegremente.

Vivo hoje esse amor assim, intensamente
pois, à Deus pertence, o amanhã.
E ao final da tarde, quando para casa você volta,
trazendo nas mãos um bouquet de rosas,
vermelhas e perfumadas para mim,
não tenho dúvidas de que, esse amor,
apesar de ser imaginário, me faz feliz!…

Uma Trova de Joaquim Távora/PR
ADÍLSON DE PAULA

Pôr do sol, campos desertos,
e o pinheiro então parece
estar de braços abertos
a sussurrar uma prece ...

Recordando Velhas Canções
WILSON BATISTA

Meus vinte anos
(samba, 1942)

Nos olhos das mulheres
No espelho do meu quarto
É que eu vejo a minha idade
O retrato na sala
Faz lembrar com saudade
A minha mocidade

A vida para mim tem sido tão ruim
Só desenganos
Ai, eu daria tudo
Para poder voltar
Aos meus vinte anos.

Deixaste minha vida
A sombra colorida
De uma saudade imensa
Deixando-me ficaste
Mostrando-me o contraste
Matando a minha crença

E hoje desiludido
Muito tenho sofrido
Cheio de desenganos
Ai, eu daria tudo
Para poder voltar
Aos meus vinte anos.

Um Poema de Angola
CÂNDIDO DA VELHA
(1933)

As Idades da Pedra 1

É do mar que vêm estas vozes
silabando a linguagem das marés,
gravando na areia estranhas grafias
onde, quem sabe ver, desvenda o rumo
no sobressalto das ondas.

Este permanente arfar marinho
desperta a ressonância de oculto escuro
de obscuros templos submersos onde o coração,
descompassadamente, se perturba
na iminência do segredo revelado.

Cheiros da primeira pátria,
nesta urgência de sal em nossos membros,
atrai as pegadas para a líquida planura
pela saudade de verde glauco
que estira o corpo na fronteira do mar.

Reminiscência da primeira voz,
neste marulhar à concha dos ouvidos,
desperta nossa cólera e angústia
de malograda fuga e de nos vermos,
na babugem das águas, de olhos vítreos,
adormecidos peixes sobre a areia.

Uma Trova de Curitiba/PR
MARIA APARECIDA TABORDA FRANÇA

A Deus levantando os braços,
com elegância e vigor;
pinheiros, sem embaraços,
são beijos de Paz e Amor!

Um Poema de Portugal
AMÁLIA RODRIGUES
(Amália da Piedade Rodrigues)
Lisboa (1920/22 – 1999)

Ó Gente da Minha Terra

É meu e vosso este fado
Destino que nos amarra
Por mais que seja negado
Às cordas de uma guitarra

Sempre que se ouve o gemido
De uma guitarra a cantar
Fica-se logo perdido
Com vontade de chorar

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que recebi

E pareceria ternura
Se eu me deixasse embalar
Era maior a amargura
Menos triste o meu cantar

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que recebi

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que recebi.

Uma Cantiga Infantil de Roda
PASSARINHO DA LAGOA
(cateretê/toada, 1949)

É uma roda de meninas, cantando:

Passarinho da lagoa
Se tu queres avoar
Avoa, avoa
Avoa já

O biquinho pelo chão
As asinhas pelo ar
Avoa, avoa
Avoa já

Quando dizem — O biquinho pelo chão — todas se curvam, imitando o passarinho.
Quando cantam — As asinhas pelo ar — todas levantam os braços e balançam, imitando o bater das asas dos pássaros

Fonte: Veríssimo de Melo. Rondas infantis brasileiras. São Paulo: Departamento de Cultura, 1953.

Um Poema de Recife/PE
MANUEL BANDEIRA
(Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho)
Recife/PE (1886 – 1968) Rio de Janeiro/RJ

O Anel de Vidro

Aquele pequenino anel que tu me deste,
- Ai de mim - era vidro e logo se quebrou
Assim também o eterno amor que prometeste,
- Eterno! era bem pouco e cedo se acabou.

Frágil penhor que foi do amor que me tiveste,
Símbolo da afeição que o tempo aniquilou, -
Aquele pequenino anel que tu me deste,
- Ai de mim - era vidro e logo se quebrou

Não me turbou, porém, o despeito que investe
Gritando maldições contra aquilo que amou.
De ti conservo no peito a saudade celeste
Como também guardei o pó que me ficou
Daquele pequenino anel que tu me deste

Uma Setilha de Fortaleza/CE
NEMÉSIO PRATA

O Vírus e o Trovador!

Graças a Deus, que botou
um vírus que se irradia
no meio dos Trovadores,
dia e noite, noite e dia,
um vírus que bem comprova
a qualidade da trova
da nossa "trovadoria"!

            Sobre a Canção “Meus Vinte Anos”
         Neste samba, Wilson Batista vive um bom momento de sua carreira como letrista. Em versos simples, ele focaliza um problema existencial: o inconformismo do homem diante da velhice. Essa realidade indesejada é pressentida pelo protagonista "Nos olhos das mulheres" e confirmada no "Retrato da sala", que "Faz lembrar com saudade" a sua mocidade. Surpreendentemente, Wilson tinha apenas 29 anos na época em que fez a composição. Autor da melodia, Sílvio Caldas é também o intérprete de "Meus Vinte Anos" num disco que, lançado no final de 42, estendeu seu sucesso a todo o ano seguinte. (Fonte: Cifrantiga)


Ah! Se eu morresse, querida,
sentindo os carinhos teus,
teria, na morte, a Vida
que em vida pedi a Deus!

A justiça humana é falha!
E reconheço isto a custo...
Se é rico, livra o canalha!
Se é pobre, condena o justo...

Amor - mistério profundo
que não se pode explicar.
Mesmo, assim, pobre do mundo
se ninguém soubesse amar…

À noite, ó rua, constatas,
em teus silêncios tristonhos,
que, enquanto um cão vira latas,
eu vou virando os meus sonhos!

Bem pouca alegria existe
no riso de largos traços.
- Você já viu como é triste
o olhar de certos palhaços?

Bodas de Ouro!  Nosso beijo
retrata nossa ventura:
o que lhe falta em desejo,
hoje lhe sobra em ternura...

Cartas de amor, esquecidas,
contendo um pouco do Céu!
Dois corações, duas vidas
resumidas num papel!

Com refulgências estranhas
de ternura e de calor,
são duas gemas castanhas
os olhos do meu amor!

Conheço um tipo de fome
que não se farta de pão:
fome de amor!  Eis o nome
da fome do coração!...

Conselhos, desde menino,
muita gente me quis dar,
mas a cruz do meu destino
quem me ajuda a carregar?

Das culminâncias da serra
ao mais profundo grotão,
trago viva a minha terra,
dentro do meu coração!

De falhas ninguém se esquiva,
por isso, afirmo sem susto:
há censura construtiva
e muito elogio injusto!

Desce a lágrima insistente,
e há sempre alguém que a maldiz!
Mas a verdade é que a gente
chora até quando é feliz!...

Desconfio das vitórias
que neste mundo colhi.
- Se as coisas são ilusórias,
quem garante que eu venci?

Deserto o mundo seria,
sem vida, luz e calor,
se nos faltasse algum dia
a grande força do amor!

Desta saudade infinita
não guardo mágoas, porque
foi a coisa mais bonita
que me ficou de você!

Desta saudade, o vazio
parece até que traduz
um velho teto sombrio
filtrando um raio de luz!

Dotada de amor profundo,
meiga e doce em seu mister,
- que graça teria o mundo,
sem a graça da mulher?

Enquanto os olhos acusam
o desespero de amar,
as nossas vidas se cruzam
como dois barcos no mar!

Eu formulo esta sentença
como um libelo à tolice:
antes cego de nascença
do que cego de burrice!

Eu trago minha alma aflita,
bem vês o ciúme em meu rosto:
o mal é seres bonita
e os outros terem bom gosto!

Felicidade é somente
uma visita apressada
que aparece de repente
e parte sem dizer nada.

Foi sempre assim! Escondida
no engodo que a desvirtua,
a Verdade anda vestida
quando a Miséria está nua!

Goza, criança, o instante raro
do teu doce alvorecer,
- que a gente paga bem caro
o pecado de crescer!

Guarda bem isto na mente,
se a mentira te norteia:
mais cedo ou mais tarde, a gente
colhe aquilo que semeia!...

Guia o nauta e o peregrino,
rege os nobres e os plebeus.
- É que o dedo do destino
faz parte da mão de Deus!

Há muita gente vaidosa
seguindo o exemplo da lua,
e refletindo, vaidosa,
uma luz que não é sua...

Hoje tratam de "Excelência"
quem deixa o povo com fome.
Ou no mundo há só demência,
ou ladrão mudou de nome!...

Infância - um reino encantado
onde reside a esperança. ...
E o tempo acaba o reinado,
e a vida muda a criança...

Já não adianta ocultares
a febre dos teus desejos.
- Meu bem, há certos olhares
que dizem mais do que um beijo!

Lá se vão os retirantes!
Deixam seus campos... seus bois...
- O coração morre antes!
- O corpo morre depois . . .

Liberdade, em ti se encerra
o ideal do poeta aflito
que tem os pés sobre a Terra
e o coração no Infinito!

Meditando sobre a morte,
digo aos crentes e aos ateus:
a bondade é o passaporte
que nos conduz para Deus.

Meu canto é humilde e meu estro,
numa oração triunfal,
rende graças ao Maestro
da harmonia universal!

Meu coração sente frio!
- A saudade o transformou
no leito triste e vazio
de um rio que já secou…

Meu pobre pai, alquebrado,
- gigante da minha aurora! –
queira Deus dar-te, em dobrado,
tudo o que me deste outrora.

Minha mãe, quando partiste,
Deus, com imensa piedade,
fez do meu coração triste
um altar para a saudade!

Nas noites claras de maio,
eu sinto, nitidamente,
que a saudade é como um raio
de luar, dentro da gente...

Nesta angústia indefinida,
penso, cheio de amargor:
de que vale o bem da vida,
quando falta o bem do amor?

Neste exemplo se presume
um prêmio às almas bondosas:
fica sempre algum perfume
nas mãos que oferecem rosas!

Nome dos mais esquisitos,
que, aliás, não foi bem posto;
há na Rua dos Aflitos
uma calma que faz gosto…

No sonho estavas sorrindo,
mesmo assim fiquei tristonho:
- de que vale um sonho lindo,
se dura apenas um sonho?

Nos trilhos da ferrovia,
ela, brincando, caminha.
- Até que afinal Maria
resolveu andar na linha...

Obra prima da Criação,
a mulher - dilema eterno -
é um traço de união
entre o paraíso e o inferno.

Ó mãe que tudo perdoas,
corrige teus pequeninos!
- Às vezes, de intenções boas
nascem ladrões e assassinos...

Ondas bravias ou calmas,
que estais sempre a soluçar!
- Quem pôs a angústia das almas
dentro das ondas do mar?

Os noivos fazem questão
de ter as mãos sempre unidas.
- É fácil unir as mãos...
difícil é unir as vidas!

Ó velho mar, são singelas
as tuas fúrias humanas,
comparadas às procelas
do mar das paixões humanas!

Para a seca exterminar
no meu Nordeste escaldante,
eu sugiro represar
o pranto do retirante!

Parti do Norte chorando,
que coisa triste, meu Deus!
- Eu vi o mar soluçando
e os coqueirais dando adeus...

Partiste, sim, mas ainda,
por ironia ou maldade,
ficaste muito mais linda
vestida nesta saudade!

Pensando, na tarde calma,
logo me ocorre à lembrança
que a própria vida tem alma,
e a alma da vida é a Esperança!

Por mais que o artista se esmere
em seu talento criador,
duvido que ele supere
a perfeição de uma flor!

Por mais que o mundo se torça
de angústia, revolta e medo,
Deus revela sua força
mas não conta seu segredo!

Por muito amar ninguém morre,
ama, pois, com todo ardor!
- Olha que a muitos ocorre
morrer por falta de amor...

Posso entender o martírio
da pureza junto ao mal,
vendo a solidão de um lírio
no lodo de um pantanal.

Poucas mulheres entendem
que, no seu doce mister,
muitos destinos dependem
de um sorriso de mulher!

Poucos sabem que não sabem
tudo o que dizem saber.
Maiores saberes cabem
nos que sabem sem dizer.

Quando adormeço tristonho,
vejo-te em sonhos, querida!...
E a vida fica mais sonho,
e o sonho fica mais vida!

Quando me vires sorrindo,
de olhos fechados, sonhando,
- meu corpo estará dormindo...
- minha alma estará te amando...

Quanto mais a mulher jura
gostar de homem erudito,
tanto mais ela procura
um tipo burro e bonito!...

Quero beijar-te, querida,
e não te deves opor:
- se o amor é a alma da vida,
o beijo é a vida do amor!

Que sábio discernimento
neste exemplo se traduz:
a vidraça anula o vento,
mas deixa passar a luz.

Redimindo os pecadores,
conduzindo-os para a luz,
o maior dos sonhadores
morreu pregado na cruz!

Saudade é isto que existe
nos olhos desse velhinho,
quando, embevecido, assiste
aos folguedos do netinho.

Se a caridade ilumina
o semblante da desgraça,
bendigo a graça divina
que criou tamanha graça!

Se alguém tiver que sofrer
para que eu tenha ouro e glória,
direi com muito prazer:
- Declino dessa vitória.

Se a mocidade se afasta,
não julgue a vida tristonha.
- A ação do tempo não gasta
o coração de quem sonha!

Se observo os homens de perto
e analiso os animais,
fico sem saber, ao certo,
quais são os irracionais...

Se queres viver tranquilo,
sem muita preocupação,
jamais dependas daquilo
que depende do patrão...

Tornam-se mais encurvados
os ombros de um ancião,
quando suportam, cansados,
o peso da solidão!

Um sonho às vezes enfeita
o meu destino tristonho.
- Ah, se tu fosses perfeita
como és perfeita em meu sonho!

Vejo em teus olhos, criança,
docemente refletida,
uma inocente esperança
sorrindo aos males da vida!

Ver-te em sonhos me complica,
não quero ver-te, meu bem!
- O sonho apenas duplica
a saudade que se tem.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to