Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 21 de dezembro de 2014

José Feldman (Chuva de Versos n. 318)




Uma Trova de Maringá/PR
Alberto Paco

Meninos fogem da escola
movidos pela paixão,
do pé descalço na bola;
da velha bola no chão!

Uma Trova de Niterói/RJ
Jacy Pacheco

Braços abertos, Jesus,
da montanha olha a cidade,
e vê que a lição da cruz
não mudou a humanidade...

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

É Natal... (será?)
Saudades daqueles Natais folguedos
quando eu, igual a toda meninada,
pedia pro Papai Noel, brinquedos:
uma bola, um carrinho ou uma espada!
Na cartinha, escrevia: Meu querido
Papai Noel, eu quero de presente...
e nela eu descrevia o meu pedido
da maneira mais simples e inocente!
Hoje vejo um Natal bem diferente,
quando as lojas, com seus "papais noéis",
procuram, de maneira indiferente,
tão somente exaurir os saquitéis,
impondo a todos tudo é "presente",
e pondo Jesus Cristo pra viés!
Uma Trova Humorística de Volta Redonda/RJ
Dalmir Pena

Já fui comilão outrora!
Hoje, ao lembrar-me, acho graça:
vontade ainda tenho agora,
mas, como vem, logo passa!!!

Uma Trova de Taubaté/SP
Tharcílio Gomes de Macedo

A montanha neblinada,
quando foge à nossa vista,
é a natureza enciumada
que esconde o quadro do artista.

Uma Glosa de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Mote:
As trevas se dissiparam
quando apareceu uma luz
que todos abençoaram,
bendito nome... Jesus!
(José Feldman – Maringá/PR)

Glosa:

As trevas se dissiparam
quando os anjos do Senhor,
aos homens, anunciaram
a vinda do Salvador!

Ao mundo se fez presente,
quando apareceu uma luz
nos céus, vinda do Oriente,
anunciando o Rei Jesus!

Os homens glorificaram
a vinda do Deus menino,
que todos abençoaram,
pelo seu nascer divino!
Nasceu numa estrebaria
pra morrer na rude Cruz;
só assim nos salvaria:
bendito nome... Jesus!

Uma Trova Popular
Autor Anônimo

Pobre louco apaixonado,
ai de mim! que não mais via,
que seu amor, pouco a pouco,
esfriava dia a dia.

Uma Trova Hispânica da Venezuela
Ángela Desirée Palacios

Con el mundo en nuestras manos
orando por paz y amor,
seríamos siempre hermanos
y el universo mejor

Uma Glosa de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Mote:

Eu sinto a fé me envolvendo
sempre que eu consigo ver
a esperança renascendo
em um novo amanhecer!
(José Feldman – Maringá/PR)

Glosa:

Eu sinto a fé me envolvendo
dando-me força e vigor
para seguir sempre crendo
em Deus, e no Seu amor!

Neste mundo tão horrendo
sempre que eu consigo ver
um milagre acontecendo,
mais em Deus eu passo a crer!

Deus continua fazendo
milagres, pra nos mostrar
a esperança renascendo
todo dia..., é só esperar!

Deus agora está dizendo:
creia em Mim e espere ver
Meu milagre acontecendo
em um novo amanhecer!
Trovadores que deixaram Saudades
Clarindo Batista de Araújo
Jardim do Piranhas/RN (1929– 2010) Natal/RN

Contra o perigo atual
já não há quem se previna
porque, do gênio do mal,
sempre há um clone em cada esquina!

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Poema de vida... sem vida!

A Rosa, cheia de vida,
de viço e beleza, tida,
das flores, a preferida
de todos, foi bem nascida,
agora, vive esquecida
em uma jarra partida
sem viço, beleza e vida!

Uma Trova de Porto Alegre/RS
Rui Cardoso Nunes

Por berço tive a montanha!
Sou camponês, trovador!
No universo da campanha,
meu estro virou condor!

Uma Quadra de Vila Real de Santo António/Portugal
Antonio Aleixo
(António Fernandes Aleixo)
1899 — 1949, Loulé/França

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das suas promessas
ganhando o pão que tu comes.

Dois Poemas em Um de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Poema de Nemésio quando anunciei que ia ter um intervalo de seca

Só de ouvir esta palavra,
- seca - me dá um "arrupio",
pois ela, no meu nordeste,
se instalou, e anos a fio,
maltrata, com malfazejo,
nosso humilde sertanejo,
tirando-lhe até seu brio!

Espero que esta estiagem
de versos, passe ligeiro,
pois esta "Chuva de Versos"
nos faz falta, companheiro;
para aguar as nossas vidas,
sedentas e ressequidas,
com seu bendito aguaceiro!

Enquanto a chuva não volta
para molhar nosso aprisco,
ponho meus olhos pra cima,
vendo as nuvens e o corisco
dos raios, em alumiada,
predizendo a chuvarada
que virá: não mais chuvisco!

Volta, volta, chovedor,
volta logo, estou a arder;
pois tu és o condutor
deste trem que faz chover!

Poema de Nemésio, após o intervalo de seca

O Brasil se molha, todo,
de alegria, pois voltou
a chover "Chuva de Versos",
e, nesta chuva, eu estou
me molhando; e desta chuva
que cai, nem meu guarda-chuva,
todo molhado, escapou!

Este Brasil tão expresso
de Poetas, os mais diversos,
louva a Deus, pelo regresso
deste "chovedor" de versos,
depois de breve recesso,
desejando-lhe sucesso
total no "Chuva de Versos!

Uma Trova de Brumadinho/MG
Armindo dos Santos Teodósio

Na tristeza que me invade,
de uma paixão extinguida...
Sou montanha de saudade
na cordilheira da vida!

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Não deixes te levar pela vingança,
pois isto não é coisa de Cristão:
perdoa! Com amor, e sem tardança
vai lá, e abraça, e beija o teu Irmão!

Se um dia alguém te fizer qualquer mal,
não vires-lhe o rosto, imita a Jesus,
o grande perdoador que, no final,
perdoou os que lhe puseram na Cruz!

Se alguma ovelha encontra-se afastada,
procura-a, pois, pra Deus ela é preciosa;
encontra-a, e traze-a de volta, "puxada"
pelas cordas do amor..., esta "teimosa"!

Uma Trova de Campos dos Goytacazes/RJ
Agostinho Rodrigues

Estendam as mãos, amigos,
mantendo o mundo seguro.
Dos jovens e dos antigos
depende o nosso futuro!

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Colorindo o Mundo

Alvinegros...
O "branco" quis impingir
que "negro" nunca foi gente;
como foi duro admitir,
pelo branco, prepotente,
que tão gente quanto o branco
é o negro, e, por enquanto,
só na cor é diferente!

... Tricolores...
É fato; no mundo existe
gente de cor diferente:
preta, branca e amarela;
mas o branco, prepotente,
diz que só os da sua cor
é gente. Quanto impudor,
pois Deus fez a todos, gente!

... e outras Cores!
Existe um tipo de cor,
das cores, bem diferente,
é a cor da cor da rosa,
ou cor-de-rosa, somente;
esta cor emite um brilho
coruscante em seu caixilho,
que chama a atenção da gente!

Também tem a cor lilás,
das cores, a preferida
daqueles que vão atrás
de uma cor mais comedida;
esta cor é, disparada,
hoje, a cor mais procurada:
pena que viva escondida!

Um Haicai de São Vicente/SP
Carolina Sant'Anna do Nascimento
(10 anos)

Cucas folgadas
Boiam na piscina que eu brinco
Férias de verão.

Uma Trova de Angra dos Reis/RJ
Jessé Nascimento

Mãos erguidas, força unida,
no simbolismo que encerra:
a conservação da vida,
na preservação da Terra.

Setilhas de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Nosso Trânsito

O pedestre, todo dia,
cumprindo a sua rotina
esperava o coletivo
numa parada de esquina,
porém não tomou cuidado
terminou atropelado,
coitado; que triste sina!

O ciclista, todo dia
montava sua "magrela"
e tomava a ciclovia
para treinar, com cautela;
de repente um motorista
invadiu a sua pista;
coitado; ninguém deu trela!

O motoboy, todo dia
disparava pela rua
para fazer as entregas
"urgentes", sentando a pua
no acelerador, e não
viu que entrou na contra-mão,
coitado; ficou "na rua"!

Por um "descuido" banal,
olhando só pra "telinha"
não "viu" fechar o sinal;
sabe o que deu... adivinha?
Avançou e foi trombado,
saindo todo "quebrado",
coitado: "caiu a linha"!

Motoristas, todo dia,
nós temos tido notícia
de diversos acidentes,
que são casos de polícia;
as causas são: imprudência
imperícia e negligência:
até por pura "estultícia"!

Prometa, a partir de agora,
Condutor, mais consciência
no trânsito, e seu veículo,
conduzi-lo com prudência,
pois você não é nem "rei",
nem "juiz", em nossa grei;
fica, pois, a advertência!

Recordando Velhas Canções
Ela disse-me assim
(samba-canção, 1959)

Lupicínio Rodrigues

Ela disse-me assim,
tenha pena de mim, vá embora
Vais me prejudicar,
ele pode chegar, está na hora

E eu não tinha motivo nenhum para me recusar
Mas aos beijos caí em seus braços e pedi pra ficar

Sabe o que se passou,
ele nos encontrou e agora
Ela sofre somente porque
foi fazer o que eu quis

E o remorso está me torturando
Por ter feito a loucura que fiz
Por um simples prazer
Fui fazer meu amor infeliz

Uma Trova de Porto Alegre/RS
Lisete Johnson

Este mundo gira, gira!
Gira tanto, tão veloz!
Ele gira ou é mentira?
Pois quem gira, somos nós!

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Linha do Tempo!

Corre o tempo, sem dar tempo
de ver que o tempo passou,
agora, passado o tempo,
passado no tempo estou;
porém não me importa o tempo
passado, pois este tempo
passado, já se passou!

Olho o tempo no presente
e vejo quão bom é o tempo,
pois o tempo, simplesmente,
me dá tempo de ter tempo
pra gastar tempo com gente
que por não ter tanto tempo
não vive o tempo presente!
––––––
Mais um dia amanheceu,
mais um dia se passou,
mais um dia anoiteceu,
mais uma noite chegou,
mais uma noite passou,
mais uma noite se foi,
e mais um dia se foi,
e se foi todo meu tempo,
sem ter um pingo de tempo,
pra notar que o tempo foi
embora, sem perder tempo,
pois o tempo não tem tempo
pra quem também não tem tempo,
por isso não perca tempo,
tire um pouco do seu tempo
tão pouco, sem perder tempo,
antes que o dia anoiteça,
antes que você se esqueça,
antes que você pereça,
e viva todo este tempo
que lhe resta, dando tempo
para quem já não tem tempo
de ver o tempo passar;
não é tempo de esperar,
vamos, pois, remir o tempo,
antes de o tempo findar!

Uma Quadra Popular de Portugal
Isidoro Cavaco

Dando aos sonhos mais diversos,
a forma, a pureza e encanto,
apenas em quatro versos
os poetas dizem tanto!...

Uma Trova de São José dos Campos/SP
Adamo Pasquarelli

Felicidade - utopia
que está bem longe de mim,
quem sabe se qualquer dia
essa utopia tem fim...

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Definindo Chuva...

Chuva pequena é chuvisco
que mal chega pra molhar
o chão seco, e um corisco
põe a mata a sapecar!

Chuva grande é chuvarada
que chega de torvelinho,
carregando, de enxurrada,
tudo que vê no caminho!

Chuva de Versos, seria
a que cai deste "Universos",
em pingos de poesia,
correndo em forma "de Versos"!

Hinos de Cidades Brasileiras
Piracuruca/PI

Água que vem da terra fria
E no nosso peito deságua
Feliz daquele que um dia
Bebe dessa água

Terra da lenda e da magia
Das Sete Cidades encantadas
Onde as pedras são vivas esculturas
Que se movem pelas madrugadas

E Olho D Água do Padre
Rua da Goela e majestosa Igreja
De Nossa Senhora Do Carmo
Que eu adoro onde quer que eu esteja

Por todo lugar onde passo
Hospitaleira ela me aninha
Do Casarão do Padre Sá Palácio
Ao regaço da Prainha

Fogo que é fé e chama e luz
E traduz a força do lugar
Piracuruca dos Tocarijus
Quero este teu ar

Teu ar de grandeza e liberdade
Que os Dantas heróis precursores
Legaram a toda cidade.

Uma Trova de Belo Horizonte/MG
Ary Viotti

Felicidade correta,
só tem uma direção:
a indicada pela seta,
no rumo do coração.

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Poema do Esquecimento...

Quando o tempo passa, a gente
passa a se esquecer "tudo",
uns dizem: "tá é demente!";
discordo..., porém, contudo,
entretanto, todavia...,
já esqueci o que escrevia:
mas comigo é diferente!

Teia de Trovas sobre Saudade, de Fortaleza/CE
Nemésio Prata Crisóstomo

Sorrateira, foi chegando
a danada da saudade;
meu coração machucando,
sem dó e sem piedade!

Pelo seu ente querido,
perdido em fatalidade,
no peito rompe, incontido,
um soluço de saudade!

Saudade não tem idade,
diz o dito popular;
começa na mocidade
pra nunca mais acabar!
Bem no meio do jardim
aquela “bela” roseira
fez bater dentro de mim
saudades da jardineira!

Quanta saudade senti
quando parti e deixei
o torrão onde nasci,
em busca de nova grei!

Trovadora Destaque
 
Andar por ínvios caminhos
buscando a Felicidade
é como colher espinhos
na Rosa da Eternidade.

Atritos, perdas, cuidados
que a vida te patenteia
são despojos naufragados
que agora jazem na areia.

A vida é feita de nadas,
enganando muita gente
que julgando águas paradas
vai ao sabor da corrente.

A vida é uma mesa posta
com diversas iguarias;
se de amargores não gosta,
ponha doçura em seus dias.

Batem três horas na torre,
é já tempo de dormir...
mas a noite corre, corre,
e eu fico a vê-la fugir...

Boa trova não troveja,
não faz barulho ou ruído:
doce música de igreja
a consolar-nos o ouvido.

Com canto combate o pranto
e a treva em que a Terra jaz;
em cada canto e recanto
cante-se a Visão da Paz!

Das mil palavras que li,
cada letra foi um beijo
que, alado, voou pra ti,
no sonho de ser arpejo.

Desenhar passos incertos,
ao sabor da multidão,
é navegar em desertos
em busca de água ou de pão.

É fácil ser um herói
com uma espada e armadura;
mas é quando a alma dói
que se revela a bravura.

É na noite tenebrosa,
quando os astros vestem dor,
que uma estrelinha teimosa
persiste em parecer flor.

Gente anônima e distante,
que comigo cruza a rua,
é também meu semelhante
na cruz que a vida insinua.

Há zeros a mais na conta!
Milionário,tem cuidado.
Na tua conta, desconta
o amor que tu não tens dado.

Mais alto que o Céu profundo,
mais vasto que o imenso mar,
é o Amor que envolve o Mundo
e o faz pra Luz caminhar.

Meu amor é como um hino
que eu muito bem sei cantar.
nos gorjeios do destino
o poderás escutar.

Muita riqueza fugaz
o homem que corre a buscar;
é mais rico se é capaz
de a ver partir sem chorar.

Na corda bamba da Vida,
o futuro sempre em vista,
sou criança divertida
brincando de equilibrista.

Não adies nunca o Amor
para outro dia ou momento;
pois o vento embala a flor
sem pedir consentimento.

Não deixes que um pensamento
fortuito,vil e malsão,
ensombre com seu lamento
a Luz do teu coração.

Não quero correr Contigo,
mas a Teu lado correr,
p’ra correr com o perigo
que corre p’ra me vencer.

Não te espantes da mudança,
tudo voa e vai no vento;
ou prendes bem a lembrança
ou voa com o pensamento.

No meu livro de memórias,
guardo, com todo o recato,
as mil saudosas histórias
que conta o nosso retrato.
  
Ó linda Mãe-Natureza,
tão pródiga e salutar,
perdoa a cega vileza
do homem, quando te queimar!

"Para o alto e sempre em frente"
- mostra o guia da cidade;
sigo o rumo e, de repente...
"Bem-vindo a Felicidade!"

Passo a vida passo a passo,
com receio de espantar
com o ruído que faço
a Vida, em mim, a cantar.

Pela semente do Amor
que lançaste no meu peito,
faz que eu, vá aonde for,
saiba viver satisfeito.

Pinheiros, carvalhos, vinhas,
das cores mais variadas,
são coros de ladainhas
p'rás almas angustiadas.

Por muito que a gente mude
e busque amor a seu jeito,
um só salva e nunca ilude:
o de mãe -Amor-perfeito!

Porque a vida tem escolhos,
não hesites na jornada;
a rosa tem seus abrolhos
mas deixa a mão perfumada.

Por ser estreito o Caminho,
cada qual vai como pode;
mas não empurre o vizinho...
Se cair, ele lhe acode!

Quando a mente se alimenta
de daninha nutrição,
corta o joio da tormenta
e semeia um novo pão.

Quando chega, quando parte,
do cais que esta vida é,
aceita, pois que faz parte
do bailado da maré.

Rumoreja o pinheiral
uma conversa secreta
entre os pios de um pardal
e a doce brisa discreta.


Subiu ao topo da vida
nas asas de um furacão;
descuidou-se na descida...
estatelou-se no chão.

Um concerto a uma só voz
reverbera em céu e terra,
contra a mágoa e dor atroz
que um peito humilhado encerra.

Um coração sempre aberto,
um sorriso sempre à mão,
fazem jorrar no deserto
águas de Paz e Perdão.

Vozes de aves nas ramadas,
em harmonia de irmãs,
são como missas cantadas
no silêncio das manhãs.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to