Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 7 de fevereiro de 2015

José Feldman (Chuva de Versos n. 360)


Uma Trova de Curitiba/PR
Tasso Azevedo da Silveira

Ah, como desceu a lua
no seio da escuridão!
Desceu tanto, que flutua
quase ao alcance da mão.

Uma Trova de Nova Friburgo/RJ
Therezinha Tavares

Ao tirar da noite a manta,
a alvorada traz fulgores,
o dia então se levanta
espreguiçando em mil cores.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

LISBOA TU ÉS DIVINA

Lisboa tu és divina...
Sabes quanto me fascinas!
Quantas vezes te adorei!
Pois és tu que me iluminas.

Cidade maravilhosa!
Cheia de amor e carinho...
Quantas vezes te adorei.
Pois estas no meu caminho!

Oh Lisboa dos poetas!
E dos grandes escritores...
Como posso te esquecer.
Se sou um dos teus amores!

Uma Trova Humorística de São Paulo/SP
Therezinha Dieguez Brisolla

A porquinha se casou
e chora o tempo inteirinho!...
Bem que a mãe dela avisou:
– Não case com porco-espinho.

Uma Trova de Prado/BA
Teixeira Leite

Todo amor que vai e volta,
de fingido tem sinais.
Um dia ele as asas solta
e, é certo, não volta mais.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

AO ENCONTRAR-TE

Ao encontrar-te na rua.
Maltrapilha, quase nua,
Implorando pedaço de pão,
Quem te conheceu não sabe,
Que foste qual majestade
Morando numa mansão.

Tratavas teus serviçais
Como se fossem animais,
Sem amor ou compostura.
Hoje estás abandonada,
Passas as noites na calçada,
Como mendiga de rua.

Quantas noites recebeste
Esmola e compreensão
Dos mesmos que maltratavas
E arrogante, gritavas:
Vão trabalhar malandrões!

Os mesmos, indignados,
Mas pobres e necessitados.
Fingiam não te escutar
Pois eram gente honesta
Precisavam do trabalho
Pra seus filhos sustentar.

E tu, com arrogância,
Não pensavas que ferias
a alma e o coração
Daqueles que trabalhavam,
Cujo suor derramavam
Para ganharem seu pão..

Hoje vives abandonada,..
Cansada, desmemoriada,
Talvez sintas dor profunda.
Tua casa é a marquise,
Tua cama é a calçada,
Pois és mendiga de rua.

Uma Trova Popular
Autor Anônimo

Vossos cabelos na testa
é o que vos dá tanta graça;  
parecem meadas de ouro
aonde o sol se embaraça.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

CHAVE DA VIDA

Mulher és a fonte de luz,
És o amor que conduz,
Através de ti que a espécie é garantida
Isto porque és a chave de vida!

És da espécie humana, a escolhida.
Para que através de ti o amor seja dissolvido,
Provado, bebido, sentido e o homem esteja onde estiver...
...nunca se esqueça que se ele aqui esta!
Deve muita a ti mulher.

És a luz que ilumina nossos dias!
Muitos deles cheio de tristeza e dor,
Mas com a tua presença, nos fortalece...
Isto porque tu és o amor

Quantas vezes no meu refúgio...
Eu começo a refletir e chego a me emocionar!
Lembrando-me daquela que me colocou no mundo!
E me ensinou a dar os primeiros passos e a caminhar.

Trovadores que deixaram Saudades
Thereza Costa Val
(Maria Therezinha da Costa Val Araújo)
Viçosa/MG (1933 – 2014) Belo Horizonte/MG

Mágoas e perdas de amor
no meu ontem de fracassos
fazem mais doce o sabor
de meu hoje nos teus braços.

Uma Trova de Brejo/MA
Tobias de Sousa Pinheiro

Morre um ano, nasce um ano,
e vem à nossa lembrança
a morte de um desengano
e a vida de uma esperança.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

ALGUNS ANOS ATRÁS

Quem te conheceu alguns anos atrás,
Talvez não tenha condição de te reconhecer,
Isto porque eras linda e feliz,
E hoje a tristeza invade o teu ser.

Porque na verdade o jovem que amaste...
Não soube de todo te compreender,
Fazendo-te infeliz,
Zombando da tua dor,
Enquanto tu ficavas sozinha!
Embalando teu filho,
Ele estava com outras bebendo ou fazendo amor.

Já cansada de tanto sofrer,
Foste obrigada a tomar uma decisão,
Dizendo a ele que não era feliz,
E que por isto era bem melhor a separação.

O tempo passou o teu filho cresceu
Tu envelheceste e ele também!
Mas apesar dos anos...
E de tantos sofrimentos,
Não conseguiste amar outro alguém.

Uma Trova de Pouso Alegre/MG
Terezinha Mendes Loiola

Uma gota de carinho
embriaga o coração,
é o doce alento do vinho
no cálice da afeição.

Um Haicai de São Paulo/SP
Edson Kenji Iura

Noite de Ano Novo:
Após a queima de fogos,
Estrelas silenciosas

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

ANJINHO CAÍDO DO CÉU

Quem é esta garota de loiros cabelos,
De olhos azulados, com um lindo chapéu...
De boca pequena, de pés pequeninos,
Mas parece um anjinho caído do céu.

É toda formosa de pele bem clara.
De rosto bonito e encantador olhar,
Quando ela passa cheia de graça,
O povo que passa, resolve parar.

Pois no mundo até então, nunca se tinha visto,
Criatura tão perfeita, de beleza tão grande...
Que ao vê-la qualquer mortal perde a voz,
Se ela é da terra ou de outro planeta!
O mais importante é que está entre nós.

Uma Trova de São Simão/SP
Thalma Tavares

Minha rua é uma alegria,
tem crianças, risos, gritos...
E se chama – que ironia!
Alameda dos Aflitos.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

APAIXONADOS

Já faz um ano e meio que nós nos amamos,
Com um amor sincero e verdadeiro,
Bem sei que o nosso amor nasceu de um beijo,
Beijo este quente e demorado...
Que nos deixou tremendamente apaixonados.

Nosso amor na verdade é maravilhoso,
Quem não nos conhece sente admiração,
Por não compreender as nossas vidas,
E por não poderem trazer a mesma alegria,
Que nós temos no coração.

Sempre, sempre, vamos nos amarmos,
Com muito carinho e bastante fé,
Temos certeza que tudo dará certo,
E vamos ser sempre felizes se Deus quiser.

Uma Trova de Campo Grande/MS
Telma Campos Ávila de Souza

Caminhar com segurança
sem nunca olhar para trás,
é ter, em Deus, confiança
e amor a tudo que faz.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

A VIDA PASSA

A vida passa como os minutos e as horas,
A nos marcar episódios da mesma.
Às vezes cenas que nos entristecem,
E outras tais que nos são mais amenas

Vive na vida uma dessas cenas...
Que me deixou deveras entristecido
Amei alguém que dizia amar-me,
E na verdade fiquei esquecido.

Esta pessoa em quem acreditei,
Que fazia parte daquelas sinceras.
Como me iludi acreditando tanto,
Como me enganei acreditando nela.

Hoje ela vive cheia de angustia,
Por amar alguém que a abandonou.
Em seu coração só existe tristeza,
Em sua alma só existe dor.

Um Haicai de Belo Horizonte/MG
Eolo Yberê Libera

Guardei para você,
num verso de porcelana,
as flores da manhã.

Uma Trova de Magé/RJ
Tassélio de Souza Pereira

Já tantas vezes morri,
em cada sonho perdido,
que muito pouco vivi,
no verdadeiro sentido!

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

BELEZA INTERIOR

Ontem fiquei triste um pouco pensativo,
Pensei em coisas que ainda não tinha analisado,
Tu dizes-me que me amas,
Sem me achar belo,
E que este amor é pura realidade.

Dizes-me que me amas pelo o que eu sou,
Ou seja, pelo meu interior,
Que achas muito belo e que quando falo...
...represento o amor,
Num trono em magnífico castelo.

Mas é muito cômodo este teu proceder,
Sentindo-te feliz com a minha sensibilidade,
Para mim são só palavras o que dizes...
Sem com tudo expressares a verdade.

Pois quando se ama verdadeiramente,
Não há pessoa mais linda do que a pessoa amada,
E por fisicamente não me achares bonito,
É por isso que não acredito que por mim,
Estejas apaixonada.

Recordando Velhas Canções
Chica da Silva
(samba-enredo/carnaval, 1963)

Anescar do Salgueiro e Noel Rosa de Oliveira

Apesar... de não possuir grande beleza
Chica da Silva surgiu no seio da mais alta nobreza
O contratador, João Fernandes de Oliveira
A comprou para ser sua companheira
E a mulata, que era escrava
Sentiu forte transformação
Trocando o gemido da senzala
Pela fidalguia do salão
Com a influencia e poder do seu amor
Que superou a barreira da cor
Francisca da Silva do cativeiro zombou
No arraial do Tijuco
Lá no estado de Minas
Hoje lendária cidade
Seu lindo nome é Diamantina
Onde viveu a Chica, que manda
Deslumbrando a sociedade
Com orgulho e capricho da mulata
Importante majestosa invejada
Para que a vida lhe tornasse mais bela
João Fernandes de Oliveira
Mandou construir um vasto lago
E uma belíssima galera
E uma riquíssima liteira
Para conduzi-la
Quando ia assistir à missa na capela

Uma Trova de Uberaba/MG
Tomás Bulhões

Por umas frinchas abertas
penetrava o sol, com gosto,
quando emergiu das cobertas
o claro sol do teu rosto!

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

FIM DE UM ROMANCE

O fim de um romance é de tristeza e dor,
Eu conheço bem isto, porque já perdi,
Na vida um amor.

Como a gente sofre, como a gente luta,
Para esquecer o amor perdido, que infelizmente,
Já partiu pra longe, mas que sempre,
Fica no peito escondido.

Este amor que amei e que pelo qual,
Ainda sofro, me traz o conforto,
Por tê-la amado tanto, quantas, e quantas vezes,
Eu também chorando, enxugava beijando,
Dos seus olhos o pranto.

Um Haicai de São Paulo/SP
Eunice Arruda

No campo queimado
ainda uma leve fumaça
Tronco resistindo

Uma Trova de Itabaiana/PB
Trigueiro Lins

Só um sorriso, e mais nada,
aos olhos transmite brilho:
é o de uma mãe, debruçada
num berço, ninando o filho...

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

A TARDE ERA BELA

A tarde era bela, o sol radiante.
Tu estavas exultante de felicidade.
O vento soprava teus belos cabelos.
Mas tu não aceitavas tal leviandade.

E o vento atrevido brincando contigo.
Acariciava teu rosto com satisfação!
Embora sabendo que não aceitavas,
Mas ele não via outra predileção

Até porque solitário e sem saber a aonde ir.
Encontrou-te naquela tarde…
E apaixonou-se por ti…

Afagando teu rosto e os teus cabelos dourados.
Partiu para muito longe solitário!
E apaixonado…

Hinos de Cidades Brasileiras
Tatuí/SP

Tatuí, Cidade Ternura,
Terra querida onde vivemos
Tens filhos de grandes méritos,
É justo que os louvemos:
Nas letras, Paulo Setúbal,
Recebeu seu galardão;
Na caridade, Chico Pereira,
Foi exemplo de cristão.

No verde-esmeralda das melancias
No amarelo-ouro do abacaxi
Lembramos a Bandeira do Brasil
Nas colheitas de Tatuí.
Tatuí do XI de Agosto
Tatuí da Festa de São Jorge,
A ternura é a tua carga, o coração o teu alforje
A ternura é a tua carga, o coração o teu alforje

No progresso industrial,
Manoel Guedes foi pioneiro;
Na música, Nacif e Bimbo
Brilharam no estrangeiro;
No pólo e no futebol,
Na justiça e na arte
No carnaval e no fandango,
Tatuí fez estandarte.

No verde-esmeralda das melancias
No amarelo-ouro do abacaxi
Lembramos a Bandeira do Brasil
Nas colheitas de Tatuí.
Tatuí do XI de Agosto
Tatuí da Festa de São Jorge,
A ternura é a tua carga, o coração o teu alforje
A ternura é a tua carga, o coração o teu alforje

Uma Trova de Belém/PA
Tapajós de Araújo

Tange o vento, em luta franca,
as penas que a ave soltou,
mas ninguém do peito arranca
penas que o tempo deixou.

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

TEUS OLHOS VERDES

Teus olhos verdes, cor de esmeralda…
Teus lábios vermelhos, cor de carmim,
Inspiram-me desejos dos mais tentadores,
Eu sei que não queres que seja,
Mas eu vejo assim.

És toda perfeita, de corpo atraente,
Tua pele clara te faz linda demais,
Faz que morra de amores por ti,
Pois nunca tinha visto alguém igual.

Tua simplicidade teu jeito de ser,
Faz-te não querer ser notada ou amada,
Mas quero que saibas que mesmo não tendo.
Este direito eu tive a felicidade de entrares,
No meu peito e fazeres morada.
 

A chuva beijando o chão
o ventre da terra alcança
e é joia que no sertão
reluz em tom de esperança!…

A Natureza hoje chora
a cruel devastação
que faz o verde ir embora
e veste de cinza o chão !...

A nossa vida depende
de cuidas da Ecologia,
assim o verde resplende
em luz de infinda magia!

Ante os golpes do destino
jamais curve sua fronte,
olhe o pinheiro, menino,
tão altivo no horizonte !...

Ao ouvir a canção da alma
quando o silêncio se faz
sinto invadir-me tal calma
que encontro enfim minha Paz!...

As cordas de minha lira
levam-me a um mundo risonho
onde a saudade suspira
no doce embalo do sonho!...

A Trova é tão pequenina
mas quanta beleza encerra;
feliz de quem tem a sina
de espalhá-la pela Terra!...

Em sua onda cristalina
que nos afasta o conflito,
a Música nos fascina
e tem sabor de infinito!

É qual folha solta ao vento
o verso que diz minha alma:
– nem sei se tenho talento,
só sei que um verso me acalma!…

E quando nos falta o Amor
o mal vem logo em seguida,
tudo é treva, tudo é dor,
sem uma luz nesta Vida!...

Esta magia da Trova
um feitiço até parece,
tem a luz que a alma renova,
tem o encanto de uma prece !

Estes campos verdejantes
de minha terra querida
são esmeraldas brilhantes
a colorir minha Vida!...

Eu fui minha alma entregar
todinha para a Poesia
e assim achei meu lugar
num mundo só de magia!

Já perdida na distância
mas esquecida jamais:
adeus… adeus, minha infância,
adeus… até nunca mais!…

Maior conquista na vida
não é fama nem riqueza,
mas sim a vida vivida
para o Bem, para a Beleza!…

Marque presença na vida
pelas ações que pratica,
lembre: na hora da partida,
você vai… sua obra fica!

Meu veleiro de ilusões
singra os mares desta vida
e vencendo os vagalhões
talvez ache, enfim, guarida!…

Minha mais doce ilusão
é pensar que sou feliz
sem saber que o coração
fez de mim o que bem quis !...

Música que nos acalma
é sublime inspiração
a tanger nas cordas d’alma
pelas notas da emoção!

Não existe mais pureza,
mais encanto e mais calor
do que assistir a beleza
do despertar de uma flor!

Nas coisas simples que faço
tristeza não me pões véu:
– procurando meu espaço,
eu penso chegar ao céu!…

No gérmen que se faz planta
a promessa é chama acesa
dourando o trigo que encanta
e que põe o pão na mesa !...

Nos mistérios deste outono,
as folhas caindo ao chão,
tecem colchas de abandono
que envolvem minha ilusão! ..

Nossa vida é só ilusão
e o tempo é quem nos conduz
até o fim dessa missão
rumo a um tempo só de luz!…

Nos vendavais deste outono,
as folhas caindo ao chão
tecem colchas de abandono
que envolvem minha ilusão.


Pobre floresta que chora
sua alma triste, enlutada,
e vê seu verde ir embora
nas cinzas de uma queimada!

Quando a prata do luar
cintila seu brilho infindo
no imenso dorso do mar,
não sei de nada mais lindo!

Quando tudo terminar,
quando o sonho tiver fim,
quando nada mais restar…
brilha uma luz mesmo assim!…

Se tu quiseres ter paz,
esquece a dor e a agonia:
– o ontem já não volta mais,
sempre haverá novo dia!

Uma cabana, um amor,
um pedacinho de chão,
um mundo com muita cor
é sonho que sonho em vão!…

Um mundo melhor quisera
onde houvesse amor e paz,
mas bem sei que isto é quimera,
– não passa de um sonho audaz!

Um resquício de saudade
traz alento à nossa dor
pois revive na verdade
um velho sonho de amor!…

Veloz vento vagabundo,
por onde vais, meu rapaz?
Vais procurar pelo mundo
um cantinho onde haja Paz?…

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to