Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sexta-feira, 17 de julho de 2015

José Feldman (Chuva de Versos n. 412)


 
Uma Trova de Curitiba/PR
Nei Garcez
A maior sabedoria
de quem sabe o seu saber,
é saber que a cada dia
sempre tem o que aprender.
Uma Trova de Belo Horizonte/MG
Olympio Coutinho
Privado da liberdade,
o passarinho, a cantar,
exprime a dor da saudade,
já que não sabe chorar.

Um Poema de Maringá/PR
Alba Krishna Topan Feldman
OLHANDO PELA JANELA
A vida passa a seu redor, e continua,
Mas você está olhando para a rua.
Não se digna a olhar para ela,
Pois está olhando pela sua janela.
As coisas vão sempre mudando
Tudo está passando.
Milagres nascendo e morrendo
Tudo a seu redor, acontecendo.
O mundo está sempre girando
E você, apenas olhando.
Mas, nenhuma coisa o eleva e transporta
Nem quando a vida bate à sua porta
Te convidando a participar
De toda essa beleza sem par.
E você zomba dela
E continua pela janela.
O tempo passa e você ignora,
Eis que a morte vem chegando sem demora.
Você jogou sua vida pela janela
E a morte leva você com ela.
Uma Trova Humorística de Sorocaba/SP
Dorothy Jansson Moretti
Diz a centopeiazinha:
– Mamãe, me dói um dos pés…
– Mas qual deles, queridinha?
– Não sei… só conto até dez…
Uma Trova de Belo Horizonte/MG
Rita de Cássia Tozatto
“Dar murro em ponta de faca”,
não é uma boa atitude,
se argumentação é fraca,
tenha paciência e virtude.
Um Poema de São José dos Campos/SP
Amilton Maciel Monteiro
PEDRA BRUTA
Pedra bruta que sou me dá trabalho
tirar de mim as lascas a cinzel...
Quantas vezes já errei bastante o malho,
deixando uma das mãos feito um pastel!
Quantas vezes também que eu me atrapalho
e mando tudo para o beleléu...
Depois, se recomeço, já em frangalho,
só Deus sabe o quanto isto é tão cruel!
Foram, assim, dez lustros de labuta,
mas continuo apenas pedra bruta...
e mil pedaços já arranquei de mim!
Tomara que me venha alguém bem destro
e à lapidação coloque um fim,
para eu poder só labutar com o estro!
Uma Quadra Popular
Autor Anônimo
Eu não dou a mão, rapaz,
nem que seja meu parente.
Porque rapaz tem defeito
de apertar a mão da gente.
Uma Trova Hispânica de Cuba
Gisela Cueto Lacomba
Tiene música el palmar
cuando se mueve en la brisa,
y las olas sobre el mar
cuando veo tu sonrisa.
Uma Décima de Fortaleza/CE
Francisco José Pessoa
Quando mão espalmada pede esmola
e um olhar de piedade a ti alcança
correm lágrimas de desesperança
que a moeda tilinta e não consola
pois a fome cruel que mais assola
é a falta do ouvido fraternal
do bom dia! no parto matinal
do sorriso amoroso, de verdade,
pratiquemos irmãos a caridade,
para nossa família universal!
Trovadores que deixaram Saudades
Octávio Babo Filho
Rio de Janeiro/RJ (1915 – 2003)
A diferença que vejo
entre a virtude e o pecado:
– virtuoso - peca a varejo,
pecador - por atacado.
Uma Trova de Salvador/BA
Raymundo Salles Brasil
Da vida na caminhada
às vezes a gente chuta,
pensando não valer nada,
uma joia, apenas bruta.
Um Poema de Itajaí/SC
Samuel da Costa
SE UM DIA TU BATERES À MINHA PORTA
Para a negra Valquíria
Se um dia bateres à minha porta!
Tem cuidado!
Pois, a tua doce criança do amor eterno...
Pode não estar mais lá...
A tua espera!
Se um dia tiveres a insensatez...
De me procurares de novo.
Tem muito cuidado!
Eu posso estar em outro lugar.
Estar bem longe de ti...
E dos teus olhos famintos!
E dos teus versos etéreos.
Se um dia me procurares com avidez!
Para me render tributos ignotos!
Posso não estar em casa...
A tua espera...
Como sempre estive!
Posso ter me cansada!
Das tuas jornadas para além do infinito.
Se um dia por acaso!
Procurares por mim novamente!
Podes não me encontrara mais...
Onde sempre estive!
Pois a minha jovem alma martirizada!
Posso ter ganhado as ruas...
E me libertado da tua profana influência!
Se um dia por fim!
Decidires me procurar...
No meu vergel encantado
Para fazer juras de amor eterno!
A tua Deusa de Ébano...
Posso estar bem longe!
Uma Trova de Campos dos Goytacazes/RJ
Maria Zilnete de M. Gomes
Vejo a lua que desponta,
linda, iluminando a terra.
Ela jamais desaponta,
inspira amor e não guerra.
Um Haicai de São Paulo/SP
Eunice Arruda
Noite outonal!
Minha avó contando histórias
Na varanda. Agora.
Um Poema de Maringá/PR
Jaime Vieira
REMOÇAR
Neste sonho
de que não sou dono
vasto fica o meu devasso
coração.
Pelas janelas
das minhas ilusões
faço o mais que posso,
debruço sonhos
de um coração moço
e me remoço
com a poesia.
Uma Trova de Campos dos Goytacazes/RJ
Talita Batista
Todos precisavam ter
compromisso de cuidar
da vida de todo ser,
para mais feliz ficar.
Uma Aldravia do Rio de Janeiro/RJ
Messody Ramiro Benoliel
amor
vem
amor
vai
gangorra
constante
Um Soneto de Porto Alegre/RS
Gislaine Canales
SONETO PARA DELCY
Escrever um soneto bem bonito,
homenageando alguém muito especial
que na Literatura é mais que um mito,
me torna muito mais sentimental!
Então, navego rumo ao infinito,
encontro a bela rosa no rosal
e a colho, linda e pura como um rito,
para a este soneto dar aval!
E sigo nesta busca de emoção;
da onda azul do mar, pego o carinho,
e pego o amor do próprio coração!
Pego também, de amigos, a alegria,
para pôr, mestra irmã, em teu caminho,
em dezesseis de maio, no teu dia!
Uma Trova de Nova Friburgo/RJ
Joaquim Carlos
Senhor!… Que a minha pobreza
não seja assim tão vulgar,
que não possa ter, à mesa,
um pão… e a quem partilhar!
Uma Glosa de Catanduva/SP
Ógui Lourenço Mauri
É A PRIMAVERA CHEGANDO...
MOTE
As flores estão voltando,
colorindo tudo... Enfim,
é a Primavera chegando,
perfumando meu jardim.
José Feldman (Maringá/PR)
GLOSA
As flores estão voltando,
denunciam seus odores;
o vento chega mais brando
nos cenários multicores.
É a pintora Natureza
colorindo tudo... Enfim,
lindo toque de beleza
que, à mão de Deus, fica assim!
Meu astral se eleva quando
vejo toda essa pintura;
é a Primavera chegando,
como é linda enquanto dura!
Pena que, com tanto zelo,
falte uma flor para mim;
a rosa do teu cabelo
perfumando meu jardim.
Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres
AMAS A OUTRO
Como me ofuscas os olhos, oh iluminada!
Com esta luz que me faz embevecer...
Deixa-me em êxtase,
Transformas-me o ser.
Isto porque és toda encantamento!
Com esse sorriso que seduz a gente.
Deixa-me feliz e emocionado,
Mesmo sabendo que amas a outro,
E que por ti nunca serei amado.
Mas sou compreensivo e sei te entender,
Até porque o verdadeiro amor,
É divino e maravilhoso,
Quando ele chega não quer saber,
Se o ser humano é rei ou homem do povo.
Se ele é feio ou encantador,
Se ele é pobre ou tem dinheiro,
Quando ele chega...
Chega dominando,
Pois sua força é tal que se quiser,...
Domina o mundo inteiro.
Um Haicai de Paranapiacaba/SP
Fanny Luiza Dupré
(1911-1996)
Uivos. Noite escura.
Não suporta a onda de frio
o cão vira-lata.
Uma Trova de Jales/SP
Wandisley Garcia
Pelos olhares sensíveis,
se conhece um coração.
Nos detalhes percebíveis,
é que se mede a emoção.
Um Poema de Bauru/SP
João Batista Xavier Oliveira
À LÁGRIMA
Quando a esperança acorda um sonho leve
e o som da natureza se aprimora;
penumbras do passado vão embora
e o toque do relógio não se atreve...
Quando o aperto de mão à paz aflora
e a dúvida do amor torna-se breve;
o gelo da pintura vira neve
e o justo com justiça não demora...
Ressurgem as latentes pradarias;
os olhos não se enganam com a fala
e a liberdade enfim mais aparece.
Tertúlias fraternais noites e dias
lapidam o poeta que se exala
e à lágrima fervente desfalece.
Recordando Velhas Canções
País tropical
(1969)
Jorge Ben
Moro     
num país tropical    
abençoado por Deus
E bonito por natureza
mas que beleza,
em fevereiro, em fevereiro
Tem carnaval, tem carnaval,
tenho um fusca e um violão
Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza
Sambaby Sambaby
sou um menino de mentalidade mediana
Mas assim mesmo feliz da vida
pois eu não devo nada a ninguém
Pois sou feliz, muito feliz, comigo mesmo
Moro     
num país tropical    
abençoado por Deus
E bonito por natureza
mas que beleza,
em fevereiro, em fevereiro
Tem carnaval, tem carnaval,
tenho um fusca e um violão
Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza
Sambaby Sambaby
eu posso não ser um band leader, pois é
Mas lá em casa todos meus camaradas me respeitam, pois é
E essa é a razão da simpatia de poder do algo mais e da alegria
(repete tudo 2x)
Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza  (4x)
Moro     
num país tropical    
abençoado por Deus
E bonito por natureza
mas que beleza,
em fevereiro, em fevereiro
Tem carnaval, tem carnaval,
tenho um fusca e um violão
Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza
Uma Trova de Juiz de Fora/MG
José Messias Braz
Percorro em dias tristonhos,
na contramão do destino,
a estrada feita de sonhos
dos meus tempos de menino!
Um Poema de Uberlândia/MG
Raquel Ordones
DUENDES E FADAS
Eu queria vê-los, queria tê-los de estimação.
É que cresci; não os sinto mais encantados.
Nada restou só uma realidade da ilustração.
Os sonhos da mente fizeram-se passados.
Não tenho mais aquela imaginação... Sei lá
Embora tendo uma menina dentro de mim
E tudo tem mudado de uns tempos para cá
Até duvido de uns nãos; por parecerem sim.
O que resta é essa poesia que em mim mora
Essa que me deixa escrever até sobre o além
Então, pois é, essa que me faz assim tão bem.
Duendes? Eu queria tocar-lhe o rosto agora
E que viesse à tona meu desejo mais inocente
Olho para o céu e papai Noel não é presente.
Um Haicai de Belo Horizonte/MG
Hana Haruko
Ai, cai nova pétala
mas nasce uma nova folha
chão fertilizado...
Uma Trova de Nova Friburgo/RJ
Edmar Japiassú Maia
Um símbolo enfeita o flanco
da esquadra que enfrenta o mar...
É a imagem do Cisne Branco
sob a réstia de luar!
Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata
VIDA
Só sabe que a vida é
tudo na vida da gente
quem na vida, pela fé,
vive a vida plenamente;
e aquela vida vivida
sem vida se faz ausente,
pra dar uma nova vida
à vida do ser vivente!
Uns dizem ser só conversa
mole de quem se diz crente;
para mim pouco interessa,
me basta viver... contente!
Hinos do Brasil
Estado do Acre
Que este sol a brilhar soberano
sobre as matas que o veem com amor,
encha o peito de cada acreano
de nobreza, constância e valor.
Invencíveis e grandes na guerra,
imitemos o exemplo sem par
do amplo rio que brilha com a terra
vence-a e entra brigando com o mar.
Fulge um astro na nossa bandeira,
que foi tinto com sangue de heróis.
Adoremos na estrela altaneira,
o mais belo e o melhor dos faróis.
Triunfantes da luta voltando,
temos n'alma os encantos do céu
e na fronte serena, radiante,
o imortal e sagrado troféu.
O Brasil a exultar acompanha
nossos passos, portanto é subir,
que da glória a divina montanha
tem no cimo o arrebol do porvir.
Fulge um astro na nossa bandeira,
que foi tinto com sangue de heróis.
Adoremos na estrela altaneira,
o mais belo e o melhor dos faróis.
Possuímos um bem conquistado
nobremente com armas na mão,
se o afrontarem, de cada soldado
surgirá de repente um leão.
Liberdade é o querido tesouro
que depois do lutar nos seduz,
tal rio que rola, o sol de ouro
lança um manto sublime de luz.
Fulge um astro na nossa bandeira,
que foi tinto com sangue de heróis.
Adoremos na estrela altaneira,
o mais belo e o melhor dos faróis.
Vamos ter como prêmio de guerra
um consolo que as penas desfaz,
vendo as flores do amor sobre a terra
e no céu o arco-íris da paz.
As esposas e mães carinhosas,
a esperar-nos nos lares fiéis,
atapetam as portas de rosas
e, cantando, entretecem lauréis.
Fulge um astro na nossa bandeira,
que foi tinto com sangue de heróis.
Adoremos na estrela altaneira,
o mais belo e o melhor dos faróis.
Mas se audaz estrangeiro algum dia,
nossos brios de novo ofender,
lutaremos com a mesma energia,
sem recuar, sem cair, sem temer.
E ergueremos então destas zonas,
um tal canto vibrante e viril,
que será como a voz do Amazonas
ecoando por todo o Brasil.
Fulge um astro na nossa bandeira,
que foi tinto com sangue de heróis.
Adoremos na estrela altaneira,
o mais belo e o melhor dos faróis.
Uma Trova de Nova Friburgo/RJ
Sérgio Bernardo
Sou cisne branco e a saudade
fez-se um lago de amarguras,
onde a vida quer que eu nade
pelas águas mais escuras.
Um Poema de Bandeirantes/PR
Lucília Alzira Trindade Decarli
CONCEPÇÃO DE AMOR
Quando um amor verdadeiro
encontra a cumplicidade,
doa-se, ali, por inteiro,
nas asas da liberdade!…
Concebo o amor que chega, verdadeiro,
puro e sincero em plena luz do dia,
que é carinhoso rente ao travesseiro
e aconchegante em madrugada fria!…
Concebo o amor fiel, que desafia
as leis cruéis que o querem prisioneiro;
que embora sério, só traz alegria,
basta a si mesmo e segue adiante, inteiro.
Deploro o amor que vem pela metade,
preconceituoso, cheio de vaidade,
preso a ditames que provocam dores…
Exalto o amor que, destemido, avança,
que abraça a luta sem desesperança
e se assemelha à flor, que é vida em cores!

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to