Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 29 de novembro de 2015

Chuva de Versos n. 437



Uma Trova de Ponta Grossa/PR
Sônia Maria Ditzel Martelo
.
Ao ouvir a canção da alma
quando o silêncio se faz
sinto invadir-me tal calma
que encontro enfim minha Paz!...
________________________
Uma Trova de Bauru/SP
João Batista Xavier Oliveira
.
Tua mão quando desliza
no meu rosto preocupado
tem a carícia da brisa
soprando um corpo molhado!
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O GATO, A COXA DE FRANGO E O VOVÔ
.
Falou a Claudinha:
.
- Vovô, a coxa de frango
Não está sobre a mesa,
.
E eu sei quem comeu meu frango,
e não foi um orangotango.
.
Foi meu gato, foi meu gato,
foi esse gato malandro.
.
O vovô estava bebendo
um suco de morango, e falou:
.
- Não foi ele, minha querida,
Fui eu quem comeu o frango!
.
A menina ficou acanhada
Porque havia culpado o gato
.
E como todos sabem
Errar é muito chato.
.
Então o avô dela falou
Com muita sapiência:
.
- Nisso é que vejo uma lição,
Nunca julgar pelas aparências.
________________________
Uma Trova Humorística de Belém/PA
Antonio Juraci Siqueira
.
Entre os chatos eu aponto
um que a todos aporrinha
ao dizer: - "Eu nem te conto!..."
E conta a vida inteirinha!...
________________________
Uma Glosa de Porto Alegre/RS
Gislaine Canales
.
Mote:
Triste, a lua apaixonada
se esconde no céu moreno,
e a branca face marcada
chora gotas de sereno.
Dorothy Jansson Moretti (Sorocaba/SP)
.
Glosa:
Triste, a lua apaixonada
envolvida em solidão,
ansiosa, amargurada,
se vê só, na escuridão.
.
Um disfarce procurando,
se esconde no céu moreno,
e vai pelo céu girando
naquele espaço pequeno.
Segue assim sua jornada,
recordando um grande amor,
e a branca face marcada
mostra as marcas desse amor.
.
Por estar assim tristonha
nessa solidão veneno,
nem sonhar mais ela sonha,
chora gotas de sereno.
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
A GATINHA COMILONA
.
A bandeja está vazia,
Cadê a gata comilona?
.
Eu sei que não foi uma baleia,
Tampouco foi a vó Doroteia,
E eu sei que não foi um camaleão
Eu sei que não foi um tubarão,
Tampouco foi um falcão,
Nem foi um astuto ladrão.
.
Cadê minha linda gatinha?
Minha gata está na poltrona.
Encontrei a espertalhona!
E ela ainda está mordendo
um pedaço de meu gostoso empadão.
________________________
Uma Cascata de Trovas de Fortaleza/CE
Nemésio Prata
.
Enquanto ouvirmos um canto
de passarinho, em sonatas,
resta esperança, portanto:
cuidemos de nossas matas!
..
A faca já foi guardada,
a motosserra também,
a foice dependurada,
para todo o sempre.. Amém!
..
Também guardei o machado,
que tanto estrago já fez
na nossa mata, e o danado
agora já não tem vez!
..
Resta ao homem, finalmente,
deixar de ser o ator
principal desta indecente
tragédia: "O Destruidor"!
 Um Haicai de Santa Juliana/MG
___________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O GATO: O DONO DA CASA
.
o gato sapeca
pula sobre a cama
e morde uma boneca
.
a boneca é da menina Maneca
Maneca expulsa o gato
do quarto
.
e o gato corre para a cozinha
pula sobre a mesa
e lambe a panqueca
.
a mãe da Maneca
expulsa o gato da cozinha
o gato corre pela sala
.
e muito cansado
deita no sofá
para tirar uma soneca
________________________

Trovadores que deixaram Saudades
Luiz Otávio
Rio de Janeiro/RJ (1916 – 1977) Santos/SP
.
Festejo tanto e bendigo
vitórias que os outros têm,
que a vitória de um amigo
parece minha também!
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O GATO MALHADO
.
Ficou triste e solitário
o lindo Gato Malhado!
.
Ele vivia estressado,
por isso ele perdeu
uma linda namorada
para um lindo Gato preto
que gostava de contar piadas.
.
Mas ele aprendeu a lição,
e quando conheceu Anabela,
ele contou uma piada
e até cantou uma canção:
Miau, miau, miau, miau.
.
E o lindo Gato Malhado
encontrou seu grande amor.
________________________
Uma Cascata de Trovas sobre (mas não só) o CVV*, de Mogi-Guaçu/SP
Olivaldo Júnior
.
Nesse tempo conturbado,
tantos casos de homicídio!...
Mas, ao fone, doutro lado,
dizem "Basta!" ao suicídio.
.
Dar valor ao sentimento
de quem fala de si mesmo
torna leve o sofrimento
de quem leva tudo a esmo...
.
Desabafo de um poeta
é cantar sem ter motivo
que atingiu a sua meta
de ser morto sendo vivo.
CVV = Centro de Valorização da Vida
________________________
Um Haicai de Vitória/ES
Humberto del Maestro
.
Não é meia-noite
e as mariposas cansadas
já dormem nas praças.
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
CADÊ O GATO?
.
Cadê o gato?
Cadê o gatinho?
Ele gosta de carinho,
ele gosta de correr
e assustar os passarinhos.
.
Cadê o gato?
Cadê o gatinho?
O gato Freddi não gosta
de ficar em casa sozinho,
ele prefere o quintal
para brincar com os sapinhos.
.
Cadê o gato?
Cadê o gatinho?
Achei o gatinho, meus amigos,
ele estava no meu quarto
e quebrou meu cavaquinho!!!
Um Haicai de Magé/RJ
Benedita Azevedo
.
veraneio fraco -
da rede cheia de peixes
nasce a esperança
________________________
Uma Trova de Porto Alegre/RS
Milton Souza
.
Milagre é tudo na vida
e universos paralelos...
Nossa amizade é jazida:
um dos milagres mais belos..
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O CACHORRO E O GATO
.
Miau, miau, miau.
.
O gato do vizinho
comeu a comida
do meu cãozinho.
.
Miau, miau, miau.
.
O gato atrevido
caminhou pela calçada
pulou o muro,
colocou o focinho
no prato do cão
e acabou rapidinho
com a carne e o pão.
.
Auu, auu, auuuuu.
O cachorro chegou latindo,
o gato subiu na árvore
e o cachorro começou a grunhir.
.
Grrr, grrr, grrr.
.
O vizinho foi camarada
e deu um lanche
para o cachorrinho.
.
Splts, splts, splts.
.
O cachorro lambeu
o prato de comida
e mexeu o rabo com alegria.
________________________
Recordando Velhas Canções
Rosa de Hiroshima
(1973)
Gerson Conrad e Vinícius de Moraes
.
Pense nas crianças mudas,telepáticas    
 Pense nas meninas cegas inexatas
 Pense nas mulheres, rotas alteradas   
 Pense nas feridas como rosas cálida
 Mas! Só não se esqueça da rosa, da rosa
 Da rosa de Hiroshima, a rosa hereditária
 A rosa radioativa, estúpida inválida
 A rosa com cirrose a anti-rosa atômica      
 Sem cor, sem perfume, sem rosa, sem nada.
________________________
Uma Trova de São Francisco de Itabapoana/RJ
Roberto Pinheiro Acruche
.
Vem morena, vem agora,
não resisto à solidão!
Eu canto e a viola chora,
vem me dar seu coração…
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O GATO SAPECA
.
Sobre o muro de pedra
corre o gato.
.
Sobre o velho telhado
corre o gato.
.
Pela janela aberta
entra o gato.
.
Sobre as teclas do piano
corre o gato.
.
Sobre a estante de madeira
pula o gato.
.
Sobre a mesa de jacarandá
come o gato.
.
Sobre a almofada do sofá
dorme o gato.
.
Sobre as nuvens dos sonhos
pula o gato.
.
No universo dos sonhos
brinca o gato.
________________________
Uma Trova de Bauru/SP
Eulinda Barreto Fernandes
.
Há um renovar de energia
e um futuro de esperança,
ao sentir, na mão macia,
o carinho da criança!
________________________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O CACHORRINHO SAPECA
.
Pelo pátio de pedra
corre o cachorro
.
Pela rua deserta
corre o cachorro
.
Ouve um miado
e vê um gato gordo
.
O cachorro persegue
o gato e sobe o morro
.
De repente percebe a gataria
e termina sua alegria
.
O cachorro assustado
corre como um tornado
.
Esconde-se numa academia
e aprende a fazer acrobacia
________________________
Hinos de Cidades Brasileiras
Alagoinhas/BA
.
No diadema da Pátria adorada,
Como jóia brilhante gracil,
Alagoinhas será apontada
Para honra do nosso Brasil.
.
Ao trabalho, à luta gigante,
Na conquista suprema do bem,
Sempre unidos marchemos avante
Que a vitória depressa nos vem.
.
E cantemos com ardor,
Sob o céu primaveril,
Hosana a Alagoinhas
A Bahia e ao Brasil.
.
Na planície suave, ondulante,
Bafejada de brisa sutil,
Se distante formosa e constante
Devotada ao amor do Brasil
.
Ao trabalho, à luta gigante,
Na conquista suprema do bem,
Sempre unidos marchemos avante
Que a vitória depressa nos vem.
.
E cantemos com ardor,
Sob o céu primaveril,
Hosana a Alagoinhas
A Bahia e ao Brasil.
.
Da Bahia será filha ditosa
Que mais louros na fronte terá,
Pois seus filhos a farão orgulhosa,
No labor que o progresso trará
.
Ao trabalho, à luta gigante,
Na conquista suprema do bem,
Sempre unidos marchemos avante
Que a vitória depressa nos vem.
.
E cantemos com ardor,
Sob o céu primaveril,
Hosana a Alagoinhas
A Bahia e ao Brasil.
.
Do caminho seguro, confiante
No progresso que abraça febril,
Vai marchando altaneira, anelante,
Pela glória do nosso Brasil.
.
Ao trabalho, à luta gigante,
Na conquista suprema do bem,
Sempre unidos marchemos avante
Que a vitória depressa nos vem.
.
E cantemos com ardor,
Sob o céu primaveril,
Hosana a Alagoinhas
A Bahia e ao Brasil.
________________________
Uma Trova de Curitiba/PR
Vanda Fagundes Queiroz
.
Pobre orelhinha ferida,
já sofreu tanto puxão...
mas, quando quem puxa é a vida,
sempre ensina uma lição!
______________
Um Poema Infantil de Curitiba/PR
Isabel Furini
.
O GATO FUJÃO
.
o gato quebrou um prato
um prato foi quebrado pelo gato
.
depois correu pela casa
e a dona do gato ficou zangada
.
o gato de imediato
fugiu para um pensionato
.
um velhinho do pensionato
queria ficar com o gato
.
mas o gato era travesso
e quebrou a estátua de gesso
.
quando chegou a mucama
o gato (assustado) fugiu
.
o gato voltou para sua casa
deitou na cama (sem usar pijama)
.
e dormiu tranquilamente
e o pobre velhinho pensava:
.
Por que esse gato fugiu?
Será que estava doente?

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to