Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 20 de dezembro de 2015

Chuva de Versos n. 439



Uma Trova de Maringá/PR
Cônego Benedito Vieira Telles
 .
Frondosa árvore, bendita,
que antepassados plantaram.
Árvore alegre, bonita,
de ti saudades ficaram!
________________________
Uma Trova do Rio de Janeiro/RJ
Josafá Sobreira da Silva
 .
Vou expor verdade franca,
peça a Deus para entendê-la:
– quem da terra a flor arranca
no céu, ofende uma estrela.
________________________
Um Poema de Maringá/PR
José Bidóia
 .
PEDACINHO DE ESTRELA
 .
Ela é mais que feminina,
é um pedacinho de estrela,
com jeito de paz divina,
que caiu no meu caminho
e nem sei porque caiu,
talvez pra fugir do frio,
dos corações masculinos,
corações sem charme,
sem romantismo,
sem catecismo do amor,
que hoje em dia é tão comum,
eu juro que era mais um,
até encontrar com ela,
juro não tinha janela,
dentro do meu interior,
para ver o mundo e a vida,
nem um ponto de partida,
ou luz mesmo que de vela.
________________________
Uma Trova de São Gonçalo/RJ
Gilvan Carneiro da Silva
 .
Mesmo que a tantos iluda
com diversas abordagens,
história de amor não muda,
mudam só os personagens.
________________________
Um Poema de Bandeirantes/PR
Lucília Alzira Trindade Decarli
 .
AUSÊNCIA
 .
Senti que a ausência doída
ganhou maior dimensão
ao constatar minha vida
ausente em seu coração!
 .
Você, que foi presença em minha vida,
mas foi embora sem dizer-me adeus,
por avaliar, talvez, que a despedida
traria a dor crucial dos lábios seus…
 .
Você, que no momento da partida
não se furtou de olhar nos olhos meus,
fez-me pensar ainda ser querida,
quase gritar: – “não vá, fique, por Deus!”
 .
Ante o silêncio imposto entre nós dois,
pairou a dúvida cruel, depois:
– quem, a este amor, negou vital clemência?…
 .
– Quem pouco amou! – Constato, ao responder:
– menos amando, não pôde entender
quem mais sofreu a dor que trouxe a ausência!
___________________
Uma Trova de São Paulo/SP
Héron Patrício
 .
Não botem fogo na cana,
peço ecologicamente:
– que a cana boa e bacana
é que põe fogo na gente…
____________________
Uma Quadra de Barreiro/Portugal
Victor Manuel Capela Batista
.
Da escola tenho saudade
e do tempo que lá andei,
porque foi lá de verdade
qu’ a ser homem comecei.
_______________________
Uma Trova Hispânica da Argentina
Alicia Borgogno
 .
Blancos, negros, amarillos,
en un cambio de verdad,
bajo un sol pleno de brillos
se abrazan en igualdad.
________________________
Um Poema de Curitiba/PR
Lúcia Constantino
 .
PERCURSO
 .
Da solidão à comédia humana
há o desafio da cama
uma noite que vai
um fio de cabelo que cai
uma poesia mal feita
um peito que não aleita
um sorriso que trai
um andar verde e amarelo
um chinelo velho
um rosto que se desfaz
e um chão sempre presente
onde enfim dormirá a semente
no seu regresso à paz.
________________________
Trovadores que deixaram Saudades
Antonio Roberto Fernandes
São Fidelis/RJ (1945 – 2008) Campos dos Goytacazes/RJ
 .
Xepeiro de olhos tristonhos,
à noite, exausto e sozinho,
cato no chão dos meus sonhos
a xepa do teu carinho.
________________________
Uma Trova de Santa Juliana/MG
Dáguima Verônica
.
Passa o dia, morre a tarde
nos braços da solidão…
Finda o sonho sem alarde
nas cordas do violão!
________________________
 Uma Trova de Belo Horizonte/MG
Wanda de Paula Mourthé
 .
“Deixa esse amor que te mata!”
− É o que a prudência me diz,
mas antes ser insensata
que ser sensata e infeliz!
________________
Um Poema de Itanhaém/SP
Filemon F. Martins
 .
INCURÁVEL
 .
Talvez não haja remédio
em toda a medicina,
nem magia ou terapia
nem mesmo a psiquiatria
que possa curar
ou aliviar a dor
de quem está doente
e na alma sente
os desencantos do Amor.
________________________
Uma Trova de São José dos Campos/SP
Amilton Maciel Monteiro
.
Eu vou plantar um jardim,
mas não em lugar qualquer;
vou plantar dentro de mim
e atrair minha mulher.
Um Haicai de Curitiba/PR
Álvaro Posselt
.
Diante do espelho
minhas olheiras me olham
com olhar de cansado
________________________
Uma Trova de Curitiba/PR
Vanda Fagundes Queiroz
.
Não sei quem é mais feliz,
quem é mais abençoado:
– Se é quem recebe ou quem diz
um simples “muito obrigado”.
_________________
Um Soneto de Sorocaba/SP
Dorothy Jansson Moretti
 .
“PONTE TERRA-INFINITO”
 .
Olho o horizonte onde a estrada termina
e vejo nuvens fofas voluteando,
um grande e negro pássaro voejando
entre a orla do céu e a da campina.
 .
Lembro os versos do poeta que cantando
o Amor e a Natureza, nem atina
que às frágeis cordas da lira divina,
vai o Infinito à Terra acorrentando.
 .
“Ponte Terra-Infinito” são os versos
que repercutem pelo ar, dispersos,
brotando de sadia inspiração…
.
Ponte Infinito-Terra separando,
e ao mesmo tempo as pontas amarrando
da Fantasia às pontas da Razão.
________________________
Uma Trova de São Simão/SP
Thalma Tavares
 .
Velho é quem, preso ao cabresto
de paixão não assumida,
busca na idade um pretexto
para ausentar-se da vida.
_____________________
Um Haicai de São Paulo/SP
Eunice Arruda
.
Solidão no inverno
o velho aquece as mãos
com as próprias mãos
________________________

Uma Trova de Mendes/RJ
João Felício dos Santos
 .
Se te trato com rudeza,
com acrimônia, azedume,
é que Deus te deu beleza
e depois me deu ciúme!
________________________
Um Poema de Matão/SP
José Júlio Fernandes
 .
ILUSÃO DE MARIPOSA
 .
Impulsiva, incauta, bem imprudente,
ofuscada pelo brilhar da luz,
debatendo-se, indo à morte, luzente
a mariposa, que o calor seduz.
 .
Certamente imaginou ter prazer
na fornalha mortal muita enganosa,
como se a morte, seria o viver,
como se destruição fosse proveitosa…
 .
Banal, infeliz, assim ignorando
mais e mais, debatendo e se afogando
exaurindo forças, entorpecida
 .
como a menina, na sua flor da idade,
que, inebriada – prazer da cidade,
ganhasse algo na atitude suicida…!!!
________________________
Uma Trova de Belo Horizonte/MG
Luiz Carlos Abritta
.
Eu te agrado, tu me agradas,
e, no doce cativeiro,
sem algemas, sem ciladas,
tu me prendes por inteiro!
_____________________________
Recordando Velhas Canções
A cigana
(1973)
 .
Roberto Carlos e Erasmo Carlos
 .
Na distância vi seu vulto desaparecer
Nunca mais seu rosto eu pude ver
Na distância vi seu vulto desaparecer
Nunca mais seu rosto eu pude ver
 .
Uma vez você apareceu na minha vida
Eu não percebi você de mim se aproximar
Não sei de onde você veio e nem perguntei
Talvez de alguma estrada que eu ainda não passei
 .
Seu olhar me disse tanta coisa num momento
Parecia que podia ler meu pensamento
E no seu sorriso mil segredos percebi
Então nos seus mistérios de repente me perdi
 .
Minha mão você nas mãos a conheceu
Minha vida inteira e o seu encanto me envolveu
Toda minha história leu nas linhas que mostrei
O que estava escrito e o meu amor eu lhe entreguei
 .
Hoje você anda por lugares que eu não sei
Vive nos meus sonhos e nas lembranças que guardei
Disse tanta coisa quando leu a minha mão
Você só não previu a minha solidão
________________________
Uma Trova de Arapongas/PR
André Ricardo Rogério
.
Ah, que bonito escarcéu…
Gralha Azul… Panapaná…
A certeza está no céu:
– Deus mora no Paraná!
________________________
Um Poema de Santos/SP
Cláudio de Cápua
 .
MEU SONHO
 .
Poeta, tenho um sonho suspenso,
quero ser pássaro!
Não quero ter, do homem da terra,
os lastros.
Pássaro, irei viver meus dias
junto dos astros!
E, além das estrelas,
flutuando no azul,
não deixarei rastros.
________________________
Uma Trova de Maringá/PR
Eliana Palma
 .
No volume das queimadas
vaga o lume pelo chão:
– iluminando as roçadas,
vaga-lumes de carvão!
_____________________
Um Poema em Décimas, de Fortaleza/CE
Nemésio Prata
.
SOBRE O POEMA “MENSAGEM NA GARRAFA”,
DE JOSÉ FELDMAN
 .
É fato, e vou confessar:
logo que vi a garrafa
preparei minha tarrafa
para a "perdida" pescar,
e sua rolha tirar.
Que segredo ela traria:
números da loteria
um mapa de algum tesouro,
quem sabe a milhar do touro...
era tudo o que eu queria!
 .
Ao abrir a garrafinha,
boiando em meus pensamentos,
lembrando dos velhos tempos
de criança; olho a folhinha:
pois o 12 se avizinha!
Mas para surpresa minha
ao ler a primeira linha
vem-me aos olhos um poema
de uma singeleza extrema:
a gota rolou sozinha!
 .
Fala de alma e poesia.
fala de versos diversos,
fala de chuva de versos,
de tristeza e de alegria:
não foi pouca a agonia!
Aumentou a pulsação
do meu velho coração.
que não é mais de criança
e já não aguenta a "dança",
mesmo valsa, da emoção!
 .
Não é para qualquer um
este dom maravilhoso,
diria..., miraculoso,
de nos brindar, em jejum,
tão gostoso desjejum.
No mar da imaginação
esse nosso ilustre irmão
Poeta do Paraná,
ou melhor, de Maringá,
vai buscar inspiração!
___________________
Uma Trova de São Francisco de Iatabapoana/RJ
Roberto Pinheiro Acruche
 .
Palpite não é dinheiro,
se fosse, eu estava bem…
Pois o que há de palpiteiro,
só me enchendo, como tem!
________________________
Um Poema de Curitiba/PR
Maria da Luz Portugal Werneck
 .
BOLHAS DE SABÃO
 .
Eram leves, suaves, frágeis, belas…
Na mesma rapidez com que subiam,
Vermelhas, azuis, roxas e amarelas,
As bolhas de sabão se dissolviam.
 .
Com elas eu voava em pensamento…
Chegava aos céus, aos píncaros dos montes
Envolta no mais doce encantamento
Descortinando novos horizontes…
 .
Levaram devaneios e esperanças,
Levaram, também, cores e a magia
Do meu mundo de risos e bonanças
 .
Deixaram-me, entretanto, uma lição:
Assim na vida, são os nossos sonhos,
Mil bolhas coloridas de ilusão.
________________________
Uma Trova de Curitiba/PR
Wandira Fagundes Queiroz
 .
Tem-se às vezes na batalha
uma vitória aparente,
pela conquista que espalha
derrota dentro da gente.
___________________
Hinos de Cidades Brasileiras
Água Clara/MS
 .
Trabalho, pujança e fé
Nasceram dos desbravadores
Que aqui, vieram se instalar
E a semente da esperança
Com os trilhos da NOB
Conseguiram semear.
 .
Pecuária, madeira, agricultura e o carvão
Que ostenta esta rica região
É o celeiro de fartura
Que reflete no nosso Brasão.
 .
Conduzindo brilhantemente
O futuro dessa gente ordeira
Que cultuamos com civismo e amor
Carregando no peito o orgulho
Da riqueza do nosso labor.
 .
Nós somos a estrela dourada
Que brilha no céu da esperança
Transmitindo bondade e pureza
Que se encontra no sorriso de uma criança.
 .
Água Clara, terra querida
Cheia de belezas mil
Recebe de braços abertos
Os filhos de todo Brasil.
________________________
Uma Trova de Maringá/PR
A. A. de Assis
 .
Benditas sejam as vidas
que, alegres, serenas, santas,
vivem a vida envolvidas
em levar vida a outras tantas!
______________
Um Poema de São Paulo/SP
Therezinha Dieguez Brisolla
 .
Meu Credo
 .
Nesta vida conturbada,
sinto-me um tanto acanhada
e até com certo receio
de lhe dizer que ainda sonho
e, por sonhar, me disponho
a lhes falar no que creio.
 .
Creio em Deus Onipotente,
que dá liberdade à gente
– cada qual faz o que quer -
Por isso eu peço e agradeço
e, por ver que não mereço,
eu digo “Se Deus quiser…”
 .
Eu creio na Pátria amada,
nesta terra abençoada
que um dia me viu nascer.
Por este país me inflamo
e, para mostrar que o amo,
tento cumprir meu dever.
 .
Creio no amor à família,
na mãe que, à noite, em vigília,
sussurra doce estribilho…
No pai que trabalha tanto
e chora seu desencanto
por dar tão pouco ao seu filho.
.
Creio, também, no futuro
e por crer é que procuro
com otimismo viver,
pois vejo tanta esperança
nos olhos de uma criança
que teima, ainda, em nascer.
 .
Creio no jovem que estuda,
que no trabalho se escuda
e enfrenta a vida a cantar.
Na velhice abandonada
que tira, ainda, do nada,
motivos para sonhar.
 .
Eu creio na Liberdade
e na sincera amizade
de quem me dá seu sorriso,
que, na Justiça, que almejo
no bem que sinto e desejo
está a Paz de que eu preciso.
.
Por tudo isso em que creio,
eu luto e não titubeio
se o mundo me contradiz.
A vida só tem sentido
quando eu sonho e não duvido,
que é por crer que eu sou feliz!


Todas as trovas acima foram obtidas no site do Rigon (http://angelorigon.com.br)

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to