Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

terça-feira, 21 de junho de 2016

Chuva de Versos n. 447


Uma Trova de Ponta Grossa/PR
Sonia Maria Ditzel Martello


Marque presença na vida
pelas ações que pratica,
lembre: - na hora da partida,
você vai… sua obra fica!
_____________
Um Poema de Balneário Camboriú/SC
Pedro Du Bois

OUTROS


Fala de lugares distantes
penso noites e dias. Conta histórias
sobre povos inalcançáveis
lembro o mendigo em esquinas
indevassáveis. A mão estendida
ao gosto do passante.

Registro minha desconfiança sobre animais
ferozes dispersos em florestas. O pássaro
entre grades pia a sua dor.
_____________
Uma Trova Hispânica da Argentina
Ramón Rojas Morel


Cambio sueños e ideales
por hacer realidad
un mundo nuevo de iguales
con libertad  y equidad.
_____________
Um Poema de Mogi-Guaçu/SP
Olivaldo Júnior

“VELHO" BAILE


Bandeirinhas
já dão conta
de outro Baile
da Saudade!

"Vovozinhas"
fazem conta
de outro baile,
na verdade...

Seus "velhinhos"
- Que moleques! -
farão par,

e os "pombinhos",
entre os leques,
vão "voar"!...
_____________

Um Poema de Catanduva/SP
Ógui Lourenço Mauri

UM VAZIO...


Um vazio põe além do horizonte
Um querer que à distância se lança,
Pois a ânsia que o barco desponte
Jacta o falso sabor da esperança.

Eu bem sei, não mudou a janela,
Mas o barco de longe não vem.
A saudade a meu peito se atrela
E a vontade do beijo também!

É verdade que após as tormentas
O mar calmo se faz tão presente,
Como é certo que as nuvens cinzentas
Põem o Sol a brilhar novamente.

Por aqui, vejo a chuva caindo.
Logo mais, chega a luz desde o leste
A mostrar todo o azul do céu lindo;
Um desenho de Deus, inconteste!

Pensamento vai longe, de vez!
Traz, enfim, esse barco; reitero!
Penso até que meu porto, talvez,
Não comporte o navio que eu espero.
_____________
Trovadores que deixaram Saudades
Clarindo Batista de Araújo
(Jardim do Piranhas/RN, 1929 – 2010, Natal/RN)


Neste caminho sem luz
que por desdita trafego,
tu és um clone da cruz
que ao meu calvário carrego!
_____________
Um Poema de Bauru/SP
João Batista Xavier Oliveira

VOCÊ, MULHER!


A estrela da manhã hoje anuncia,
na forma de um arauto magistral,
que a luz hoje mais brilha no fanal
de um mar de rosas vasto de poesia.

Mulher! Na sintonia de um coral
lirismo é a fonte viva, alegoria;
a paz do amor nascente que alumia
um misto de esperança jovial.

O preconceito jaz bem superado;
o amor não mais se ilude em mesquinhez;
direito é mais direito lado a lado
.
A estrela da manhã hoje tem vez
de anunciar perene a quem quiser:
- o amor é mais sublime na mulher!!
_____________
Uma Trova Humorística de Pouso Alegre/MG
Newton Meyer Azevedo


Verão assim - credo em cruz!
Foi tanto o calor na cuca,
que uma porca "deu à luz"
três leitões - à pururuca!
_____________
Um Poema de São Paulo/SP
Humberto Rodrigues Neto

NESTE DIA DA POESIA…


Que cantem, sim, os poetas,
as praias bebendo mares
e as ondas sorvendo areias...

Que cantem, sim, as poetisas,
a brisa falando amores
e o vento violando folhas...

Que cantem, sim, os poetas,
o sol esmaltando as praias
e a lua caiando as noites...

Que cantem, sim, as poetisas,
berços dormindo silêncios
e mães rezando cantigas...

Que cantem, sim, os poetas,
anciãos gemendo ausências
e infantes sorrindo fadas...

Que cantem, sim, as poetisas,
rócios coando garoas
e insetos plagiando estrelas...

Que cantem, sim, os poetas,
besouros flertando luzes,
colibris bebendo flores...

Que cantem, sim, as poetisas,
o cárcere dos conventos
e as monjas que nunca amaram...

Que cantem, sim, os poetas,
o compasso de uma rima,
e a harmonia de uma estrofe...

Que cantem, sim, as poetisas,
coriscos riscando o espaço
e oceanos babando espumas...

Que cantem, sim, os poetas,
colcheias chorando Schubert
e bemóis valsando Strauss!

Cante, sim, cada poetisa,
e que cantem os poetas
as glórias do Criador,
pois engastou-lhes no peito
não um córdio contrafeito,
mas liras tangendo o amor!
_____________
Recordando Velhas Canções
Domingo no parque
(1967)

Gilberto Gil


O rei da brincadeira (ê, José)
O rei da confusão (ê, João)
Um trabalhava na feira (ê, José)
Outro na construção (ê, João)

A semana passada, no fim da semana
João resolveu não brigar
No domingo de tarde saiu apressado
E não foi pra Ribeira jogar capoeira
Não foi pra lá, pra Ribeira, foi namorar

O José como sempre no fim da semana
Guardou a barraca e sumiu
Foi fazer no domingo um passeio no parque
Lá perto da Boca do Rio
Foi no parque que ele avistou Juliana
Foi que ele viu
Foi que ele viu Juliana na roda com João

Uma rosa e um sorvete na mão
Juliana seu sonho, uma ilusão
Juliana e o amigo João
O espinho da rosa feriu Zé
E o sorvete gelou seu coração

O sorvete e  a rosa
A rosa e o sorvete (ô, José)
Foi dançando no peito (ô, José)
Do José brincalhão (ô, José)

O sorvete e a rosa (ô, José)
A rosa e o sorvete (ô, José)
Oi, girando na mente (ô, José)
Do José brincalhão (ô, José)

Juliana girando (oi, girando)
Oi, na roda gigante (oi, girando)
Oi, na roda gigante (oi, girando)
O amigo João (João)

O sorvete é morango (é vermelho)
Oi girando e a rosa (é vermelha)
Oi, girando, girando (é vermelha)
Oi, girando, girando...

Olha a faca! (olha a faca!)
Olha o sangue na mão (ê, José)
Juliana no chão (ê, José)
Outro corpo caído (ê, José)
Seu amigo João (ê, José)
Amanhã não tem feira (ê, José)
Não tem mais construção (ê, João)
Não tem mais brincadeira (ê, José)
Não tem mais confusão (ê, João)
_____________
Uma Trova de Ilhavo/Portugal
Domingos Freire Cardoso

Quando chegaste ao portão
para saber quem batia,
batia o meu coração
que de saudades morria.
_____________
Um Poema do Rio de Janeiro/RJ
Luiz Poeta

FALANDO DE MULHER


Como é difícil falar deste ser maravilhoso
sublime, misterioso, denominado mulher...
como é difícil calar um verso impetuoso,
de um poeta habilidoso que no fundo sempre a quer...

Meu Deus, como é complicado riscar um verso discreto
que fale esse dialeto dos homens, pobres mortais,
um verso bem inspirado que diga o que a gente sente,
por elas... que incompetentes que somos, que animais !

A mulher é tão completa, sonhadora... realista...
Que nós, os especialistas, delas não sabemos nada,
E não basta ser poeta, ser homem ou ser amante
deste ser apaixonante, desta musa tão amada...

Para entender cada gesto ou ímpeto ou devaneio...
Quem não precisa de um seio para se tornar menino ?
Somos seres tão modestos diante desses monumentos,
Nunca estamos desatentos ao talento feminino.

A mulher é tão divina e o homem é tão carente...
Meu Deus, como é atraente falar de uma mulher:
Inteligente, sensível, talentosa, companheira,
Eu daria a vida inteira para tê-la... quem não quer ?

Mas tê-la inteiramente: no espírito, em pensamento...
Em todo e qualquer momento e... na cama, por que não ?
Afinal, o coração de um homem só é completo
Quando este ser predileto habita seu coração.
_____________
Uma Décima de Fortaleza/CE
Nemésio Prata


Se tem quem não acredita
em Deus, não vou contestar,
pois alguém pode pensar
que estou usando deste espaço
para causar-lhe embaraço;
porém garanto que não,
porque não faço acepção
de pessoas, contudo eu
creio ter Deus pelo ateu
tanto Amor quanto ao cristão!
________________________
Um Poema de Poços de Caldas/MG
Laércio Borsato

UM POUCO DO BRASIL


Sempre que empreendo alguma viagem,
Dirigindo um carro, ou como passageiro;
Fico admirando a linda paisagem,
Tão vasta e tão rica no Brasil inteiro!
.
Bem perto daqui, que graça tamanha!
Seguindo a estrada de Águas da Prata,
Vemos fluir e desfilar pela montanha,
As águas cristalinas de nossa cascata.
.
Ouve-se falar da paisagem estrangeira,
Por alguém que ignora as belezas daqui;
Fico a recordar o Pico da Bandeira,
O Corcovado, O Itatiaia, O Itacolomy!

Temos rios gigantes e pequenos regatos,
Vertentes bonitas, como iguais não há;
Que maravilha a Lagoa dos Patos,
Que admirável o grande Rio Paraná!

A bela Amazônia e seus seringais,
Rio Amazonas, Negro e Solimões.
Imponentes montanhas de Minas Gerais,
Lindas cascatas que nos trazem emoções!

 Há beleza urbana neste estado imenso,
Das ricas jazidas-berço das esmeraldas:
- Lambari, Caxambu, São Lourenço,
E a nossa querida “Poços de Caldas”!

Neste momento o meu ser expande,
Sob um ipê, na Agropecuária Itatiaia.
Na encosta avisto a Pedra Grande,
As garças revoam, a tarde desmaia!...

As praias do Rio, Copacabana, Ipanema.
No sul Florianópolis de beleza reveste...
A cada instante, parece-me ver “Iracema”.
 Ao deparar os verdes mares do NORDESTE...

Rio Grande do Sul, do pingo, da coxilha.
 A grande São Paulo, não existe igual!
 O Brasil central, Goiânia... Brasília...
 Mato Grosso do Sul,o belo Pantanal!

Sergipe, Rio Grande do Norte, Bahia,
Pernambuco, Pará, Mato Grosso;
E os outros estados dão sua fatia
De riquezas, desse Brasil colosso.

Cada região carece o seu destaque,
Ou as alterosas, ou férteis pauis...
É o BRASIL grandioso de Olavo Bilac,
Castro Alves e Machado de Assis.

Este Brasil que enalteço e proclamo,
Onde vivo, onde viveram meus pais,
Berço de meus filhos a quem tanto amo,
Nos quais realizei os meus ideais!

Nosso país tem um passado de gloria,
Na luta sofrida dos inconfidentes.
Filhos ilustres! (que saudosa memória!);
O grande herói, sem duvida: O Tiradentes!

Minha lira se prende a fatos passados...
 Meus sonhos vislumbram outras conquistas:
Quero ver meu país com lauréis conquistados,
No palco do mundo, das nações futuristas!...

Que empenhemos a luta com fé e labor
Desde a tênue manhã ao colorido arrebol.
Hasteemos a bandeira com garra, amor,
Não só nos esportes... Não só no futebol!
_____________
Uma Trova do Rio de Janeiro/RJ
José Maria Machado de Araújo

Ao Japonês, disse o Lucas
um peruqueiro brilhante:
- eu cá, só faço perucas,
e o seu caso é de transplante!
_____________
Hinos de Cidades Brasileiras
Município de Areia Branca /RN


I
Junto ao mar, entre os raios alegres,
Deste sol de beleza invulgar
Tu nasceste ó terra querida,
Sobre areias da cor do luar,

II
Pequenina, no entanto, a grandeza,
Do Estado, altaneira, constróis,
Com o sal do teu mar generoso,
No teu solo que é berço de heróis,

III
És o berço de audazes marujos,
Cuja audácia é um cruzeiro de luz,
A luzir sobre os mares gigantes,
Onde a virgem o barco conduz.

IV
As salinas luzentes paisagens,
Imaginam em telas de sol...
São as vigas de nossa pujança,
Sustentando da história do farol.

V
O porto-ilha a brilhar, sobranceiro,
Como estrela caída no mar...
O teu nome eleva e propala,
Noutras terras, feliz, a cantar.

CORO
Areia Branca, terra amada,
Terra do sol, terra do sal,
És a sereia majestosa,
Lindo esmeralda ao litoral..
_____________
Uma Tanka de Magé/RJ
Benedita Azevedo


Tudo se transforma…
E da vida de euforia
só resta a memória.

Pela passagem da fresta
os pensamentos se perdem.
_____________
Um Poema de Limeira/SP
Maria Cajado

POESIA


Oh! poesia, meu alento
Fabricante de cimento
Da eterna construção
Fazes a liga n´alma
Enquanto a minha palma
Desliza a pena na mão.

Em expressão de alegria
Tristeza ou melancolia
Vens de uma fonte maior
Que ao fluir rumoreja
Como o Divino que beija
Deixando marcas de amor.
_____________
Uma Trova de Viamão/RS
Marlê Beatriz Araújo


Bendigo essa luz que um dia
em minha estrada brilhou
e resgatou a alegria
que o tempo quase apagou!...

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to