Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Chuva de Versos n. 459


Uma Trova de Pinhalão/PR
Lairton Trovão de Andrade


Há coisa que não te explico
na desditosa paixão:
Com quem me quer eu não fico,
com quem quero me diz “não”.

Um Poema de São José dos Campos/SP
Amilton Maciel Monteiro

METAMORFOSE


Já não suporto mais essa antipática
fatoração de xis e de mais xis...
Já foi o tempo em que a tal Matemática
roubou-me as horas e me faz feliz!

Agora, só frequento a aula prática
que o Mestre Amor me dá, sem quadro ou giz,
sem contas, sem cadernos, nem didática,
e a horrível extração de uma raiz...

Há plena liberdade no ambiente
de minha encantadora nova escola,
onde só dois alunos dão “presente”:

Um, que sou eu, não muito exemplar,
e outro é ela, e quem me passa a cola,
pois que, em amor, é muito bom colar!

Uma Trova Hispânica da Argentina
Ramon Rojas Morel


En tu pensamiento veo
la honestidad de tu ser...
En tu sentimiento creo
y tuyo es mi amanecer...

Um Poema do Rio de Janeiro/RJ
Carmen Cardin

EM PRETO E BRANCO


Eu aposto nas emoções praticadas
Da ternura: ela atravessa fronteiras!
Amo o sabor das coisas delicadas,
Amo o valor das coisas verdadeiras.

Em cada muito, do pouco que faço
Em cada tudo, do nada que sinto,
A surpresa de viver trai o meu traço:
Dizendo a verdade, eu minto.

No rubor da minha face me afugento
(Ás vezes têm-se o nada e este é tanto!)
O carmim dos meus lábios é sedento
A maquiagem dos meus olhos é o pranto

Não faço planos, desconheço o que é promessa:
Nada tenho, nada sou, nada sei...
Nada peço, tudo quero, tenho pressa:
O artifício do Amor é a minha lei!
 
Uma Trova de Lordelo de Ouro/Portugal
Augusto Gil


Senhora, se o que pensais
deixasse vestígios claros,
os divórcios eram mais
e os casamentos bem raros...

Um Poema de Sorocaba/SP
Dorothy Jansson Moretti

VENTO DE OUTONO


Da tarde ao tom sombrio me abandono,
e um clima estranho vem-me dominar.
Eu não sentira que já era outono,
nem percebera meu verão passar.

Agora, o vento, em arrogante entono,
maltrata as folhas mortas, a tombar,
mesclando-as pelo chão, sem lar, sem dono,
órfãs dos ramos nus, a se agitar.

Também meus sonhos tombam, lentamente,
aos desenganos que os batem de frente,
mera ilusão nem mais resiste, agora.

E o vento torce a haste enrijecida
da flor desfeita, escura e ressequida
de uma esperança que restou... de outrora.

Trovadores que deixaram Saudades
António Fernandes Aleixo
Vila Real de Santo António/Portugal (1899 —  1949) Loulé/Portugal


Eu não sei por que razão
certos homens, a meu ver,
quanto mais pequenos são
maiores querem parecer.

Uma Triverso de Maringá/PR
A. A. de Assis


Ante o Pão-de-Açúcar,
dá as costas a Lua ao mar.
A lei do mais doce.

Um Poema de Paranavaí/PR
Dinair Leite

INOCÊNCIA


Meu bem,a chuva mansinha em chuá
Mexe comigo e saudades me dá
Do chão ao pé da colina, caminho
Do nosso romance, amor e carinho.
Meu bem, lembro a roça, o cheiro de lá
Do sol, do vento que sopra morninho.
A Juriti embeleza seu ninho,
No galho florido do pé do ingá.

Meu bem,lá sonho fazer nosso lar,
Com um pomar e jardim muito belo.
Um cantinho para o amor abrigar

Dentro do fruto em segredos formados,
E, no cálice do lírio amarelo,
Guardar os momentos apaixonados."

Uma Trova Humorística de Nova Friburgo/RJ
Sérgio Bernardo


Ao meter no basculante
seus cem quilos de ousadia,
que sufoco o do assaltante:
–  não entrava... nem saía!

Um Poema de Fortaleza/CE
Nemésio Prata

O CASAMENTO


Formavam lindo casal!
No dia do casamento
-Até que a morte separe,
juraram, sem fingimento;
porém como a carne é fraca,
tal casório deu “fubaca”,
e findou antes do tempo!

A maior fraqueza humana,
que assola qualquer casal
é satisfazer a gana
da carne... extraconjugal!

Uma Décima de Fortaleza/CE
Francisco José Pessoa

DÉCIMA CARIDADE


Quando a mão espalmada pede esmola
e um olhar de piedade a ti alcança
correm lágrimas de desesperança
que a moeda tilinta e não consola
pois a fome cruel que mais assola
é a falta do ouvido fraternal
do bom dia! No parto matinal
do sorriso amoroso, de verdade,
pratiquemos irmãos a caridade,
para nossa família universal!

Recordando Velhas Canções
Mucuripe
(1972)


Belchior e Fagner

As velas do Mucuripe
Vão sair para pescar
Vou levar as minhas mágoas
Pras águas fundas do mar
Hoje à noite namorar
sem ter medo da saudade
sem vontade de casar
    REPETE A 1ª PARTE

Calça nova de riscado
Paletó de linho branco
que até o mês passado
lá no campo ainda era flor
Sob o meu chapéu quebrado
o sorriso ingênuo e franco
de um rapaz novo encantado
com vinte anos de amor
Aquela estrela é dela
...vida, vento, vela, leva-me
daqui....

Uma Trova de Lisboa/Portugal
Eduardo Borges da Cruz


Se sofres, não te envergonhes
        de chorar tua desdita.
        - A terra, sempre que chove,
        fica muito mais bonita!

Um Poema de Curitiba/PR
Isabel Furini

LUZ DA FILOSOFIA


ao abrir o livro de Heráclito
um rio tempestuoso
de fogo e de incerteza
rodeia o poeta
e o poeta percebe com clareza
um rio dentro da alma
 – escura correnteza de água
e de fogo
amanhece
e a fé e a certeza
penetram por um feixe de luz de Sol
(forte e profundo)
pela janela
– sem esforço
o feixe de luz ilumina a alma inquieta
qual uma borboleta
sonhando o infinito.

Um Haicai de São Paulo/SP
Eunice Arruda


Árvore cortada
No tronco tão machucado -
O verde brotando.

Uma Trova de São Pedro do Sul/Portugal
António Correia de Oliveira


No céu há uma janelinha,
vê-se Portugal por ela:
quando Deus se sente triste
vem sentar-se a esta janela...

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

ESTREITEI-ME EM TEUS BRAÇOS


Ao estreitar-me em teus braços lindos.
Sonhei que algo de bom,
Estava acontecendo.
Ou seja, que o amor...
Que estava me prendendo,
Era o mesmo amor...
Que estava há te envolver,
Nesse belo momento de prazer!

E era tão ardente essa chama.
Que me deixou deveras deslumbrado...
Talvez fosse loucura ou pecado,
Esse momento de prazer entre dois seres.

Mas, era um grande amor...
Que jamais ficaria esquecido.
Esse belo momento entre nós vividos,
Cheio de ternura e emoção.
Penetrando em todo nosso ser...
Especialmente em nossas almas,
E em nossos corações.

Uma Trova de Ilhavo/Portugal
Domingos Freire Cardoso


Levando vida tão crua,
com a fome pela frente,
qualquer criança de rua
vira adulto sem ser gente.

Hinos de Cidades Brasileiras
Hino do município de Altamira do Paraná/PR


Altamira do Paraná
Representas a natureza
Abriga em seio altivo
Povo ilustre com eterna nobreza.

Tu és cidade querida
Igual outra não há
Recanto de felicidade
Um pedacinho do meu Paraná.

Refrão

Teu celeiro e tua pecuária
Produzindo com muito fervor
Com teus rios e tuas pastagens
És progresso, és paz e amor.
(Bis)

Altamira do Paraná
Na escalada para o porvir
Cintila no alto horizonte
A presença de um povo viril.

Altamira do Paraná
Torrão abençoado por Deus
Trabalho, prosperidade
És futuro dos filhos teus.

Teu celeiro e tua pecuária
Produzindo com muito fervor
Com teus rios e tuas pastagens
És progresso, és paz e amor.
(Bis)

Uma Trova de Queluz/Portugal
Ferrer Lopes


Alegria... ó alegria!...
afinal, quem é que a tem?
– Tendo a barriga vazia,
nem tu, nem eu, nem ninguém.

Um Poema de Cordel
Carlos Silva

O PODER DA CRIAÇÃO


Deus criou o Homem com sabedoria
E achou bonita sua bela criação
No paraíso onde então a tal maldade
Desconhecia o poder de sua ação
Ali só era perfume e maravilhas
Um jardim moldado com exatidão

Mas Deus viu que Adão estava só
Fê-lo dormir por sobre flor amarela
E retirando dele parte do seu corpo
Presenteou com uma figura bela
Era Eva que pra Adão fora esculpida
Nascido deste emprestando uma costela

E Deus sorrindo vendo que tava perfeita
No paraíso aquela bela união
Apresentou ao casal as maravilhas
O permitido e o que não podia não
Eva sozinha numa tarde contrariou
Ali se dava a primeira traição

Como é “comum” se dividir uma culpa
Eva chamou logo seu amado Adão
E disse a ele como você um pedaço
Pois o saber vai estar em vossa mão
E por amor o primeiro Homem criado
Traiu seu pai, o Senhor da Criação

Agora nus pelo jardim se escondiam
E Deus chamava pois queria encontrar
Suas criaturas tão amadas ali bem feitas
Quem sabe Ele quisesse apenas conversar
Mas já sabendo o ocorrido lamentou
Creio que Deus nesse momento foi chorar

Foram expulsos e os portões então fechados
Com um Anjo que a entrada ali guardava
Eva chorando e seu  Adão arrependido
Nesse momento triste então se lamentava
Como é que fomos desprezar o nosso Deus
Eu imagino que era o que perguntava

E depois disso uma onda de desgraça
Acompanhou a família a vida inteira
Um homicídio por ali aconteceu
Abel morria por uma inveja traiçoeira
A descendência do casal se espalhou
E a bancarrota da humanidade é certeira

Não adianta procurarmos um culpado
Por nossos erros nós teremos que pagar
Muito cuidado nas escolhas desta vida
Porque um dia, você com Deus vai estar
Você pode subornar as Leis da terra
Mas Ele jamais poderás comprar

Pegue seu ouro sua prata e utilize
Para ajudar ao teu próximo, teu irmão
A recompensa Deus do céu em quem dará
E limpará de uma vez teu coração
Purificando tua alma em bondade
E te livrando da “MATANTE AMBIÇÃO”

Uma grande luta aconteceu lá no céu
E um terço dos anjos desabaram
E vieram cair aqui na terra
Onde logo por aqui proliferaram
Pois quiseram superar o nosso Deus
Foi ai que seus esforços lhes falharam

Mas o inimigo não deixou de pelejar
E criou o seu exercito na terra
Espalhando horror e destruição
Promovendo pelo mundo a cruel guerra
Enganando até mesmo quem crê em Deus
Mas essa luta com certeza um dia encerra

Depois que Deus viu no que se transformou
Essa terra e toda a sua criação
Confessou que então se arrependera
De ter criado essa humanidade então
Alertou a Noé e confessou
É necessário da terra a destruição

E este servo temente a Deus obedeceu
E uma arca começou então fazer
Era tratado com chacota e humilhação
Mas ao seu Deus ele fora obedecer
Com sua família batalharam e fizeram
Aguardando o que iria acontecer

De dois em dois entraram os animais
E o povo ria novamente a zombar
Mas a fé de Noé era inabalável
Obedecia e estava sempre a orar
Ainda chamava pra que o povo entrasse
Mas as palavras se negaram a escutar

E então um santo anjo do Senhor
Fechou a porta e não podia mais abrir
Um temporal nunca visto então chegou
Terra tremeu e o mundo todo a sacudir
Ali ficaram os incrédulos condenados
No sofrimento triste foi o sucumbir

Apenas oito seres humanos escaparam
E as espécies dos animais escolhidos
Nova terra nova vida e novos tempos
O recomeço foi assim nos tempos idos
E a graça do bom Deus triunfando
E eles foram ao Senhor agradecidos

Hoje a arca está quase se fechando
E ninguém a palavra quer escutar
Está havendo novamente um chamado
Mas o povo disso nem quer ouvir falar
Mas quando as portas pelo Anjo for fechada
Já será tarde pra nós tentarmos entrar

Hoje se vê e se ouve pelas praças
Os pregadores exaltados a chamar
De dois em dois alguns saem convidando
Mas a TV no Faustão sem desligar
Não atende o bater em cada porta
E esse povo como irá se salvar?

Mas é você quem decide sua vida
Os prazeres da vida tão banais
Nos iludem e transformam nossos ser
Em pecados grandiosos até demais
Somos fracos vulneráveis e incapazes
De abandonarmos essas ilusões carnais?

É um aço de armadilha bem armado
Hoje tem filho que é contra o pai
Já vi muitos por drogas matar a mãe
Por dinheiro segue matando e vai
Destruindo a vida entre os vícios
E nas mãos do inimigo logo cai

Você e eu precisamos ser libertos
Pois não estamos livres desta tentação
De cometermos adultérios e algo mais
Pois nossa vida é uma grande ilusão
Acreditamos em tudo que é mentira
É o satanás que mancha nosso coração

Tudo que é proibido é bonito
Tudo aqui chama nossa atenção
O dinheiro, a fama e o poder
Emaranha e destrói o coração
De repente estamos ali enrolados
E sem ter jeito as vezes não tem solução

Mas se achares que eu estou errado
Esqueça tudo que lestes neste cordel
Sou um poeta e também quero ser salvo
E quero ver você comigo lá no céu
Pare pense como está a sua vida
E mude agora de uma vez este papel

Tenha fé e sigamos meu amigo
Buscando hoje aqui pra nossa vida
Uma forma que nos dê felicidade
De viver com certeza garantida
Que iremos vencer essas batalhas
E seremos orgulhosos desta lida

Uma Trova de Remoães/Portugal
Manuel José Lamas Junior


Sou pedinte, mendigando,
vou indo de rua em rua.
Quando a noite vem chegando,
mendigos sonhos à lua...

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to