Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sexta-feira, 19 de maio de 2017

28º Concurso de Contos Paulo Leminski – 2017 (Prazo: 31 de Agosto de 2017)

 Este evento literário é uma atividade promovida e realizada em parceria entre UNIOESTE - Campus de Toledo - e Prefeitura Municipal de Toledo, por meio da Biblioteca Pública Municipal – Centro Cultural Oscar Silva –da Avenida Tiradentes, 1165. 

CRONOGRAMA

Inscrição dos contos: 08/05/2017 a 31/08/2017

Reunião Final da Comissão Julgadora: 03/11/2017

Premiação do 28º Conc. Contos P. Leminski: 24/11/2017

INFORMAÇÕES:

Unioeste - Campus de Toledo – PR – (045) 3379-7049
Biblioteca Pública Municipal – (45) 3252-6225e 3055 8790
Correio Eletrônico: 
biblioteca@toledo.pr.gov.br;
concursopauloleminski@toledo.pr.gov.br


REGULAMENTO DO CONCURSO

 1. O Concurso se destina a todas as pessoas interessadas em divulgar sua produção literária, enquadrada no gênero “conto”; e cada concorrente poderá participar com apenas um trabalho que ainda não tenha sido premiado em outro concurso ou já publicado em livros, coletâneas ou revistas. O tema é livre e a sua inscrição gratuita. 

2. Consideram-se inscritas as obras entregues, devidamente envelopada, naBiblioteca Pública Municipal de Toledo ou na Unioeste - Campus de Toledo, Paraná ou  enviadas pelos correios, endereçadas aos seguintes endereços:

2.1 Biblioteca Pública Municipal de Toledo Av. Tiradentes, 1165 CEP:85900-230 - Toledo - PR. 

 2.2 Unioeste - Campusde Toledo - Rua da Faculdade, 645; CEP: 85903-000 C.P 320 – Toledo,PR.

 2.3. Para assegurar-se de sua inscrição no concurso, solicitar confirmação por e-mail, informando o título do conto e respectivo pseudônimo; e assim seu envio não carece de Registro AR, sendo confirmada sua inscrição por esse meio.

3. O conto poderá ser apresentado em apenas uma via, escrito em língua portuguesa ou espanhola, digitado em espaço 1,5(um e meio), com fonte Arial, tamanho 11 (onze), podendo ser impresso na frente e verso do papel, paginadoe obedecer a um limite máximo de 20 páginas. 

4. Deverá constar, no interior do envelope grande que contém aobra, um envelope menor (lacrado), contendo em seu interior uma folha na qual constem: o título do conto, nome do autor e seu respectivo pseudônimo; telefones,RG, e-mail e grau de instrução do contista. No entanto, na parte externa desse pequeno envelope, deverão constar apenas o pseudônimo do autor e o título do conto a ser inscrito no concurso. Portanto, em nenhuma das folhas impressas do conto enviado ao concurso poderá constar o nome de seu autor ou tampouco o seu pseudônimo poderá fazer uma referência implícita ao seu nome e, caso isso ocorra, o trabalho será excluído do concurso.

NOTA: Por exigência das Agências dos Correios,no envelope maior deverá constar o nome do remetente; mas isso não implicará na quebra de sigilo, posto que a comissão que realiza a leitura recebe os contos, identificados apenas com o pseudônimo de seu autor.

 5. A Comissão Julgadora será composta por oito membros de reconhecido nível intelectual e acadêmico, sendo sua decisão soberana e irrecorrível.O número de integrantes dessa comissão, no entanto, poderá variar, dependendo do número de obras inscritas no evento. 

 6. Premiação:
    - Primeiro prêmio: R$ 2.500,00 (Dois mil e quinhentos reais);
    - Segundo prêmio: R$ 1.800,00 (Um mil e oitocentos reais);
    - Terceiro prêmio: R$ 1.500,00 (Um mil e quinhentosreais);
    -Melhor Conto Toledano: R$ 1.000,00 (Um mil reais). 

NOTA: A eventual premiação de um conto que já tenha sido premiado em outro concurso implicará na obrigatoriedade de devolução do prêmio pelo respectivo candidato. E contos com indícios de plágio serão automaticamente excluídos do concurso. 

 7. A relação dos contos classificados para premiação e os indicados com menções honrosas será publicada nos órgãos de imprensa da região e nos portais web das instituições promotoras do concurso. Posteriormente, a cada período de cinco anos, os contos serão publicados sob forma de coletânea, reunindo os contos premiados e os que tenham recebido menções honrosas. Por ocasião de seu lançamento, os respectivos autores serão convidados para a Cerimônia de Lançamento, ou receberão um determinado número de volumes em seu domicílio, no endereço por eles fornecido. Na última coletânea, a5ª, foram publicados 53 contos, do 20º ao 24º eventos; e, na 6ª, estarão os contos da 25ª à 29ª edição deste concurso.

 7.1 Os contos premiados consideram-se propriedade da Unioeste e Prefeitura Municipal de Toledo - Biblioteca Pública Municipal, entidades realizadoras do Concurso de Contos Paulo Leminski, para finalidade de publicação da Coletânea de Contos; e aqueles que tenham recebido menções honrosas serão incluídos nessa coletânea mediante cessão de direitos por seus respectivos autores, por meio de documento legal, no caso de que se viabilize uma edição com a finalidade de venda para subsídio e auto sustentação do próprio concurso. 

7.2 O produto de uma potencial venda das coletâneas será depositado na conta da Fundação Universitária – Unioeste, mediante acordo com essa entidade; ou na conta da Associação dos Amigos daBiblioteca Pública Municipal de Toledo PR - cujo fundo se destinará exclusivamente para cobertura dos custos de divulgação, comissão julgadora e premiação das subsequentes edições do Concurso de Contos Paulo Leminski. 

8. O resultado do concurso será divulgado na imprensa e na Internet, nos portais oficiais das instituições promotoras do evento, a seguir:http://www.unioeste.br/leminskiou  http://www.toledo.pr.gov.br

9. Para a devolução dos contos, as despesas de postagem serão de responsabilidade do solicitante, devendo para tanto enviar envelope já selado, constando nele os dados do destinatário. O conto estará à disposição de seu autor após a divulgação do resultado do concurso por um período de 30 (trinta) dias e, após esse prazo, eles serão incinerados. 

10. O encaminhamento dos trabalhos na forma prevista neste regulamento implica na concordância com as disposições nele consignadas. 

PREMIAÇÃO DO 27º CONCURSO (2016):

1º Lugar: “Formigueiro”, de Luiz Antônio de Souza Loredo, de Londrina, PR;
2º Lugar: “Zé Firmino”, de Wilker Leite de Sousa, deSão Berrnaro do Campo, SP;
3º Lugar: “Felícia”,deValverez Cardoso Gomes, da cidade de São Paulo, SP;
Melhor Conto Toledano:“Chinelinhos na árvore”, de Lucrécia Welter Ribeiro.

MENÇÕES HONROSAS:
(por ordem alfabética de autor)
 
Adriana Calabró Orabona(São Paulo, SP). Conto: “A lança e o dado”;
Daniel de Assis Furtado (São Paulo,SP). Conto:Carmim”;
Lauro Elme (Boqueirão, Praia Grande, SP). Conto: “O quase crime de Ernesto Meretiere”;
Nilson de Carvalho Lattari (Alto dos Passos, Juíz de Fora, MG). Conto: “A última sessão de cinema”;
Pedro Negreiros Tebyriçá (Copacabana, Rio de Janeiro, RJ). Conto: “Copacabana”
Rosé Ribamar Werton Neto (Renascença, São Luís, MA). Conto: “O trem passa”;
Whisner Fraga (São Paulo, SP). Conto: “O que devíamos ter feito”.

Toledo, 27 de março de 2017.
A coordenação do CC. Paulo Leminski.
Dari J. Klein e Cleonisse Feliciano

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to