Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Ditados Populares do Brasil (Letra Q)

Quem vê cara, não vê coração
Quando a barriga está cheia toda goiaba tem bicho.
Quando a cabeça não pensa o corpo padece
Quando a esmola é grande até o santo desconfia
Quando a festa é boa, de véspera já dá sinal.
Quando me vires abraçado com mulher feia, pode apartar que é briga.
Quando o diabo atrapalha, Deus ajuda.
Quando mais sobe o homem, mais teme a queda.
Quem ama não esquece, quem esquece não ama.
Quem anda as pressas não vai longe.
Quem anda depressa passa por cima do que precisa.
Quem aperta mesmo é laço de casamento.
Quem dá do que tem faz o bem.
Quem diz e não faz, não diz o que faz.
Quem dorme no volante acorda no cemitério.
Quem fala de mim tem inveja ou paixão.
Quem espera por sapato de defunto morre descalço.
Quem gosta de macho é trem.
Quem gosta de pó é cara de moça.
Quem guarda o que não presta tem tudo o que precisa.
Quem mal faz não quer a paz.
Quem manda é a cabeça, mas quem a leva pra onde quer é o pescoço.
Quem manda na casa é ela, quem manda nela sou eu.
Quem bebe não vê.
Quem desconfia de si não acredita nos outros.
Quem em Deus confia não se angustia.
Quem em Deus espera não desespera.
Quem empresta não presta.
Quem não confia no futuro desespera no presente.
Quem planta flores colhe amor.
Quem quer a rosa agüenta o espinho.
Quem se arrasta aos pés de mulher é véu de noiva.
Quem semeia amor colhe saudade.
Quem tem defunto ladrão não fala em roubo de vivo.
Quem tem pena de angu não cria cachorro.
Quem trabalha de graça pra macho é relógio.
Quem vive de esperança morre de fome.
Quem vive de esperança morre desiludido.
Quem gosta de cochicho é rosário.
Quem ver o mar pegar fogo pra comer peixe assado.
Quando a razão fala presta atenção no que diz
Quando Deus dá a farinha, o Diabo esconde o saco.
Quando o dono sai de casa, os ratos promovem a festa.
Quando um burro fala o outro abaixa a orelha
Quando um não quer dois não brigam
Quanto maior a altura maior o tombo
Quanto maior a nau, maior a tormenta.
Quanto maior é o coqueiro maior o tombo do coco
Quanto maior o desafio, maior a vitória.
Quanto mais reza, mais assombração.
Quanto mais se abaixa, mais se ve o cu
Quanto mais se faz, menos merece.
Quanto mais se vive, mais se aprende.
Que seria de mim, se não fosse eu?
Quem à boa árvore se chega, boa sombra o cobre.
Quem agasalha cobra morre picado.
Quem ama a rosa suporta os espinhos
Quem ao feio ama, bonito lhe parece.
Quem apanha de mulher não se queixa a delegado.
Quem avisa amigo é
Quem cala consente.
Quem canta seus males espanta.
Quem casa quer casa, longe da casa de casa.
Quem casa um filho perde o filho; quem casa uma filha ganha um filho
Quem com ferro fere, com ferro será ferido
Quem com muitas pedras bole, uma lhe cai na cabeça.
Quem com porcos se mistura farelo come.
Quem come do meu pirão apanha do meu cinturão.
Quem come e guarda, come duas vezes.
Quem compra terra não erra.
Quem conta um conto aumenta um ponto.
Quem corre atrás engole poeira.
Quem corre cansa, quem anda alcança.
Quem cospe pra cima, na cara lhe cai.
Quem dá aos pobres empresta a Deus.
Quem de uma escapa cem anos vive.
Quem desdenha quer comprar.
Quem diz o que quer ouve o que não quer
Quem dorme com criança acorda molhado
Quem dorme no ponto, é chofer.
Quem é bom já nasce feito
Quem é coxo parte cedo.
Quem é vivo sempre aparece
Quem empresta não presta.
Quem engole corda é cacimba.
Quem espera sempre alcança
Quem está na chuva é pra se molhar
Quem está vivo um dia aparece.
Quem fica até o fim da festa não presta
Quem foi pra Portugal perdeu lugar
Quem foi rei sempre é majestade.
Quem furta pouco é ladrão, quem furta muito é barão.
Quem gosta de menino é lombriga.
Quem guarda ficando com fome, o rato come.
Quem lhe dói o dente vai à casa do barbeiro (Provérbio antigo quando o barbeiro era também dentista).
Quem meu filho beija minha boca adoça.
Quem morre de vespera é peru de natal
Quem muito quer tudo perde.
Quem muito se verga os fundilhos mostra.
Quem não ajuda não atrapalha
Quem não arrisca não petisca.
Quem não belisca não petisca.
Quem não chora não mama
Quem não deve não teme
Quem não houve conselhos rara vez acerta.
Quem não muda de caminho é trem.
Quem não ouve conselhos ouve “coitado!”
Quem não se enfeita, por si se enjeita.
Quem não te conhecer, que te compre.
Quem não tem cão, caça com gato.
Quem não tem competência não se estabelece. (Provérbio português.)
Quem não usa a cabeça cansa os pés.
Quem nasceu para vintém nunca passa pra tostão. (Hoje seria: “Quem nasceu para um centavo nunca passa pra um real).
Quem nasceu pra dez réis não chega a vintem
Quem nunca comeu mel quando come se lambuza.
Quem o alheio veste, na Praça o despe.
Quem o feio ama, bonito lhe parece
Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte, ou é burro, ou não entende da arte.
Quem pode mais pode menos.
Quem pode manda, quem não pode faz
Quem procura acha
Quem procura sarna quer se coçar.
Quem puxa aos seus não degenera.
Quem quer comer gordo traz de casa.
Quem quer vai, quem não quer manda
Quem quer vai, quem não quer manda.
Quem ri por ultimo ri melhor
Quem sai aos seus não degenera.
Quem semeia ventos colhe tempestade.
Quem te viu, e quem te vê.
Quem tem boca vai a Roma.
Quem tem com que me pagar não me deve nada.
Quem tem dois tem um, quem só tem um não tem nada.
Quem tem padrinho rico não morre pagão
Quem tem pressa come cru
Quem tem quem lhe chore morre todo dia.
Quem tem telha de vidro não sacode pedra.
Quem tem telhado de vidro não joga pedras no vizinho
Quem tiver o seu segredo não diga a mulher casada que a mulher diz ao marido e o marido ao camarada.
Quem tudo quer tudo perde.
Quem usa cuida.
Quem vai ao ar perde o lugar.
Quem vai ao vento perde o assento.
Quem vai pra chuva é pra se molhar.
Quem vê a barba do vizinho arder põe a sua de molho.
Quem vê cara não vê coração
Quem vem atrás que feche a cancela.
Quem vive na ignorancia, aporta na escuridão
Quer conhecer o vilão? Ponha-lhe o bastão na mão.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to