Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 28 de fevereiro de 2016

A. A. de Assis (Revista Virtual de Trovas "Trovia" - março de 2016)






Quis rasgar o teu retrato,
mas que tristeza, que sina...
Até no papel o ingrato
do teu olhar me domina!
Benny Silva
=
Hoje eu sei que foi loucura...
Mas, ao louco, que fui eu,
devo o pouco de ternura
que o bom senso não me deu.
Cesídio Ambrogi
=
Vemos tanta nulidade
galgar posições, vencer,
que até sentimos vontade
de tudo desaprender...
Delmar Barrão
=
Eu te quero às escondidas,
e, se essa espera durar,
te esperarei quantas vidas
for necessário esperar!
Eugênia Maria Rodrigues
=
Eu e tu, duas metades
que a vida vai separando...
Eu e tu, duas saudades
na saudade se encontrando...
Izo Goldman
=
Como é belo ver a planta
que abre flores nos caminhos,
nas horas em que Deus canta
pela voz dos passarinhos.
José Lucas de Barros
=
Ante as sandálias furadas
que entre cascalhos gastei,
não culpo o chão das estradas,
culpo os maus passos que dei.
José Maria M. de Araújo
=
Vão ficando tão distantes
os carinhos do passado,
que eu nem sei se o que era antes
foi vivido... ou foi sonhado...
Marina Bruna
=
Ao começar a descida,
desencantado e com medo,
percebo que em tua vida
fui apenas um brinquedo...
Milton Nunes Loureiro
=
O poeta é um pai fecundo,
que se encontra, e se compraz,
entregando um filho ao mundo
em cada verso que faz.
Newton Meyer

===============

 A pulga, em tom de bravata,
diz, esnobe, dessa vez,
que mudou do vira-lata
pra morar num pequinês...
Edmar Japiassú Maia – RJ
=
– Eu era um burro, doutor,
que pesadelo medonho!
E o médico, gozador:
– Tens certeza que era um sonho?...
Élbea Priscila – SP
=
Todo dia se comprova
este famoso ditado:
carro velho e mulher nova
exigem muito cuidado.
José Lira – PE
=
Sou cinquentona, e daí?
O que vier eu encaro... 
Como o mel de jataí,
não fico velha... açucaro.
Olga Agulhon – PR
=
Um eremita perfeito
eu encontrei certo dia...
Era tão chato o sujeito
que de si mesmo fugia.
Olympio Coutinho – MG
=
Mil calçados! Ser multípede
que até me dá cefaleia!
Casei-me com uma bípede...
Vivo com uma centopeia!!!
Roza de Oliveira – PR
=
Tive um trabalho danado
com a vaca hoje cedinho:
não deu leite empacotado
nem quis sentar no banquinho...
Ruth Farah – RJ
=
Na luta pela conquista
de um bom salário, valentes,
a manicure e o dentista
lutam “com unhas e dentes”...
Therezinha Brisolla – SP
==========================

 Contra o gênio, com frequência,
joga pedras a vaidade.
– É que a luz da inteligência
machuca a mediocridade!
A. A. de Assis – PR
=
Dois seres apaixonados
nunca deixam de se amar,
porque, mesmo separados,
amam-se até com o olhar!
Alberto Paco – PR
=
Meu pai, muito te agradeço
por tudo que me ensinaste;
não existe nenhum preço
pelo tanto que me amaste.
Agostinho Rodrigues – RJ
=
Não acredites em quem
te promete amor e paz
sem explicar de onde vem,
o que quer nem o que faz.
Amaryllis Schloenbach – SP
=
Tal e qual toda laranja
se dá repleta de gomos,
amigo bom sempre arranja
como exaltar o que somos!
Amilton Maciel Monteiro – SP
=
Majestoso sabiá,
no teu canto há realeza.
Canto cá, tu cantas lá
a canção da natureza.
André Ricardo Rogério – PR
=
A paixão é traiçoeira,
dizem que pode matar.
Eu digo que é só coceira
gostosa de se coçar...
Ari Santos de Campos – SC
=
O amor, para muita gente,
é diversão perigosa.
Quem não sabe ser prudente
transforma em espinho a rosa.
Arlene Lima – PR
=
Sempre acolho de mãos postas
e humilde tento aceitar
o silêncio das respostas
que a vida não sabe dar...
Carolina Ramos – SP
=
Não há guarda no portão,
nenhum trinco ou cadeado;
mas não me faça invasão,
só entre se for chamado.
Cida Vilhena – PB
=
Sou poeta e, em meus caminhos,
não temo estradas rochosas...
– Quando a vida planta espinhos,
tanto mais eu colho rosas!
Clenir Neves Ribeiro – RJ
=
Uma luz quase apagada...
um sonho chegado ao fim...
Eis o pedaço do nada
que tu fizeste de mim.
Conceição Assis – MG
=
Amigo, qual tenra planta,
tem de ser bem cultivado.
Se outro valor se levanta,
você pode ser trocado...
Cônego Telles – PR
=
La luz que me sostenía,
en las lides de la vida,
la apagó un amargo día
el soplo de tu partida.
Cristina O. Chávez – USA
=
Existe o beijo roubado,
de sabor especial.
Mas o beijo apaixonado,
não há no mundo outro igual.
Cristóvão Spalla – RJ
=
Enquanto me redesenho,
faço o esboço do passado:
quero ver o que eu mantenho
pra deixar como legado.
Dáguima Verônica – MG
=
Rosa vermelha, tu existes,
rubra e linda entre os espinhos,
para tornar menos tristes
os que caminham sozinhos!
Delcy Canalles – RS
=
Praia… Sentado na areia,
sem nuvens de tempestade...
Enquanto a mente vagueia,
alguém chora de saudade!
Diamantino Ferreira – RJ
=
A vovó não tem memória;
perde os óculos... na testa.
Mas jamais esquece a história
da varanda... e uma seresta!...
Domitilla Borges Beltrame – SP
=
Meus pobres sonhos, tão fracos
a vida em escombros fez,
mas, teimosa, eu junto os cacos...
e eis-me sonhando outra vez!
Dorothy Jansson Moretti – SP
=
De tristeza ou de alegria,
de surpresa ou de emoção,
lágrimas são a grafia
dos versos do coração.
Eliana Jimenez – SC
=
Maior mistério do mundo,
milagre que o amor produz:
tornar o ventre fecundo,
novas vidas dar à luz!
Eliana Palma – PR
=
Mau sentimento é prisão
e traz intranquilidade.
Só se encontra no perdão
a chave da liberdade.
Eulinda Barreto – SP
=
Pão, alimento completo,
foi por Deus abençoado
e, pelo Filho Dileto,
com seu corpo comparado.
Evandro Sarmento – RJ
=
Quando enfim, tu te ajoelhas,
e o teu perdão te refaz...
serás luz entre as centelhas
do fogo aceso da paz!
Francisco Garcia – RN
=
O meu amor é bonito,
é grande, imenso, sem fim...
É bem maior que o infinito,
mas cabe dentro de mim!
Gislaine Canalles – SC
=
Em nossas carícias quentes,
não pesa a idade, nem nada,
porque somos dois poentes
que explodem numa alvorada!
Héron Patrício – MG
=
A luz que emana da cruz
é amor, é libertação:
– o martírio de Jesus
pela nossa salvação.
Hulda Ramos – PR
=
Melhor ficasse eu silente
que cortejá-la cantando.
Há serenatas que a gente
faria melhor calando.
Jaime Pina da Silveira – SP
=
Na clausura da existência,
das prisões que nos impomos,
um devaneio é a essência
do que pensamos que somos.
JB Xavier – SP
=
No silêncio da varanda,
caramanchão ressequido.
Sinais de pés em ciranda
parecem não ter sumido.
J.B.X. Oliveira – SP
=
Uma coisinha de nada
sintetiza imensa dor:
a florzinha abandonada
saudosa de um beija-flor!
Jeanette De Cnop – PR
=
Nos meus momentos tristonhos,
quando a incerteza me alcança,
vou acalentando os sonhos
com a canção da esperança.
Jessé Nascimento – RJ
=
Na poeira espessa e fria,
meu olhar, triste, divaga...
Se a estrada levou-te um dia,
talvez em outro te traga!
Joaquim Carlos – RJ
=
Muito embora ser lesado
cause enorme desprazer,
antes ser injustiçado
que injustiça cometer.
Jorge Fregadolli – PR
=
Das lições mais proveitosas
que aprendi nos meus caminhos,
uma foi que, em “mar de rosas”,
há também “praia de espinhos”...
José Fabiano – MG
=
Tem meu amor duas vias,
me consome pouco a pouco.
Numa delas… duchas frias,
em outra…um amor louco.
José Feldman – PR
=
Quando a chuva no meu zinco
vem mansa tamborilar,
uma ausência puxa o trinco
e deixa a saudade entrar...
José Messias Braz – MG
=
O amor se afirma e se apura
naquele instante perfeito
em que o desejo e a ternura
dividem o mesmo leito.
José Ouverney – SP
=
Senhor, me deste um presente,
o meu berço nordestino:
– meu passado que é presente
tão presente em meu destino!
José Valdez – SP
=
O poeta, declamando,
revolvia o meu passado.
Com seus versos foi traçando
o meu retrato... falado!
Lucília Trindade Decarli – PR
=
Coração desconsolado,
não podeis esmorecer.
Se viver é complicado,
muito mais é não viver!
Luiz Antonio Cardoso – SP
=
O tempo passa depressa
e tão rápido ele flui
que nunca mais recomeça:
– sou a sombra do que fui.
Luiz Carlos Abritta – MG
=
Quem quiser cantar meu canto
vá chegando de mansinho.
Tenho voz de acalanto
e canto de passarinho.
Luiz Poeta – RJ
=
Nas mais árduas empreitadas,
sou feita de luz e raça,
porque à fúria das pedradas
não temo em ser a vidraça.
Mª Lúcia Daloce – PR
=
Nos caminhos que trilhei,
buscando a felicidade,
perdão e amor semeei,
colhi ternura e amizade.
Mª Luiza Walendowsky – SC
=
Sabia, desde o começo,
quando decidi te amar,
que esta saudade era o preço
que eu teria de pagar!
Mª Madalena Ferreira – RJ
=
Quem, gritando, impõe respeito
e se julga um grão senhor,
não vê que impõe, desse jeito,
não respeito, e sim temor...
Marta Mª Paes de Barros – SP
=
Toda trova sintetiza
o que pensa o seu autor;
e, nos versos, simboliza
seus sentimentos – de amor!
Maurício Friedrich – PR
=
Quem me dera alguém pudesse
entender meu sentimento;
seria a trova uma prece
para o fim do sofrimento.
Neiva Fernandes – RJ
=
Perdão é a esponja macia
que se passa numa ofensa
por se crer na luz do dia
contra a noite da descrença.
Nilton  Manoel – SP
=
Por que nadar separados
e viver em frustração?
Quero nadar a seu lado
nas águas do coração...
Renato Alves – RJ
=
Ao tempo que aflito avança,
levando tudo de mim,
só peço: deixa a esperança
até que chegue o meu fim!
Rita Mourão – SP
=
Meu coração – em pedaços –
reclama a ausência do seu...
E eu, amor, sem seus abraços,
sou qualquer um, menos eu.
Ronnaldo Andrade – SP
=
Se tens um sonho desfeito,
se a vida perdeu o encanto,
solta a angústia do teu peito,
desamarra o nó do pranto!
Selma Patti Spinelli – SP
=
Transformei meus descaminhos
em fortunas grandiosas...
Quem não navega entre espinhos
não encontra o Mar de Rosas!...
Sérgio Ferreira da Silva – SP
=
Entre saíras, sanhaço,
joões, chupins, sabiás,
e outros amigos eu traço
meu canto de vida e paz.
Sinclair Casemiro – PR
=
A história dá diretrizes
que norteiam as vertentes,
dá vida e forma raízes,
prende os galhos divergentes.
Talita Batista – RJ
=
Por dar crença ao teu sorriso,
que tantas paixões atiça,
construí um paraíso
sobre areia movediça.
Thalma Tavares – SP
=
Se existe um amor sublime
embalando o coração,
um deslize se redime
num pedido de perdão.
Vanda Alves – PR
=
Se noventa e nove damos
das cem coisas que nós temos,
por uma só que negamos...
quantos amigos perdemos!
Vanda Fagundes Queiroz – PR
=
Minha mãe, com maestria,
vibrou forte  de emoção,
quando em tarde de magia
fez pulsar meu coração!
Vânia Ennes – PR
=
Jamais guarde mágoa intensa
no arquivo do coração.
Delete qualquer ofensa
com o clique do perdão.
Wanda Mourthé – MG

===========================
Visite:
=================================

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to