Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Antonio Carlos de Faria (Caixinha de surpresas)

Final de tarde e os dois amigos se encontram no Bar Brasil. Drômio anuncia, solene, que tem uma revelação a fazer.

- Antes, vamos pedir os chopes, decreta Xenofonte, escolhendo uma mesa no restaurante que tem o melhor néctar da Lapa.

Depois de saciado com os primeiros goles, o amigo instiga Drômio a fazer a tal revelação.

- Vamos, desembuche. Qual é a descoberta tão importante?

- O futebol é uma caixinha de surpresas.

- Você está brincando? Isso é um clichê que chegou ao Brasil antes de Cabral. É mais velho do que este bar.

- Não, você não entendeu. O que quero dizer é que descobri o sentido profundo da expressão "o futebol é uma caixinha de surpresas".

- Sem querer desdenhar, mas já desdenhando, não há nada a descobrir. A expressão simplesmente quer dizer que no futebol tudo é possível.

- Mas por qual motivo? A gente se limita a repetir frases, sem pensar no significado. Eu resolvi ir além disso.

- Era só o que faltava, a volta dos filósofos de boteco... Mas vamos lá, qual é a grande ideia que iluminará os caminhos da humanidade?

- Xenofonte, essa ironia ainda vai fazer você cair do cavalo... O futebol é uma caixinha de surpresas porque é o único esporte em que o mais fraco tem chances reais de vencer o mais forte.

- Como assim? Isso também acontece no basquete, no vôlei, em qualquer esporte.

- Não diga besteiras. Nos outros esportes, quando uma equipe é realmente superior e está em seus melhores dias de desempenho, não há chance de derrota. No futebol, não. Basta o adversário fraco armar uma retranca e conseguir um pênalti mal marcado, uma bola desviada pelo morrinho artilheiro... A vitória pode vir até de um gol contra, coisa sem paralelo em nenhum outro jogo.

- Tá bom, admito que você tem uma ponta de razão nessa história. Mas isso não impede que o futebol continue sendo o esporte preferido das massas.

- Você não percebe? É justamente por isso que o futebol é adorado pelos fracos do mundo. Mas, pelo mesmo motivo, ele não faz sucesso nos Estados Unidos. A seleção deles vai para a Copa e ninguém está nem aí.

- Agora quem está falando besteira é você. O futebol faz o maior sucesso entre as mulheres americanas...

- Pense e veja como isso é apenas mais um argumento em defesa de minha tese.

- Já que começamos a falar de mulheres, que tal mudarmos para este assunto?

- Concordo. Mas elas também são uma caixinha de surpresas...

Fonte:
Folhaonline. 06/06/2002

domingo, 24 de setembro de 2017

V CONALI - Congresso Nacional de Linguagens em Interação: Múltiplos Olhares (25, 26 e 27 de setembro, na UEM)

O V CONALI (Congresso Nacional de Linguagens em Interação: Múltiplos Olhares) acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de setembro na Universidade Estadual de Maringá (UEM).



PROGRAMAÇÃO



25/09/2017 – Segunda-feira

8h00 às 12h00
 Bloco G34, 1.° andar

Credenciamento/Entrega de materiais
______________________________

8h00 às 9h45
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

MESA 1: Pesquisas e caminhos: Estudos Linguísticos (PLE)

Profa. Dra. Ismara Eliane Tasso 
(Estudos do Texto e do Discurso)

Profa. Dra. Josimayre N. Coradim 
(Ensino-Aprendizagem de Línguas)

Prof. Dr. Juliano  Desiderato Antonio 
(Descrição Linguística)
_____________________________

8h00 às 9h45
Local: Bloco GH 35 - Auditório do CCH

MESA 2: Pesquisas e caminhos: Estudos Literários (PLE)

Profa. Dra. Clarice Zamonaro Cortez 
(Literatura e Historicidade)

Profa. Dra. Alba Krishna Topan Feldman 
(Literatura e Construção de Identidades)

Profa. Dra. Liliam Cristina Marins 
(Campo Literário e Formação de Leitores)
_____________________________

9h45 às 10h15: Coffee Break
_____________________________
10h15 às 12h00
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

MESA 3: Mídias digitais, subjetividade, discurso na relação teoria/objeto

Profa. Dra. Cristiane Dias (Labeurb/Unicamp)
Profa. Dra. Maria Carolina de Godoy (UEL)
Profa. Dra. Renata Marcelle Lara (UEM)
_____________________________

10h15 às 12h00
Local: Bloco H 35 - Anfiteatro do CCH

MESA 4: Linguagens e Inclusão

Profa. Dra. Miriam Sester Retorta (UTFPR)
Profa. Dra. Juliana  Reichert Tonelli (UEL)
Profa. Dra. Vera Gomes Wielewicki (UEM)
_____________________________

10h15 às 12h00
Local: Bloco H 35 - Auditório do DLM

MESA 5: Fotografia no verbo: olhares poéticos

Profa. Dra. Fernanda Magalhães (UEL) - premiada artista e performer

Profa. Ms. Karen Debértolis (Prosa Consultoria) - autora de "A estalagem das almas" (2006), "A Mulher das palavras"(2009), "Prosa de palavras", "Calidoscópio", "101 Poetas paranaenses", "Blasfêmeas" 

Profa. Dra. Marcele Aires Franceschini (UEM)
_____________________________

14h00-18h00; 18h00 - 22h30
Simpósios (Estudos Linguísticos e Literários) veja postagem abaixo
_____________________________

19h30-22h00
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

Conferência de Abertura 
Prof. Dr. Kanavillil Rajagopalan (Unicamp)
_____________________________

26/09/2017 – Terça-feira

8h00 às 9h45
Local: Anfiteatro Bloco I-12

MESA 6: Reformas educacionais no Ensino Médio e o ensino de Línguas Estrangeiras

Prof. Dr. Pedro Armando de Almeida Magalhães (UERJ)
Profa. Dra. Ana Paula Martinez Duboc (USP)
Profa. Dra. Luciana Cabrini Simões Calvo (UEM)
_____________________________

8h00 às 9h45
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

MESA 7: Elementos do clássico na literatura: da tradição à modernidade

Prof. Dr. Aécio Flávio de Carvalho (UEM)
Prof. Dr. Apolo dos Santos Silva (UEM)
Prof. Dra. Eliane Batista (UEM)
_____________________________

9h45 às 10h15: Coffee Break
_____________________________

10h15 às 12h00
Local: Anfiteatro Bloco I-12

MESA 8: Reformas educacionais no Ensino Médio e o ensino de Língua Portuguesa e de Literatura

Profa. Dra. Regina Zilberman (UFRGS)
Prof. Dr. Adair Bonini (UFSC)
Profa. Dra. Mirian Hisae Yaegashi Zappone (UEM)
_____________________________

14h00 às 15h30
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

MESA 9: Com a palavra, o escritor

Marcos Perez (Prêmio Sesc de Literatura [2013-1014] e Prêmio São Paulo de Literatura [2014] com "O Evangelho segundo Hitler"; e autor de "Que fim levou Juliana Klein?")

Prof. Ms. Luigi Ricciardi (UEL) - autor de "Anacronismo Moderno" e "Criador e criatura"
_____________________________

15h45 às 17h45
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

Lançamento de livros, seguido de coquetel
_____________________________

15h00 às 18h00
Local: Gramado do Bloco G 34 

II Rebuliço Literário 
(Sarau) - Música aos ouvidos, poesia à alma
_____________________________

18h00-23h00
Simpósios (Estudos Linguísticos e Literários) veja postagem abaixo
_____________________________

27/09/2017 – Quarta-feira

8h00 às 9h45
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

MESA 10: Interação nos Estudos da Tradução

Profa. Dra. Ana Maria de Moura Schäffer (UNASP)
Prof. Ms. Davi Silva Gonçalves (UFSC)
Prof. Ms. Fernanda Boito (UEM)
_____________________________

8h00 às 9h45
Local: Bloco H 35 - Anfiteatro do CCH

MESA 11: As faces do Mito na Literatura

Profa. Ms. Aldinéia Cardoso Arantes da Silva (UEM)
Prof. Dr. Luiz Carlos Andrá Mangia Silva (UEM)
Profa. Dra. Eliane Batista (UEM)
_____________________________

9h45-10h15: Coffee Break
_____________________________

10h15 às 12h
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

MESA 12: Literatura, Ecologia, Direitos Animais

Profa. Dra. Elda Firmo Braga (UERJ)
Prof. Dr. Vinicius Lima (UEPG)
Profa. Dra. Evely Libanori (UEM)
_____________________________

10h15 às 12h
Local: Bloco G 34 - Sala 203

OFICINA DE TRADUÇÃO: Quando Deus é Mãe

Profa. Dra. Ana Maria de Moura Schäffer (UNASP)
_____________________________

14h00 às 15h30
Local: Bloco G 34 - Anfiteatro Walter Pelegrini

Conferência de Encerramento 
Diálogos entre 
o linguista Prof. Dr. Carlos Alberto Faraco (UFPR) e 
o vencedor do Prêmio Jabuti de Melhor Romance de 2014, Prof. Dr. Oscar Nakasato (UTFPR)
_____________________________

15h30-16h00: Coffee Break
_____________________________

16h00 às 17h40
Local: Anfiteatro do Bloco I-12

MOSTRA DO LONGA Leste-Oeste, 
de Rodrigo Grota (Kinopus Audiovisual) e bate-papo com diretor

Melhor Longa Narrativo (Best Narrative Feature) no 3rd Erie International Film Festival (EUA); Melhor diretor (Best Director Awarded) no 11th Mexico International Film Festival, MEX; Melhor Ator (Felipe Kannenberg) e Melhor Atriz (Simone Iliescu) no XX Cine PE.
_____________________________

18h00-22h30

Simpósios (Estudos Linguísticos e Literários) veja postagem abaixo
_____________________________

Fonte:

V CONALI - UEM (Programação dos Simpósios)

O V CONALI (Congresso Nacional de Linguagens em Interação: Múltiplos Olhares) acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de setembro na Universidade Estadual de Maringá (UEM).
-------------------------

SIMPÓSIO 1) Sui Caedere: reflexões sobre suicídio e literatura

Luzia Aparecida Berloffa Tofalini (UEM)
Willian André (UNESPAR)

Dias 25 e 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco H 35 - Auditório do CCH
========================

SIMPÓSIO 2) Literatura latino-americana: diálogos em perspectivas comparativas

Weslei Roberto Candido (UEM)
Gilmei Francisco Fleck (UNIOESTE)
Cristian Javier Lopez (UVigo /Espanha)

Dias 25 e 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

SIMPÓSIO 3) Literatura e mídias visuais: relações e interfaces

Eva Cristina Francisco (IFSP)
Élida Cristina de Carvalho Castilho (IFSP)

Dia 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco G 34 – sala 201
========================

SIMPÓSIO 4) Após o dilúvio, travessias do fim: teoria, interpretação e problematização

Marisa Corrêa Silva (UEM)
Acir Dias da Silva (UNIOESTE)

Dias 25 e 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco G 56 - sala 214
========================

SIMPÓSIO 5) Estudos da paisagem na literatura: poesia e narrativa

Clarice Zamonaro Cortez (UEM)
Carlos Henrique Durlo (PLE/UEM)

Dias 25 e 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

SIMPÓSIO 6) Aspectos socioculturais da narrativa fantástica

Fábio Lucas Pierini (UEM)
Mariany Camilo Nabarrete (UEM)

Dias 26 e 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

SIMPÓSIO 7) A tessitura poética do erotismo: transgressão, interdito, sexualidade

Marcele Aires Franceschini (UEM)
Beatriz Pazini Ferreira (UNIFAMMA)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco H 12 – sala 02
========================

SIMPÓSIO 8) Cultura e literatura multicultural e de minorias, e sua inserção no espaço educacional e difusão por meios eletrônicos

Maria Carolina de Godoy (UEL)
Alba Krishna Topan Feldman (UEM)

Dias 25 e 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

SIMPÓSIO 9) Literatura, teatro e cinema: interfaces e transições

Wagner Corsino Enedino (UFMS)
Ricardo Magalhães Bulhões (UFMS)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco G 34 - sala 214
========================

SIMPÓSIO 10) Estudos franceses e intertextualidade

Margarida da Silveira Corsi (UEM)
Wagner Vonder Belinato (UEM)

Dia 25 de setembro de 2017
Início: 20h30
Local: Bloco G 34 – Sala 216
========================

SIMPÓSIO 11) Literaturas afrodescendentes e indígenas: novos desafios

Dejair Dionísio (UNICENTRO)
Ana Cláudia Duarte Mendes (UEMS)

Dia 26 de setembro de 2017
Início: 18h00
Local: Bloco G 34 – sala 216
========================

SIMPÓSIO 12) Teatro em Perspectiva

Alexandre Villibor Flory (UEM)
Karyna Bühler de Mello (PLE/UEM)

Dias 26 e 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

SIMPÓSIO 13) As incidências da dor: cortes literários, suturas psicanalíticas

Hermano de França Rodrigues (UFPB)
Amanda Ramalho de Freitas Brito (UEAL)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco G 34 – sala 216
========================

SIMPÓSIO 14) Literatura e ecocrítica: um olhar sobre o contemporâneo

Vinícius Silva de Lima (UEPG)
Marcele Aires Franceschini (UEM)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 20h30
Local: Bloco G 34 – sala 216
========================

SIMPÓSIO 15) Transformações no espaço e no romance

 Tauan Fernandes Tinti (UNICAMP)
Camila Hespanhol Peruchi (UNICAMP)

Dia 26 de setembro de 2017
Início: 14h00
Local: Bloco G 34 – Sala 201
========================

SIMPÓSIO 16) A parte da sombra, o amplo presente: territórios e dispersões da poesia contemporânea

Sandro Adriano da Silva (UNESPAR)
Paulo Cesar Fachin (Centro Universitário FAG)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 20h30
Local: Bloco G 34 – sala 203
========================

SIMPÓSIO 18) Língua francesa, literaturas francesa e francófona

Ana Paula Guedes (UEM)
Beatriz Moreira Anselmo (UEM)

Dia 25 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco G 34 – Sala 216
========================

SIMPÓSIO 19) A voz e a vez dos animais não-humanos em diferentes ciências

Elda Firmo Braga (UERJ)
Evely Vânia Libanori (UEM)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

SIMPÓSIO 20) Ecos da Cultura Clássica na Literatura

Eliane Batista (UEM)
Aldinéia Cardoso Arantes da Silva (UEM)

Dia 27 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Bloco H 35 – Auditório do CCH
========================

SIMPÓSIO 21) Desafios contemporâneos de ensino e pesquisa em Literatura: entre artes, mídicas e tecnologias

Márcio Roberto do Prado (UEM)
Andrew Yan Solano Marinho (UNEAL)

Dias 25 e 26 de setembro de 2017
Início: 18h30
Local: Colégio de Aplicação da UEM (CAP)
========================

Veja os links da relação de comunicações de cada simpósio em https://vconali2017.blogspot.com.br/2017/09/literatura-data-dos-simposios-e.html

Fonte:

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

36ª Semana Literária Sesc Curitiba(Programação de 23 de setembro - Sábado)

9h30
Caminhada: Poesias e seus poetas na necrópole

Programação Patrimônio Movimentos de Memória
Com Clarissa Grassi
A “Caminhada: Poesias e seus poetas na necrópole”. Será um roteiro especial pelo cemitério municipal com enfoque em poetas paranaenses dos séculos XIX e XX, incluindo récitas de poemas em homenagem a alguns autores ali enterrados, como Emiliano Pernetta, Emílio de Menezes, Helena Kolody, entre outros. Os grupos serão de no máximo 35 pessoas. As inscrições, gratuitas, serão realizadas antecipadamente durante o evento na Praça Santos Andrade.
Saídas para as caminhadas: Cemitério Municipal São Francisco de Paula, Praça Padre João de Abreu Sotto Maior, sem número

10h00
A Última Quimera – Ana Miranda com Edna da Silva Polese

Em "A Última Quimera" Ana Miranda apresenta uma narrativa que se debruça sobre a vida e obra poética de Augusto dos Anjos (1884-1914), poeta incompreendido em sua época. O romance, classificado com ficção histórica, reconstrói o período do Rio de Janeiro na fase da elaboração da República e de outros acontecimentos marcantes da modernidade. A partir da teoria da ficção histórica elaborada por nomes com Hutcheon, Esteves e Weinhardt, faremos uma leitura sobre a construção ficcional da personagem histórica, o poeta Augusto dos Anjos, e sua época.

das 10h às 20h30
Museu de Arqueologia e Etnologia – UFPR
O Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR oferece, além de exposições em seus espaços, uma série de atividades e materiais lúdico-pedagógicos preparados para o público jovem, crianças do ensino fundamental, médio e professores. Entre esses materiais, o museu apresenta seu guia para visita no museu, livros de contos indígenas e africanos – também disponíveis em áudio, além de jogos, videojogos e um livro de RPG ambientado no Brasil pré-colonial, cuja perspectiva privilegiada é a dos grupos ameríndios quando dos primeiros momentos da ocupação europeia no território do sul do Brasil.

das 10h às 20h30
Vidas Refugiadas
Focada no cotidiano de oito mulheres refugiadas que vivem no Brasil, a mostra apresenta um grupo de imagens do fotógrafo Victor Moriyama. Seja pelas singulares expressões das fotos em estúdio ou mesmo dos registros das refugiadas em seus respectivos cotidianos, a exposição revela as dificuldades e os problemas enfrentados por elas ao mesmo tempo em que joga luz sobre suas conquistas, seus valores e seus esforços feitos para construir dias melhores no país que as acolheu como refugiadas. A curadoria do projeto é de Gabriela Ferraz em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ANHCR/ACNUR) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

das 10h às 20h30
Exposição CLOSER
A exposição CLOSER, de Tom Lisboa, é uma intervenção urbana que traz para bem perto dos transeuntes alguns monumentos públicos que estão distantes dos seus olhares. Confeccionados em grandes displays de papelão (como os que são feitos nos cinemas), eles revelam para os espectadores detalhes de obras que antes lhes eram inacessíveis.

das 10h às 16h
FaceLivro
A iniciativa da oficina FaceLivro consiste, através de uma técnica fotográfica chamada ilusão de perspectiva ou perspectiva forçada, em completar uma capa de livro ou disco utilizando esse segmento de imagem (a capa) em frente a uma pessoa e essa pessoa imitar a pose ou cena, imaginando como seria a foto em um enquadramento geral. A oficina será coordenada por Daniel Grizza.

10h40
Claro Enigma – Carlos Drummond de Andrade com Maria Luísa Carneiro Fumaneri
Falará sobre o livro de poemas Claro Enigma, de Carlos Drummond de Andrade, enfatizando sua importância para a poesia brasileira e a conjuntura histórica de sua elaboração, bem como seu significado na obra de Carlos Drummond de Andrade.

11h
Coletânea de Livros Infantis Sesc Paraná
O Sesc Paraná organizou a 2ª edição da coletânea de Contos Infantis, a fim de homenagear a cultura e a arte paranaense. É uma seleção de narrativas inéditas – produzidas por novos autores paranaenses, nativos ou residentes no estado. A antologia dedicada aos pequenos é composta por 10 histórias as quais foram ilustradas e representam um pouco das nossas tradições culturais.

11h20
Últimos Cantos – Gonçalves Dias com Ewerton Kaviski
Gonçalves Dias foi um poeta, teatrólogo, jornalista e um dos principais representantes da primeira geração romântica brasileira. É um nome importante para a poesia indianista, pois deu contorno nacional à literatura com seus poemas de sonoridade única e musicalidade dada pela estrofação e ritmo.
Foi o grande poeta do Romantismo brasileiro e influenciou inúmeros escritores com o seu estilo marcado pelo nacionalismo e pela exaltação das belezas naturais do Brasil e principalmente por retratar o índio como um guerreiro e de desvelar a sua cultura.

12h40
Clara dos Anjos – Lima Barreto com Geisa Mueller
O romance Clara dos Anjos, de Lima Barreto, expõe o cotidiano da cidade e das personagens de modo vivaz. Nesse sentido, a prosa de Lima Barreto é muito próxima de nós, pois a linguagem do escritor é direta, familiar à matéria da crônica, íntima do jornalismo. Nesta breve fala, iremos explorar as características da linguagem que trama o enredo de Clara dos Anjos. Abriremos o romance para perceber como a ficção limabarretiana estabelece uma conversa franca por intermédio de um narrador capaz de apontar nossa incongruência social.

13h20
Lavoura Arcaica – Raduan Nassar com Maria Isabel Bordini
A obra Lavoura Arcaica é o primeiro romance do escritor Raduan Nassar e conta a história de André, um jovem do meio rural arcaico que, sufocado por sua família e principalmente por seu pai, resolve abandonar tudo e se mudar para outra cidade interiorana. André tem inúmeros conflitos externos e internos, inclusive alimenta uma paixão por sua irmã. O livro foi publicado em 1975 e recebeu o prêmio da Academia Brasileira de Letras e o prêmio Jabuti. Ao ler a obra, é importante observar as características psicológicas do personagem, o contexto de sua vida asfixiante na lavoura, os desejos incestuosos e o padrão rígido do pai.

14h
Várias Histórias – Machado de Assis com Letícia Magalhães
No contexto de “Literatura e(m) movimento” parece estranho um espaço dedicado a uma lista fechada de obras literárias, escolhidas para realizar um exame seletivo. No entanto, ao abordar os clássicos, como Várias histórias, de Machado de Assis, faz-se também um movimento: percorre-se um caminho inverso ao buscar compreender por que a obra machadiana tornou-se um cânone. Nesse sentido, a fala pretende explorar de que modo as reflexões contidas em Várias histórias se desdobram até os dias atuais. Portanto, mais do que apresentar os triângulos amorosos ou cenários do Rio de Janeiro, a proposta deste breve encontro é ler alguns trechos e mostrar o impacto e a criticidade a partir da obra em questão.

14h40
Eles não usam black-tie – Gianfrancesco Guarnieri com Walter Lima Torres Neto
Eles não usam black-tie é uma peça de teatro escrita por Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006). Em 30 minutos, vamos conhecer um pouco sobre este importante autor do teatro brasileiro e compartilhar algumas ideias sobre esta obra de grande destaque dentro da história do teatro e da vida pública nacional. Vamos conhecer ainda porque a peça, escrita em 1956, encenada em 1958 pelo Teatro de Arena de São Paulo, tornou-se um marco de nossa dramaturgia.

15h20
Da liberdade e necessidade: uma investigação sobre o entendimento humano – David Hume com Rodrigo Brandão

Fazemos nossas escolhas livremente? Temos ao menos algumas que podemos considerar livres? Ou poderíamos para cada escolha e decisão encontrar motivos que nos fizeram agir desta ou daquela maneira? Nossa vontade, portanto, não é livre? Mas não experimentamos frequentemente um sentimento de tanto faz perante escolhas quotidianas? Estas são algumas das questões que o filósofo escocês David Hume (1711-1776) enfrenta na seção VIII da Investigação sobre o entendimento humano (1748). Hume pretende fornecer um “projeto conciliatório sobre a questão da liberdade e da necessidade” por meio de definições precisas dos termos do problema, mostrando que em grande medida ele não passa de uma disputa verbal. Segundo o autor, considerando as definições que esclareceu, a liberdade e a necessidade são ambas aceitas por filósofos e pelo senso comum, fundamentam tanto a ciência quanto amparam nossas condutas, e apenas devido a uma confusão (à qual pretende pôr fim com suas explicações) são pensadas como mutuamente excludentes.

16h
Resposta à questão: o que é esclarecimento? Imannuel Kant com Ericson Falabretti
A proposta da fala é apresentar os conceitos kantianos de maioridade, menoridade e uso público e privado da razão e discutir as consequências éticas e antropológicas desse esquematismo kantiano.
Para responder à questão “o que é o esclarecimento (Aufklätrung)?”, Kant publicou na revista Berlinische Monatsschrift, em 1783, um dos textos mais marcantes e populares do final do século XVIII. O tema do esclarecimento – termo alemão para o iluminismo – retomava não apenas as bases éticas e políticas da tradição filosófica racionalista e iluminista da época, mas, principalmente, colocava em cena a nova concepção de homem, um ser racional e livre que encontrou condições de atingir a maioridade. Uma boa parcela de homens, estabelece Kant, principalmente aqueles que vivem em Estados no qual o uso público da razão é um direito reconhecido, dispõem das condições políticas para o exercício livre da razão, podendo, desse modo, conduzir as suas vidas com autonomia. Todavia, ainda encontramos pessoas que se recusam a viver na maioridade, preferindo, diz Kant com severidade, por preguiça ou covardia, viver na menoridade, seguir a orientação e o pensamento de tutores.

16h30
Show de lançamento do livro/DVD Percuteria
Denis Mariano Trio apresenta composições feitas especialmente para o recém-lançado livro/DVD "Percuteria", que aborda vários ritmos brasileiros e possibilidades de combinações de instrumentos de percussão. O show é um passeio pelo universo musical brasileiro com direito a bate-papo com o autor.
__________________________________
A Semana Literária em Curitiba
De 18 a 22 de setembro de 2017 das 10h às 20h30.
Dia 23 de setembro de 2017 (sábado) das 10h às 18h.
Endereço: Praça Santos Andrade
Telefone: (41) 3304-2266
Realização Fecomércio PR; Sesc PR; UFPR; Editora UFPR; PROEC
Apoio: Prefeitura de Curitiba; RPC TV;

Patrocínio da XIV; Feira do Livro Editora UFPR; Caixa Econômica Federal

Fonte:
http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/programacao/curitiba/

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Gildo Henrique (Lançamento de Livro dia 22 de setembro em Campos/RJ)


              
              Lançado pela Editora Autografia na XVIII Bienal do Livro - Rio (2017) e no Festival Doces Palavras (FDP) de Campos dos Goytacazes-RJ.
        Trata-se de um livro de contos com narrativas sobre meados da década de 1960, tendo como cenário Tócos, 17º Distrito de Campos, além do texto integral da peça teatral de mesmo nome, levada à cena em 2011 no Teatro do SESI/Campos, e com direção de Fernando Rossi.

            Contos:

            O Segredo do Capitão Garrafa
Premiado no Concurso Nacional de Contos José Cândido de Carvalho/2010, é uma metáfora de preocupações ambientalistas, com ênfase na degradação da Lagoa Feia, a segunda maior do Brasil, ao mesmo tempo em que revela a inocência da puberdade, com um passeio entre o religioso e o profano.

            Tinenti 
Revive um importante momento de transição na história do Brasil: no dia da morte de Tancredo Neves, presidente eleito e não empossado em 1985, jornalista marca entrevista com oficial do Exército Brasileiro. Enquanto aguarda o encontro, vive reminiscências do início da Ditadura militar, quando o Capitão Francisco, seu entrevistado e amigo de infância, já demonstrava sua tenência durante as algazarras próprias da garotada.

            Jovinha Doida 
É personagem marcante na localidade. Uma mulher surge, sem paradeiro e sem parentes, pelas ruas e cercanias do distrito, provocando a população com atitudes nada convencionais. Enquanto jogam sinuca, rapazes relembram fatos da velha caduca em sua juventude. Premiado no Concurso Nacional de Contos José Cândido de Carvalho/2014.

            Filatelia
Conto escolhido para publicação pela revista Correio Filatélico da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, é uma reflexão sobre colecionadores e a busca da felicidade a partir da reunião de objetos similares, como tijolos de uma obra interminável, ao mesmo tempo em que acentua o contraste entre o camponês e o urbanóide, uma referência ao papa-goiaba e a linguagem própria da região.

            O cinema, a lupa e o tempo  
Uma casa em escombros e o reencontro com um passado em que o cinema da pacata localidade acalentava sonhos pueris. Sem dinheiro para  bilhetes, a curiosidade da gurizada era o lixão no centro de um terreno e que continha preciosidades: pedaços cortados de películas cinematográficas que apresentavam problemas durante a semana.

            Um pé de tamarindo 
 Diplomata aposentado resolve voltar ao cenário de sua infância. Nunca mais consegue retornar do labirinto em torno de uma velha árvore.
...........................................................................
- O livro tem ilustrações e fotografias coloridas, estas da montagem teatral da estreia da peça em 2011.

- A capa é do talentoso designer Genilson Soares.
- Possui prefácio assinado pelo Mestre Orávio de Campos Soares.
____________________________________

Sobre o autor:

GILDO HENRIQUE é natural de Tócos, 17º distrito de Campos dos Goytacazes, RJ. 61 anos, pai de quatro filhos. É graduado em Design Gráfico e licenciado em Letras - Português e Literaturas, ambos pela Instituto Federal Fluminense. Autor de diversos contos e de diversas peças teatrais, muitas já encenadas.
     É dramaturgo, autor de várias peças teatrais:
      
- Negrinha, adaptação do conto de Monteiro Lobato;
       - Oliver Twist, adaptação do romance de Charles Dickens;
       - A evangelização da Planície Goitacá;
       - O Segredo do Capitão Garrafa e outras histórias;
       - Marginais - nada que é dourado permanece, adaptação do romance de Susan E. Hinton;
       - Olha para o céu, Frederico!, adaptação do romance de José Cândido de Carvalho; etc.
            Foi diretor e premiado ator de teatro e de cinema Super 8mm na década de 1970, tendo sido destaque como Zé-do-burro em O Pagador de Promessas, espetáculo de sucesso na região do Norte-Fluminense.

Fontes:
Sinopse do Livro enviada pelo escritor.
Biografia = O Escritor e  Recanto das Letras 

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to