Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Prêmios Literários Cidade de Manaus 2008

Em apenas três anos os Prêmios Literários Cidade de Manaus tornaram-se um dos mais importantes concurso do País até pelo número de categorias que envolve. A afirmação foi feita pelo presidente do Conselho Municipal de Política Cultural (Concultura) ao fazer o anúncio dos vencedores da terceira edição do concurso que este ano recebeu 536 inscrições distribuídas em 16 categoriais, e 492 concorrentes ao prêmio de R$ 5 mil para cada vencedor e a publicação do livro pela Editora Muiraquitã.

O evento foi realizado no auditório do Parque do Mindu e contou com a participação de secretários municipais e de estudantes da rede municipal de ensino.

Na primeira parte do evento, os participantes ouviram clássicos do Chorinho brasileiro executados pelos músicos Rinaldo Buzaglo (violão) e Carlos Ribeiro (flauta).

As categorias contempladas este ano envolveram entre outras poesias, contos, romance, teatro infantil e adulto, crônica, ensaio, folclore, cinema, jornalismo literário, memória e literatura infantil.

Dança e ensaio sobre artes plásticas, outras duas categorias que fazem parte do prêmio, este ano ficaram de fora da disputa porque não houve um número suficiente de participantes.

De acordo com as regras estabelecidas para a disputa dos Prêmios Literários Cidade de Manaus, é preciso ter o mínimo de três participantes.

Segundo Aníbal Beça, foram recebidas inscrições de vários Estados do Brasil e de outros países como França, Suíça, Portugal e Peru.

“A exigência é que os trabalhos fossem inscritos em língua portuguesa”, explicou o presidente do Concultura.

Projetos vencedores

“A entrega dos prêmios e a publicação do livro são projetos vencedores que fazem parte da plataforma da atual administração municipal e isso fez toda a diferença”, destacou Aníbal Beça, adiantando que quando os livros são publicados, parte da edição é enviada para as escolas municipais.

“Fico feliz quando me dizem que foi criado um clube de leitura e que crianças e jovens estão lendo os livros oriundos dos Prêmios Literários”, acrescentou.

Os livros são enviados também para a biblioteca das cidades dos Estados que tiveram participantes vencedores.

O secretário municipal de Governo, Marcus Barros, destacou a importância desse projeto para as crianças e jovens de Manaus uma vez que os livros dos ganhadores passam a fazer parte da biblioteca da escola.

“A distribuição desses livros para as escolas serve de estímulo para que as crianças e os jovens aprendam a gostar de ler”, disse Marcus Barros.

Relação das obras vencedoras dos prêmios literários Cidade de Manaus 2008

I – PRÊMIO ÁLVARO MAIA- Livro de romance ou novela.
Obra vencedora: Asas Livres
Autora: Nelsi Inês Urnau
Canoas - RS

II - PRÊMIO ARTUR ENGRÁCIO- Livro de contos.
Obra vencedora: Alegrias E Alegorias
Autor: Sulivan Antonio Bressan
Porto Alegre - RS

III-PRÊMIO VIOLETA BRANCA MENESCAL - Livro de poesia.
Obra vencedora: Palimpsestos
Autor: Marco Aurélio Pinotti Catalão
Campinas - SP

IV-PRÊMIO PÉRICLES MORAIS - Livro de crônica.
Obra vencedora: Perfume Para Madame Rosa
Autora: Célia Maria Albino Maciel
Porto Alegre - RS

V- PRÊMIO ALDEMAR BONATES - Texto teatral para adultos.
Obra vencedora: Mandacaru Selvagem
Autor: Leandro Tabosa do Nascimento
Recife - PE

VI-PRÊMIO ÁLVARO BRAGA- Texto de teatro infantil.
Obra vencedora: Valentim E O Boizinho De São João
Autor: Jadson Ricardo Alves de Araújo
Recife - PE

VII-PRÊMIO SAMUEL BENCHIMOL- Livro de ensaio sócio – econômico.
Obra vencedora: Indicadores Sociais No Amazonas: Contrastes Na Urbanização Da Capital E Do Interior
Autor: Norma Maria Bentes de Sousa
Manaus - AM

VIII- PRÊMIO MÁRIO YPIRANGA MONTEIRO - Folclore
Obra vencedora: Vaqueiros E Currais – Histórias, Folclore E Tradições
Autor: Luiz Francisco da Rocha
Teresina - PI

IX- PRÊMIO ARTHUR REIS - Ensaio histórico.
Obra vencedora: Leitor Colonial, Esse Brasileiro
Autor: Jorge de Sousa Araújo
Ilhéus - BA

X – PRÊMIO LUIZ RUAS - Ensaio sobre literatura ( letras ).
Obra vencedora: Poética Da Distenção
Autor: Paulo Cezar Silva de Oliveira
Rio de Janeiro - RJ

XI- PRÊMIO GUALTER LIMONGI BATISTA- Ensaio artes plásticas.
Só houve uma inscrição, de acordo com o regulamento dos prêmios em seu artigo 11, só haverá concurso com mais de duas obras inscritas, portanto, não houve disputa nesta categoria.

XII- PRÊMIO COSME ALVES NETO – Ensaio sobre cinema
Obra vencedora: Cinema Nacional E World Cinema – Globalização, Exclusão E Novas Tecnologias Na Produção Audiovisual Brasileira.
Autora: Luiza Francisco Lusvargui
Recife - PE

XIII- PRÊMIO ÁUREO NONATO – Livro de memória
Obra vencedora: Nem Tudo É Memória
Autor: Getúlio Geraldo Rodrigues Alho
São Carlos - SP

XIV- PRÊMIO PAULO BARAHÚNA – Ensaio sobre dança
NÃO HOUVE INSCRIÇÃO NESTA CATEGORIA

XV- PRÊMIO CLÓVIS BARBOSA – Jornalismo literário
Obra vencedora: 1º DE JANEIRO DE 2003 – A Festa Do Povo Pouco Se Viu.
Autor: Yuseff Bezerra Abrahim
Manaus - AM

XVI- PRÊMIO ALFREDO FERNANDES – Literatura infantil
Obra vencedora: O Bôto Côr De Rosa E O Jacaré Do Rabo Cotó.
Autor: Pedro Lucas Lindoso
Manaus – AM
==================
Nelsi Urnau, escritora canoense que integra a Casa do Poeta de Canoas e a ACE- Associação Canoense de Escritores, conquistou o 1º lugar com o romance "Asas Livres" no "Prêmios Literários Cidade de Manaus" do Conselho Municipal de Política Cultural da Prefeitura de Manaus/AM. Nelsi, que concorreu com autores do Brasil, França, Suiça, Portugal e Perú, receberá, além de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), a publicação do seu livro pela Editora Muiraquitã. Nelsi Urnau é professora do ensino público municipal de Canoas e autora dos livros "Loucos não Insanos" (romance), "Zé Toquin" e "Cecília e amigos" (literatura infantil). Em 2008, foi patrona da 1ª Feira do Livro da EMEF Ceará e da Feira do Livro de Nova Santa Rita.
===================
Fontes:
http://www.manaus.am.gov.br/noticias/manchete/
http://www.casadospoetas.com.br
Imagem de Manaus =
http://manausemnoticia.blogspot.com

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to