Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 17 de julho de 2010

18 de Julho - Dia do Trovador


O dia 18 de julho é considerado em todo o território nacional, o Dia do Trovador, por ser a data de nascimento de Luiz Otávio, fundador e presidente perpétuo da União Brasileira de Trovadores.

Luiz Otávio era o pseudônimo usado por Gilson de Castro, cirurgião dentista nascido no Rio de Janeiro em 1916 e falecido em Santos em 1977. Foi ele, na década de cinqüenta que deu um grande impulso à trova, divulgando-a, maciçamente, no rádio, nas revistas e nos jornais, culminando com o lançamento do livro "Meus Irmãos, os Trovadores", em 1956. Este livro que reuniu 2.000 trovas de autores diversos pode ser considerado como marco inicial do movimento dos atuais trovadores. Em 1960, contando com a colaboração de J. G. de Araújo Jorge, Luiz Otávio lançou os I Jogos Florais de Nova Friburgo, iniciativa que se espalhou por todo o território brasileiro e ainda hoje e a principal forma de divulgação da trova no Brasil. Com os Jogos Florais multiplicaram-se os trovadores a tal ponto que para melhor congrega-los foi fundada em 1966 a União Brasileira de Trovadores.

E é desta UBT que partem as principais comemorações do 18 de julho. Praticamente todas as seções e delegacias criam formas para tais celebrações como reuniões festivas, palestras, almoços ou jantares de confraternização, lançamento de livros, concursos de trovas, etc.

O dia 18 de julho se transformou, por força de lei, no Dia do Trovador em dezenas de municípios por todo o Brasil e em alguns estados da federação.

Cada momento vivido
na vida que se renova,
às vezes é definido
apenas em uma trova!
Alberto Paco

A Trova não morre nunca,
Retempera a humanidade
E vence a tristeza adunca,
Alegrando a mocidade!
Apollo Taborda França

A trova é gota de pranto
que cai dos olhos de alguém
e por alguém chorou tanto
que nem mais lágrima tem.
Antonio Salomão

Sete sílabas por cima
Com idéia sempre nova,
E cadência, boa rima,
Numa quadra… a bela Trova!
Apollo Taborda França

A trova pra ser bonita
tal qual filhinha dileta:
traz sempre o laço de fita
da inspiração do poeta!
Joaquim Carvalho

Sou trovador, tenho senso
Da importância da poesia:
Encerra tudo o que penso,
Realidade e fantasia!
Apollo Taborda França

Há trovas que o vento leva;
outras, o vento desfaz…
Mas, as minhas, sem reserva
são trovas que o vento traz.
Maria Nicolas

Uma Trova pra ser boa,
Expressiva, universal,
Na mensagem apregoa
A cultura e a moral!
Apollo Taborda França

Dia dezoito de julho,
é dia do trovador.
Eu faço trovas - me orgulho,
pois as faço com amor.
HLuna

Canta, canta, trovador
e promove a festança,
convidando com amor
todo mundo para a dança.
Ana Maria Gazzaneo

E desse dia festivo
eu venho participar,
pois das trovas sou cativo:
não sei ficar sem trovar.
Mário Roberto Guimarães

Da poesia fiz meu canto,
do meu canto a alegria!
Fiz meus versos com amor,
a canção do trovador.
Maurélio Machado

Trova é cantiga bonita,
nascida do coração!
Dessa inspiração bendita
vertida em linda canção.
Zélia Nicolodi

A minha vida é uma Trova,
trova de ilusão perdida,
pois a vida é grande prova,
que prova a Trova da vida!
Gislaine Canalles

Trovador, qual o motivo
desse teu mundo risonho?
O segredo é porque vivo
envolvido no meu sonho!
Pedro Viana Filho

Nesta casa tão singela
Onde mora um Trovador
É a mulher que manda nela
Porém nos dois manda o amor.
Clério José Borges

Ó linda trova perfeita,
que nos dá tanto prazer,
tão fácil, - depois de feita,
tão difícil de fazer.”
Adelmar Tavares

"A trova tomou-me inteiro!
tão amada e repetida,
agora traça o roteiro
das horas de minha vida."
Luiz Otávio

No simples fazer da trova
A Poesia tem valor.
E o poeta tem a prova
Que, se trova, é por amor!
Luiz Carlos Lemos

"Trovador, grande que seja,
tem esta mágoa a esconder:
a trova que mais deseja
jamais consegue escrever ... “
Luiz Otavio

Quando nasce a boa trova
O coração está cheio
Do amor que sempre renova
O homem, para o seu meio!...
Luiz Carlos Lemos

Por estar na solidão,
tu de mim não tenhas dó.
Co trovas no coração,
eu nunca me sinto só.”
Luiz Otavio

Trovando, deixa pegadas
Que outros podem seguir.
Porque as pedras, paradas,
Não têm razão pra sorrir!
Luiz Carlos Lemos

"Pelo tamanho não deves
medir valor de ninguém.
Sendo quatro versos breves
como a trova nos faz bem.
Luiz Otávio

É dia do trovador,
sonhando a sua dama.
Faz poesia e amor,
rosa vermelha lhe chama…
António Zumaia

Tão simples, as trovas são
cantigas com que a alma expande
tudo que há no coração
do poeta - um menino grande.
J. G. de Araújo Jorge

Tudo é trova: a flor, a onda,
a nuvem, que passa ao léo...
E a lua... trova redonda
que a noite canta no céu!
J. G. de Araújo Jorge

Cartilhas do coração,
onde o povo se inicia,
os livros de trovas são
um ABC de poesia!
J. G. de Araújo Jorge

A trova, conta de um canto,
poça d'água sobre o chão
- tão pequenina, e entretanto,
reflete toda a amplidão!
J. G. de Araújo Jorge

A trova é como uma conta
de um rosário multicor,
é a cantiga que desponta
do peito de um trovador.
J. G. de Araújo Jorge

Pequeninas e redondas
as trovas são contas, são
como as cantigas das ondas
que se espraiam no coração.
J. G. de Araújo Jorge

Uma quadrinha é uma cova,
onde a poesia é uma flor,
por isso é que numa trova
vou sepultar este amor.
J. G. de Araújo Jorge

Quis tornar-me um trovador
para dizer que ela é minha,
mas tudo em vão, meu amor
não coube numa quadrinha.
J. G. de Araújo Jorge

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to