Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 12 de março de 2011

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas n.135 a 138)


Mensagens Poéticas n. 135

Uma Trova Nacional

Tanta falsidade existe
por gosto ou necessidade,
que a audácia maior consiste
em dizer sempre a verdade!
(RENATA PACCOLA/SP)

Uma Trova Potiguar

Trabalhei, lutei, venci,
derramei muito suor,
desta forma consegui
ter uma vida melhor.
(MÁRCIO BARRETO/RN-PB)

Uma Trova Premiada

2005 > Niterói/RJ
Tema > ENCONTRO > Menção Honrosa

Na Trova e no Trovador
é que se encontram, suponho,
criatura e Criador
unidos no mesmo sonho!
(NÁDIA HUGUENIN/RJ)

Uma Trova de Ademar

Eu já bastante maduro,
nos momentos mais bisonhos
quis construir meu futuro
arquitetado de sonhos...
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Velha rua esburacada,
o nosso sonho foi falso:
– tu nunca foste calçada
e eu continuo descalço...
(JOSÉ M. MACHADO ARAÚJO/RJ)

Simplesmente Poesia

– Gislaine Canales/SC –
O AMOR DA TARDE COM A NOITE

A tarde
vestiu-se de cinza.
A chuva
fina caindo.

O cheiro da terra
subindo.
A tarde
findando.

A noite
chegando.
A tarde amando a noite.
A noite matando a tarde.

Estrofe do Dia

Aquele corpo mulato,
que me serviu de encosto
já beijei muito seu rosto
hoje beijo o seu retrato,
se na mesa sobra um prato
sobra um vazio no leito,
nosso amor teve defeito
mas a relação foi boa;
já que quem ama perdoa
se ela voltar eu aceito.
(JOÃO PARAIBANO/PB)

Soneto do Dia

– Thalma Tavares/SP –
DIVENEI SONETISTA.

Sonetos ela os faz como alguém que cinzela
uma jóia preciosa, inusitada e bela,
para vê-la, depois, sobre algum coração,
causar inveja à luz e despertar paixão.

E o produto final que o seu estro revela
nem sempre é o ideal que o seu querer anela,
mas é fruto, afinal, de muita inspiração
que consegue encantar e causar emoção.

Afirmo que eles têm muita luz e energia...
Soam como rojões, com pirotecnia
porque causam em nós a sensação do estouro.

Não há neles lugar para o lugar comum
e além de Divenei versejador algum
consegue superá-la em seus sonetos de ouro.

Mensagens Poéticas n. 136

Uma Trova Nacional

Eu vejo Deus na magia
dos versos simples que teço:
Deus é rima, amor, poesia,
é fim, é meio, é começo !
(DELCY CANALLES/RS)

Uma Trova Potiguar

Vou procurando com calma
algo que valha uma flor,
extraindo espinhos d’alma
e implantando muito amor.
(GONZAGA DA SILVA/RN)

Uma Trova Premiada

2001 > Porto Alegre/RS
Tema > USINA > Menção Honrosa

Um cenário de magia
surge aos versos que componho:
- Um reator de poesia
na imensa usina do sonho!
(MARISA VIEIRA OLIVAES/RS)

Uma Trova de Ademar

A lua dos Trovadores
já não a vemos tão bela,
astronautas malfeitores
pisaram na face dela.
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Sem resposta que conforte,
dúvida imensa me corta:
Qual o segredo da morte?
Fim? Partida? Porto? Porta?
(ALONSO ROCHA/PA)

Simplesmente Poesia

– João Udine/CE –
SALÁRIO MÍNIMO.

Mínimo do pobre
de escassas merrecas.
Minguados cobres
Que os leva à breca.
Mínimo salário
de suor artrítico.
Valor salafrário
para um sifilítico...
Salário
minúsculo
raquítico
mínimo
ínfimo.
Salário
minguante
de fome...

Estrofe do Dia

Uma estrofe, um poema, uma canção,
um soneto, uma trova, uma sextilha,
um galope, um rojão, uma quadrilha,
um Brasil de caboclo ou um mourão,
um quadrão beira-mar, oito a quadrão,
um famoso martelo agalopado,
seja escrito ou então improvisado
não altera os valores do autor,
tudo quanto produz o cantador
deveria ser lido e divulgado.
(DAUDETH BANDEIRA/PB)

Soneto do Dia

– Sabino Romariz/AL –
O LÍRIO.

O lírio era uma flor imaculada,
casta como um sorriso de Maria;
flor de uma alvura tal que parecia
ter sido feita de hóstia consagrada.

Em Getsemâni, a face ensanguentada
Jesus tragava o cálix da agonia
e uma gota de sangue luzidia
sobre um lírio caiu cristalizada.

E nisto flor, sem mancha concebida,
foi-se tornando como que dorida
tomando aquele tom violáceo, frouxo...

E de como era outrora alvinitente
o lírio da Judeia, finalmente
crepuscular ficou, tornou-se roxo.

Mensagens Poéticas n. 137

Uma Trova Nacional

Maria-mole gigante
sonhou comendo, o doceiro...
Quando acordou, ofegante
- faltava-lhe o travesseiro!
(PEDRO ORNELLAS/SP)

Uma Trova Potiguar

Este teu corpo de miss
deixa o meu coração tenso,
imagina, se eu te visse
daquele jeito que eu penso!
(CLARINDO BATISTA/RN)

Uma Trova Premiada

2007 > Sete Lagoas/MG
Tema > CHAMA > Venc.

Mulher, o que é que te faz
ir cozinhar no vizinho?
- É que lá tem fogo a gás,
sobe a chama rapidinho...
(ALBA CHRISTINA C. NETTO/SP)

Uma Trova de Ademar

Visita pra meter medo,
que nem vassoura adianta,
é aquela que chega cedo
e só sai depois que janta!
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Já diz o velho ditado,
que lenha verde e viúva,
com paciência e cuidado
pegam fogo até na chuva!...
(ALOÍSIO ALVES DA COSTA/CE)

Simplesmente Poesia

MOTE:
Bebo, fumo, jogo e danço,
sou perdido por mulher.

GLOSA:
Vida longa não alcanço
na orgia e no prazer,
mas, enquanto eu não morrer,
bebo, fumo, jogo e danço.
Brinco, farreio e não canso,
me censure quem quiser,
enquanto vida eu tiver
cumprindo esta sina venho
e além dos vícios que tenho
sou perdido por mulher.
(MOYSÉS SESYOM/RN)

Estrofe do Dia

Lá em casa a crise é tanta
que eu nem sei como resisto,
a roupa que estou usando
é minha e do Evaristo,
quando em não visto, ele veste;
quando ele não veste, eu visto.
(AFONSO PEQUENO/PE)

Soneto do Dia

– Luís Guimarães Júnior/RJ –
VISITA À CASA DA SOGRA

Como urubu que regressasse ao ninho,
a ver se ainda um bom caminho logra,
eu quis também rever a minha sogra,
o meu primeiro e virginal carinho.

Entrei. Pé ante pé, devagarzinho,
o fantasma, talvez, daquela cobra...
Tomou-me as mãos, olhou-me bem, de sobra...
E levou-me para dentro, de mansinho.

Era este quarto, oh! se me lembro, e quanto...
Em que, à luz da lua que brilhava,
o pau roncava forte, tanto e tanto,

no costado da gente, sem piedade,
um cacete bem grosso lá no canto...
Minhas costas choraram de saudade...

Mensagens Poéticas n. 138

Uma Trova Nacional

Quem não sabe, quem não sente
que às vezes nos custa caro
essa audácia de ser gente,
quando ser gente é tão raro?!
(CAROLINA RAMOS)

Uma Trova Potiguar

Uma das coisas que movem
um idoso a viver bem
é ter o espírito jovem,
que muitos jovens não têm.
(JOSÉ LUCAS DE BARROS/RN)

Uma Trova Premiada

1998 > Bandeirantes/PR
Tema > USINA > Venc.

Meu sofrido coração
não guarda mágoa ou rancor:
é uma usina de perdão
que opera a todo vapor.
(MILTON SOUZA/RS)

Uma Trova de Ademar

Quem “monta”, em nome de Cristo,
o seu próprio "capital";
pagará caro por isto
no julgamento final...
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Saudade, quase se explica
nesta trova que te dou:
saudade é tudo que fica
daquilo que não ficou.
(LUIZ OTÁVIO/RJ)

Simplesmente Poesia

– Rodrigues de Gouveia/AL –
A MORTE DO MEU SONHO.

A morte do meu sonho foi tão triste!
Não teve velas, nem choro, nem nada.
Tão triste como a fria madrugada
que à luz do dia em ficar persiste.

Foi tão cruel a morte do meu sonho!
Sonho que morreu quase sem nascer.
Esperança vã que não quis viver
nesse mundo sem luz e tão tristonho.

Sonhar é viver, é sentir na vida
outra vida de sonho e de ventura,
que zomba da mais tétrica amargura
e alegra qualquer dor, por mais sentida.

Por isso eu sinto tanto, tanto a morte
que o meu sonho levou tão apressada
pois a minh’alma irá assim, cansada,
em busca d’outro sonho que a conforte.

Estrofe do Dia

Não tem mais o cachorro nem o gato
A cumeeira da casa é só cupim,
a panela de barro levou fim
e na cozinha não tem mais nenhum prato,
só tem cobra correndo atrás de rato,
não tem mais o cavalo nem a sela
nem ferrolho e nem porta na janela,
nem cadeira debaixo da latada;
toda casa de taipa abandonada
guarda um grito de fome dentro dela.
(CHICO QUELÉ/RN)

Soneto do Dia

– Miguel Russowsky/SC –
DOMINGO CHUVOSO...

Chove...Minha caneta escrevinhando, atoa,
pede um tema e nem sei o que fazer...
Se eu fosse nau, dirigiria a proa
ao mares da alegria e do prazer.

Se alguém se atreve a sugerir-me:- Voa!...-
com asas curtas, posso obedecer? -
Quando há zeros demais numa pessoa,
as asas se recusam a crescer.

A “Hora de escrever” trouxe nas malas
só rimas pobres e se devo usá-las
usa-las-ei; já não mais tenho brios.

Chove... Deixo que chova. Pouco importa
três versos chulos numa estrofe torta.
Domingo e chuva, os dois estão vazios.

Fonte:
Ademar Macedo
23 a 26 de fevereiro

Um comentário:

Roberto Pinheiro Acruche disse...

Que beleza!
Recebo com alegria as novas postagens deste blog. Já estava sentindo falta. Abraços...
Roberto Acruche

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to