Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 14 de março de 2011

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas n.139 a 141)

Observação sobre a figura abaixo:
A figura é sempre a mesma, mas a trova de Ademar é sempre diferente.
A figura: Ademar Macedo, o Brasão de Santana do Matos ao lado, na janela: a Catedral da cidade e "Asa Branca", o carro de Ademar.

Mensagens Poéticas n. 139

Uma Trova Nacional

Doces lembranças guardadas,
no peito, quem não as tem?...
De caminhar de mãos dadas,
por sobre os trilhos do trem.
(NEOLY VARGAS/RS)

Uma Trova Potiguar

Olhando Cristo, na cruz,
eu vejo nele os pecados
que a gente mesmo produz,
pondo em seus ombros sagrados.
(TARCÍSIO FERNANDES/RN)

Uma Trova Premiada

2010 > Belo Horizonte/MG
Tema > IMPRENSA > Venc.

Feliz o povo que pensa
e que se expressa à vontade.
Onde amordaçam a imprensa
morre à míngua a liberdade.
(A. A. DE ASSIS/PR)

Uma Trova de Ademar

Se orgulhar porque perdeu,
não lhe dá nenhuma glória;
somente quem já venceu
goza os louros da vitória...
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Eu comparo o arrependido
que o perdão vê numa cruz,
ao viajante perdido
que avista ao longe uma luz.
(LILINHA FERNANDES/RJ)

Simplesmente Poesia

– Mariva/PB –
NINHO DE JOÃO DE BARRO.

Sem diploma e sem dinheiro
sem ter curso de engenheiro
fez a casa na janela
somente pensando nela.

Estrofe do Dia

Futuro jamais espero,
a decadência me diz;
já fiz tudo quanto quis
hoje não faço o que quero,
com isso eu não me altero
e nem tão pouco detesto,
vou lançar meu manifesto,
me acho de tal maneira;
igualmente um fim de feira
onde só se encontra resto.
(JOSUÉ DA CRUZ/PB)

Soneto do Dia

– Sergio Severo/RN –
SONETO DE CAMARADAGEM.
(Ao Popular Poeta Ademar Macedo)

Meu Bom Amigo, amante da poesia,
companheiro d’Armas... E de sequela,
não sendo a nossa Vida mais aquela,
que no passado, franca, nos sorria...

Ainda temos uma outra via,
onde os caminhos não são tão floridos,
onde arrastamos nossos pés, feridos
e onde a Sorte, avessa, nos espia.

Seja essa Sorte, Mãe; seja Madrasta,
para as lamúrias nós diremos: Basta!!
ao caminharmos, lentos, pela rua...

Se já não é tão forte o nosso abraço,
os nossos nervos ‘ inda são de aço...
Meu Bom Amigo, a Vida Continua !!

Mensagens Poéticas n. 140

Uma Trova Nacional

No meu baú de lembranças
onde a rotina enterrei,
restaram minhas andanças
e os prantos que derramei...
(REJANE COSTA/CE)

Uma Trova Potiguar

Usando de violência,
irmão agredindo irmão
jogam fora a consciência;
caminham na contra mão.
(ROSA REGIS/RN)

Uma Trova Premiada

2006 > Amparo/SP
Tema > SAÚDE > Menção Especial

É do passado a lição,
mas com valor no presente:
- Só pode ter corpo são
quem tem saúde na mente.
(NEWTON VIEIRA/MG)

Uma Trova de Ademar

Quem faz em nome de Cristo,
o seu próprio pedestal,
pagará caro por isto
no julgamento final...
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Quando eu partir - não sei quando,
não ponhas, minha querida,
teus olhos, lindos, chorando,
sobre os meus olhos, sem vida.
(ANIS MURAD/RJ)

Simplesmente Poesia

BORBOLETA ENLOUQUECIDA.
MOTE: Alonso Rocha/PA
Sempre que eu sonho na vida
sou, numa luta sem jaça,
borboleta enlouquecida
batendo contra a vidraça.

GLOSA: Gislaine Canalles/SC
Sempre que eu sonho na vida
a tristeza me acompanha,
sinto a alegria perdida,
de maneira bem estranha!
Me sinto quase ninguém.
Sou, numa luta sem jaça,
aquele ser, que também,
sente na alma, uma mordaça!
Toda a ternura esquecida,
consegue fazer de mim,
borboleta enlouquecida
voando rumo ao seu fim!
A vida é uma caixa preta!
Meu sonho vira fumaça,
me sinto essa borboleta,
batendo contra a vidraça.

Estrofe do Dia

Canta o poeta em cantiga
as queixas sentimentais
com sua viola amiga
dando notas musicais,
o único noivo da lua
adormece em plena rua
após qualquer serenata,
ferido por mil anseios
num mundo só de gorjeios
como o sabiá da mata.
(CANCÃO/PE)

Soneto do Dia

– Francisco Macedo/RN –
SILÊNCIO X GRITO.

Se quisermos falar ao coração,
que o tom da nossa voz, seja baixinho,
e toda “enternurada” de carinho,
envolvida em veludo de paixão!

No momento maior de uma emoção,
o silêncio, por si, fala sozinho,
revelando segredo do caminho,
duas almas iguais, celebração!...

Gritar alguém, por quê? - se estamos perto?
- Grita-se com alguém, lá longe, é certo...
O grito só afasta, distancia!

Grite se for falar com um casmurro,
mas falar ao sensível, só sussurro...
Grite a todo pulmão, com poesia!

Mensagens Poéticas n. 141
Uma Trova Nacional

Rasguei teu retrato e, triste,
recordando a nossa história,
o negativo persiste,
revelado na memória!...
(HERMOCLYDES S. FRANCO/RJ)

Uma Trova Potiguar

Meu Deus! se a chuva caída,
fecunda o sertão no estio,
o inverno é fonte de vida
do sertanejo bravio!
(PROF. GARCIA/RN)

Uma Trova Premiada

2010 > TrovaUniverso/RN
Tema > SILHUETA > Menção Especial

Trago no peito guardada,
entre as lembranças da vida
a silhueta gravada
da tua imagem querida!
(ZENAIDE MARÇAL/CE)

Uma Trova de Ademar

Quando o amor causa queixume
por um motivo banal,
cada cena de ciúme
apressa mais seu final.
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

A bondade é flor que encerra,
no mundo, o maior troféu,
daqueles que, aqui na Terra,
vivem voltados pro Céu.
(MARIINHA MOTA/SP)

Simplesmente Poesia

– Carmo Vasconcelos/PORTUGAL–
A PAZ DO POETA.

Vive o poeta na angústia permanente
De não ter sábios dons de bruxo ou mago,
Que lhe outorgassem poder onipotente
Pra consertar no mundo tanto estrago!

E num dilema mártir ouve os gritos
Dos que em tortura sofrem mil carências,
Minguando na miséria atroz, aflitos,
Vítimas de brutais incongruências!

E revolta-se o verso escrito a sangue,
E gela-se-lhe a mão pela impotência
De prover a cada alma e corpo exangue,
A humana e natural sobrevivência!

Enquanto houver desprezo, fome e guerra,
Às mãos cruentas dos aios de Satanaz,
Haverá de encrespar-se o mar e a terra,
E há-de lutar o Poeta pela Paz!

Estrofe do Dia

Um canário cantador
Um Xexéu de bananeira
Uma morena faceira,
Um burro véi machador
Um facão bem cortador
Bota pra pisar no chão
Num peito "chei" de paixão
Um coração ta morrendo
Isso é mesmo que estar vendo
Paisagens do meu Sertão.
(MANOEL RODRIGUES DE LIMA/SP)

Soneto do Dia

– Gilson Faustino Maia/RJ –
RENASCIMENTO.

Nasce outra rosa no jardim florido,
nasce o perfume, o amor, a poesia,
tão logo raia o sol de um novo dia
e morre a madrugada sem gemido.

Levanto o meu olhar enternecido
e vejo um horizonte que extasia,
de luz e cores, tudo em harmonia,
cenário que me deixa comovido.

E eu choro a minha humana imperfeição
diante do esplendor da natureza,
sem sentir do Universo esta lição:

se o passado morreu, viva a certeza
de um novo amor que invade o coração
matando a dor, o pranto e a tristeza.

Fonte:
Ademar Macedo
27 e 28 de fevereiro e 1 de março

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to