Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

terça-feira, 15 de março de 2011

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas n.142 a 144)


Mensagens Poéticas n. 142

Uma Trova Nacional

No Carnaval, meus amores,
vou atrás de outros carinhos:
sensualidade de flores
e canto de passarinhos.
(OLYMPIO COUTINHO/MG)

Uma Trova Potiguar

Triste sina a do andarilho,
sem teto, sem proteção...
Transeunte maltrapilho,
a mendigar pelo pão.
(DJALMA MOTA/RN)

Uma Trova Premiada

2010 > “ATRN”–Natal/RN
Tema > INSPIRAÇÃO > 12º Lugar.

A noite inteira acordado
e a inspiração não chegou.
Um poeta amargurado,
foi somente o que restou!
(ALBERTO PACO/PR)

Uma Trova de Ademar

Meu “currículo” é comum,
digo com toda alegria:
não tenho curso nenhum...
Mas sou formado em poesia!
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Meus sentimentos diversos
prendo em poemas pequenos;
quem na vida deixa versos,
parece que morre menos...
(LUIZ OTÁVIO/RJ)

Simplesmente Poesia

– José Alberto Costa/AL –
VIDA REINVENTADA

A noite minh'alma percorre
o infinito espaço
das lembranças perdidas.
Enquanto durmo,
recolhe pedaços
dispersos de mim,
reinventando uma vida
de coisas esquecidas,
revolvendo escaninhos
de desejos contidos
repletos de sonhos
da adolescência
que deixei fugir.

Estrofe do Dia

Perdi os meus ideais,
minha existência está finda,
apenas recordo ainda
tempos que não voltam mais;
me restam só os sinais
das chagas do desenganos,
machucado pelos danos
chocado, sentindo medo,
olhando para o rochedo
da serrania dos anos.
(JOSUÉ DA CRUZ/PB)

Soneto do Dia

– Diamantino Ferreira/RJ –
INVEJA

- Como invejo as estrelas!... Como invejo
a placidez da lua, o brilho intenso
dos astros cintilantes... Quando penso
no que existe de belo e malfazejo!...

Ausente das disputas de um pretenso
mundo estéril, malévolo e sem pejo,
sua apatia é tudo quanto almejo
para esquivar-me aos que não têm bom senso...

Desejo vão!... Porém, fosse verdade...
Pudesse olhar, do céu, toda a maldade...
As coisas vis, de lá pudesse vê-las!...

Como seria bom!... Infelizmente,
Tais coisas acontecem tão somente
Quando a mente vagueia entre as estrelas...

Mensagens Poéticas n. 143

Uma Trova Nacional

Meus desejos reprimidos
são lembrados, de verdade,
nos momentos bem vividos
dos carnavais da saudade!...
(GUTEMBERG LIBERATO/CE)

Uma Trova Potiguar
Carnaval, festa, nudez,
o juízo fica mudo,
mas não perca a sensatez.
Prevenção é quase tudo!...
(IEDA LIMA/RN)

Uma Trova “NÃO” Premiada

Nesta paixão sem igual,
de alegria verdadeira,
nossa vida é um Carnaval
sem direito à quarta-feira!
(ARLINDO TADEU HAGEN/MG)

Uma Trova de Ademar

Sem bloco e sem fantasia
é o carnaval do Poeta.
Não pode faltar poesia,
pois se faltar... Deus completa!
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

A fantasia acabou...
Joguei a máscara a esmo,
e, da farsa, o que restou:
- eu, palhaço de mim mesmo!
(NÁDIA HUGUENIN/RJ)

Simplesmente Poesia

– Efigênia Coutinho/SC –
BRINCAR DE SER FELIZ!!

O carnaval já vem chegando
Os tambores o samba batucam,
Vou nessa! Do morro já desço dançando.
Lá no meio a gente esquece,
Pois as luzes nos encantam.
A folia num sensual vai-e-vem,
Entre beijos nos aquece
Com o gosto que a vida tem.

Dancei, cantei, do asfalto pura emoção!
Eu quero bis... Brincar de ser feliz!
Pelo carnaval da ilusão,
O amor vem nas cores do matiz,
Este Amor que a fé não se desfez
Bate alegre em meu coração:
Tentando mais outra vez...
Brincar de ser Feliz!...

E assim eu vou desfilando,
Pelas passarelas da folia.
Vou nessa, o ritmo acompanhando,
Num gozo de pura alegria.
Soltando as amarras, sentindo a emoção,
Vestindo as cores da fantasia,
Que se molda ao meu coração,
Eu vou... Cantando o samba da excitação.

Estrofe do Dia

Hoje eu faço do “repente”
minha grande alegoria,
nos versos de uma setilha
ponho a minha fantasia
para a festa ser completa;
pois carnaval de poeta
não pode faltar poesia.
(ADEMAR MACEDO/RN)

Soneto do Dia

– Francisco Macedo/RN –
CARNAVAL DE ILUSÕES.

Carnaval, explosão maior de uma alegria,
fantasia, pierrô no olhar da colombina,
“carne vale” e se vale, então a adrenalina,
tem a força total da carta de alforria.

O pandeiro dá o tom e o ritmo da harmonia,
parceria se faz com samba e dançarina,
uma porta-bandeira de alma feminina
a bailar sobre o asfalto, na coreografia.

O reinado de momo que nos fez sonhar,
sermos príncipes, reis para a escola ganhar,
bateria, no enredo e grande evolução.

Quarta-feira de cinzas, não tarda a chegar
na avenida deserta como a flutuar,
despertamos de um sonho: Foi tudo ilusão!

Mensagens Poéticas n. 144

Uma Trova Nacional

Minha mulher é nanica,
mas na cama é colossal:
ronca mais do que cuíca
na terça de carnaval!...
(WANDA DE PAULA MOURTHÉ/MG)

Uma Trova Potiguar

Para aumentar meu desejo
vou botar pimenta e sal
para esquentar cada beijo
trocado no carnaval.
(MARCOS MEDEIROS/RN)

Uma Trova “NÃO” Premiada

No carnaval; distraída,
saliente e bem dotada,
a jovem se viu perdida
e nem se deu por achada!
(JOSUÉ VARGAS FERREIRA/SP)

Uma Trova de Ademar

Cabra que se fantasia,
veste saia e bota peito;
só é homem no dia-a-dia
porque não tem outro jeito.
(ADEMAR MACEDO/RN)

...E Suas Trovas Ficaram

Sambando quase pelada
no Bloco do “Vai sem Medo”,
Paulete foi mais cantada
que o refrão do samba-enredo!
(ALOÍSIO ALVES DA COSTA/CE)

Soneto do Dia

– Pedro Mello/SP –
CONSAGRAÇÃO.

Cansado do "jejum" que a sua idade
lhe impôs à atividade sexual,
o vovô se animou com a novidade
de que o Viagra não faria mal...

Cheio de amor pra dar e de Ansiedade,
Alfredo foi pular o Carnaval...
E na Sapucaí, uma beldade
fê-lo sentir-se forte e jovial...

Mas na hora "H"... seu coração se abate...
Alfredo é posto fora de combate,
mas sucumbe feliz nosso ancião:

É velado com grande galhardia
e, escondendo o "tamanho" da alegria,
flores a mais enfeitam seu caixão...
---
Fonte:
Ademar Macedo
2, 3 e 4 de Março

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to