Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ciranda da Primavera (Seleção por Simone Borba Pinheiro) Parte 5

JOYCE LUAZUL
Primavera e Vida

 Primavera... sem demora!
 Primavera a inspirar
 Poemas e canções a embalar...
 A poesia flui, agora!

 Eterna melodia do coração!
 Pássaros e animais a festejar...
 Ela, com suas flores a perfumar,
 Quando vem, há comemoração.

 Quando se vai deixa seu olor
 Para lembrar que retornará um dia...
 Ao voltar semeará poesia e melodia:
 Momento de cantar poema de amor!

 Deixar fluir a saudade por onde passar...
 Como a vida tem tempo para ser vivida!
 Vida pode, em breve momento, ser perdida.
 Existência breve... eis a razão de hoje amar!
––––––––––––––––

JOYCE LUAZUL
Árvore na Primavera


 Primavera...das estações a mais bela
 Muitos dias do ano esperei por ela
 Árvore com folhas e flores revestida
 Que no inverno frio foi despida

 Árvore do amor por mim plantada
 Aguardo na Primavera sua florada
 Caminhando feliz por entre as flores
 Sigo relembrando todos os meus amores

 Vejo na árvore copada e florida
 As alegrias que oferece a vida
 Ser uma flor cor-de-rosa eu quisera
 Uma flor da árvore na Primavera

 Árvore com folhas e flores coloridas
 Na Primavera renascem suas vidas
 Sinto na alma também o renascer
 Fazendo a árvore da vida florescer
––––––––––––

LIGIA TOMARCHIO
Primavera Poema


Densos tapetes de folhas esquecidas
pretéritos sons, esvoaçantes cortinas
nuas árvores emolduradas pela retina
do tempo perene e repetitivo.

Derradeiro sonho outonal
desdenha o inverno
criando em si um eterno desejo
do imaginar cores e flores.

Memória viva, atenta
desperta involuntária paixão
um amar intenso a verdejar
nos campos e versos do poeta.

Ciclo da vida mensageira
não mais sussurra
eclode florida primavera
poema único da existência.
––––––––––––––––––––-

LINA ROCHA
Primavera


As cores invadindo o espaço
colorindo tudo sem embaraço
sob o perfume das flores
e o gorjear dos pássaros
os amores que se renovam
brincam nesse arco-íris
os momentos se tornam mais felizes
mais cheios de brilhos das matizes
a esperança que é sempre verde
brota nos corações como magia
trazendo um novo alento
para o renascer do dia
o céu espalha seu manto azul
refletindo pelas planícies
acalmando os dias difíceis
O sol aquece as emoções
que aos poucos criam raízes
e solidifica as relações
O desabrochar da primavera
abre todas as janelas
deixando sair aos poucos o bolor
dos longos dias frios do inverno
das noites escuras sem calor
––––––––––––––-

LORENZO YUCATÁN
A Primavera Chegou...


Enfim, chegou a estação das flores!
Minh'alma canta... e não é pra menos!
Vejo, da natureza, seus lindos acenos;
Novos tempos, de nuances multicolores.

Tenho a sensação do paraíso a meu redor...
Há algo de diferente... Um convite ao amor.
Assim como a primavera seduz o beija-flor,
Nela, a paixão entre os amantes fica maior.

Quero ficar mais a teu lado, a partir de agora,
Passear de mãos dadas pelos bosques e jardins,
Feliz, apanhar e te oferecer violetas e jasmins,
Ouvindo o canto dos pássaros, admirando a flora.

Nestes três meses floridos que temos à frente,
Contigo, pretendo namorar no banco da praça,
Apreciar teu jeitinho de mulher, cheio de graça,
E que tudo faz para me ver e deixar contente.

Nas noites primaveris, já nos vejo abraçadinhos,
Pertinho da fonte luminosa e sob seu hídrico véu,
Desgarrado dos jatos d'água que procuram o céu,
Uma cortina de respingos que nos deixa molhadinhos.
––––––––––––––––––––––––––

LUIZA DE MARILLAC BESSA LUNA MICHEL
A Rosa e o Espinho


Vida curta e vã
Beleza e Alteza
Numa breve manhã

Galho selvagem
Estupendo rebento
Em espinhos tantos

Pétalas são alvas
Deslizando sob mãos
Sem tocar nos espinhos

Assim é a vida
Doçura e fel
Ventura e Desilusão

Rosa aventureira
Deste meu coração
Atravessa a vida

Ferindo o cultivo
Floresce tão amada
Fenece tão pisoteada...
––––––––––––––––––––

MANUELA NEVES
Primavera


Nascida de vida renovada
Carente de festas e afectos
És ardente Primavera em flor
A estação que me fez renascer
e tornar flor

Magia de momentos breves
Movimentos de vida multicor
És Primavera fonte inesgotável
Fé no amanhã, eterno amor.
––––––––––––––––––––-

MARCIAL SALAVERRY
Estamos na Primavera


Primavera, dita do amor, a estação,
estimula o amor no coração,
para a alma, dá mais vida,
para vida, mais amor,
para o amor, mais calor...
A Natureza se enche de cores,
com a explosão das flores,
perfumando o ar com seus odores,
estimulando corações enamorados,
a seus amores apaixonados...
Um bouquet florido...
Um desejo declarado...
Um amor acontecido...
Um prazer desejado...
Com um ramo de flores,
conquistam-se amores...
Com uma simples rosa,
um verso, uma prosa,
declaramos nosso amor...
Assim é a Primavera, enchendo a vida de cor...
Assim ficam nossos corações, prontos para amar
a quem seu amor nos venha declarar...
––––––––––––––––––––––––––––-

MARGARET PELICANO
Seja Bem Vinda Primavera


Dos tinteiros mais imprecisos,
espalhou-se em cores a primavera!

Do artista mais impressionista,
expressou-se em formas a primavera!

Da vontade mais narcisista
surgiram as flores e seus olores...

Assim, como quem não quer nada,
vão chegando e abafando
parecem longas saias,
com a terra se misturando,
nos galhos se espalhando
ó primavera rendada...

Das janelas é o decote,
de onde saltam os seios da natureza,
jorrando belezas tantas
que quem tem olhos para ver não se cansa
de acordar e ver o amanhecer e o anoitecer...

São dias e dias de belezas,
frescores, correntezas de bem viver...
Seja bem vinda primavera,
mais uma vez doce quimera,
a amaciar a caminhada
dos seres na morada Terra!

Fonte:
Seleção por Simone Borba Pinheiro. in http://www.familiaborbapinheiro.com

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to