Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Folclore dos Estados Unidos (Wendigo, O Espírito Canibal)

Parte da mitologia algonquina, principalmente das tribos Cree e Ojibua, o wendigo tem muitas aparências segundo as lendas, tanto pode ser um tipo de pé-grande canibal, com longos dentes e um silvo perturbador que pode ser ouvida à distância, quanto pode ser um esqueleto ambulante, com pele cinza, olhos fundos de cadáver, e que às vezes só pode ser visto de lado, porque de frente ele aparenta ser apenas uma linha fina. Outro aspecto é sua fome incontrolável, quanto mais se alimento mais tem fome… Pode comer dezenas, centenas mas sempre terá fome… Por isso o wendigo é símbolo de ganância e insaciedade. Outra característica é seu odor. Quando um wendigo está perto se sente um odor de podridão sem igual, como se carcaças estivessem ao seu redor.

No conto de Algernon Blackwood, o wendigo aparentemente toma conto do corpo do guia, e o faz desaparecer na mata. Contemporâneo de Lovercraft, ele cria um clima de imenso terror onde não se descobre se tudo é real ou alucinação coletiva… O guia começa a ouvir uma voz sibilante e cavernosa o chamando, sente um cheiro ruim e estranho e desaparece na mata. O conto descreve o que se chama “febre das matas”, quando tudo aquilo (silêncio, mata, solidão) engloba o homem de tal maneira que ele corre para a floresta de onde não mais retorna, vítima da febre.

    Outro aspecto é sua fome incontrolável, quanto mais se alimento mais tem fome… Pode comer dezenas, centenas mas sempre terá fome… Por isso o wendigo é símbolo de ganância e insaciedade. Outra característica é seu odor. Quando um wendigo está perto se sente um odor de podridão sem igual, como se carcaças estivessem ao seu redor.

Parece ser o que acontece como guia, mas depois de muito procurar, o restante do grupo, senta ao redor da fogueira e ouve um som vindo do alto das árvores… Chamado por um deles, uma coisa cai no acampamento. É o guia, mas totalmente transfigurado… Pele pendurada no corpo, olhar feroz e alucinando, olhos esbugalhados, voz vinda das profundezas….O wendigo dele se apoderou.

O mito do wendigo está relacionado à prática do canibalismo. Muitas vezes, devido a fome e frio, principalmente durante o inverno, alguém recorria ao canibalismo para sobreviver. Fazendo isso, ele seria possuído pelo espírito do wendigo e se tornaria um.

Então tanto existe o wendigo enquanto criatura, peluda ou não, como também existe a possessão do espírito demoníaco do wendigo.

Em algumas lendas desse povo, alguém também pode se tornar um wendigo se necessário para proteger seu povo ou lar de algum perigo. A pessoa se torna um gigante e depois de passado o perigo ele pode retornar à forma humana ou se embrenhar no mato para nunca mais aparecer.

    Chamado por um deles, uma coisa cai no acampamento. É o guia, mas totalmente transfigurado… Pele pendurada no corpo, olhar feroz e alucinando, olhos esbugalhados, voz vinda das profundezas….O wendigo dele se apoderou.

Em um conto lido por mim, também podem se apresentar wendigos bons e maus… Como no caso do casal que vivia com o filho e foi visitado pelo wendigo. Ele nada fez ao casal, apenas ficou se servindo da caça trazida pelo homem e foi embora dando de presente um arco e flechas mágicos…. Porém tempos depois, a mulher estava sozinha e vendo outro wendigo se aproximando, não teve medo. Este ao chegar perto se mostra hostil e ela é morta quando tenta fugir.

    (…)O próprio índio reconheceu os sintomas e admitiu que iria se tornar o monstro, pedindo que alguém o matasse antes disso… Então deixaram o irmão dele para a tarefa, ficando por perto para ajudá-lo se necessário. Ele acertou o coração do “wendigo”, mas não houve sangue(…)

Também na literatura encontramos a “psicose do wendigo”, quando mesmo com comida à disposição, a pessoa come carne humana. Um dos casos mais famosos é o de Swift Runner, um caçador de Alberta, que comeu sua mulher e cinco filhos, mesmo a uma distância relativamente curta do posto de abastecimento. Ele foi julgado e condenado em Fort Saskatchewan.

Outro caso famoso é do chefe Cree e xamã Jack Fiddler, que entre seu povo era respeitado por localizar e exorcizar wendigos, matando alguns índios no processo. Ele e seu irmão foram julgados culpados por um tribunal, mas ele até o fim insistiu que estava livrando o povo de um mal maior e que poderia se espalhar se nada fosse feito.

Porém, para essas tribos é aceitável matar um wendigo. Casos foram julgados em que índios eram réus por esse motivo. Como Machekequonabe, uma índia que matou o seu pai adotivo, que estava possuído pelo espírito do wendigo.

Em outro caso índios Cree observaram que um membro do grupo estava se tornando um wendigo. O próprio índio reconheceu os sintomas e admitiu que iria se tornar o monstro, pedindo que alguém o matasse antes disso… Então deixaram o irmão dele para a tarefa, ficando por perto para ajudá-lo se necessário. Ele acertou o coração do “wendigo”, mas não houve sangue, então os outros vieram e acertaram o moribundo com pedaços de pau e queimaram o corpo em uma estaca. Para matar o wendigo é designado sempre um parente, assim se evita que a família queira vingança contra o carrasco.

Também um índio de nome Abisahibs matou uma família inteira em Yor Factory. Ele foi posto a ferros por um comerciante de Hudson´Bay. Ele foi solto porque gerou uma comoção entre os índios do local, que temiam caçar com ele por perto, mesmo preso. Mas mesmo solto ele não deixou o local e foi preso novamente, talvez pela própria segurança. Então os índios Cree resolveram fazer sua própria justiça, tiraram ele da prisão, o mataram com um machado e queimaram o corpo para que o espírito não os assombrassem.

O wendigo é contado em lendas e documentos oficiais. Espírito da floresta ou simplesmente faminto por carne humana, ele não mais assombra como antes. Porém, nos primórdios da colonização quando a floresta ainda “chamava” pelos incautos penso como seria estar só naquela imensidão solitária ouvindo os ruídos da mata sem saber exatamente o que seriam….

Só, naquele local o homem deveria ser possuído por algum mal ancestral que o faria novamente ser o caçador bestial de outras épocas, predando até mesmo a seus semelhantes.

Esse é chamado demoníaco do wendigo, o espírito canibal.

Fontes:
http://books.google.com.br/books?id=MJTuqyabJTgC&pg=PA75&dq=wendigo&as_brr=0#v=onepage&q=wendigo&f=false
Texto em português http://casadecha.wordpress.com
Imagem: http://www.shipoffools.wikia.com

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to