Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Christopher Paolini (Ciclo da Herança)



O bestseller Eragon, primeiro volume da Trilogia da Herança, do norte-americano Christopher Paolini, com mais de quatro milhões de exemplares vendidos em 38 países, chegou ao topo da lista dos livros mais vendidos do New York Times, do Washington Post, do USA Today e do Publishers Weekly. No rastro do sucesso de outros títulos de fantasia, como Harry Potter e O Senhor dos Anéis, Eragon também chegou às telas dos cinemas mundiais em 2006, pela Fox.

Nos Estados Unidos, o título manteve-se por 52 semanas no topo da lista dos mais vendidos. Em apenas seis meses, Eragon foi reeditado por três vezes na Turquia. Na Espanha, a edição de 80 mil exemplares esgotou-se em apenas um mês. Na Polônia, o título de Paolini só perde em vendas para o O Código Da Vinci e já vendeu 45 mil exemplares. Eragon é uma história repleta de ação, vilões e locais fantásticos, com dragões e elfos, cavaleiros, luta de espada, inesperadas revelações e uma linda donzela. Inspirado em J.R.R. Tolkien, que criou idiomas para os diálogos de seus personagens, Paolini utiliza o norueguês medieval para a linguagem dos elfos e inventa expressões específicas para os anões e os urgals, de modo a dar veracidade ao lendário reino de Alagaësia, onde a guerra está prestes a começar.

Ciclo da Herança

Até 2007, dois dos quatro livros já haviam sido publicados: Eragon (2003) e Eldest (2006). O terceiro livro foi lançado na América, Canadá e Reino Unido no dia 20 de setembro de 2008, sendo lançado no Brasil em novembro de 2008. Tanto Eragon quanto Eldest entraram na lista de bestsellers do The New York Times. Em 2006, Eragon foi adaptado para o cinema, numa película de mesmo nome.
Passada no mundo fictício de Alagaësia, a história se foca no adolescente Eragon sua parceira Saphira, um dragão com a qual compartilha sua consciência, e a descoberta de ser um Cavaleiro de Dragões, um lendário grupo que governava as terras em tempos passados,(tais dragões não são de forma alguma meras bestas, pelo contrário, cavaleiros e dragões são tratados como iguais).O Rei Galbatorix, que destruiu a antiga ordem (os Cavaleiro de Dragões) e pegou a coroa para si, envia seus assassinos para capturar o rapaz e Saphira, e assim, inicia a sua jornada.

Livro Um: Eragon

Roran tem por volta de dezoito anos no inicio da saga e é o único filho de Garrow e irmão de criação de Eragon, que tem quinze-dessezeis anos no início da saga. É apaixonado por Katrina, a quem chega a pedir em casamento. No início da trama Roran parte para Therrinsford afim de conseguir dinheiro para o dote de Katrina, uma vez que Sloan, pai da moça, nunca aceitaria ver a filha casada com um "joão-ninguem" (essa história foi completamente alterada no filme "Eragon" uma vez que Katrina vira personagem aleatória na história e Roran vai para Therrisford com medo de ser alistado para o exercito do reino Bodring-Império). Quando os Ra'zac destroem sua fazenda e assassinam seu pai a procura do ovo de dragão (que pertencia a seu primo Eragon - embora Roran não soubesse disso), ele é avisado por Baldor (filho de Horst, um amigo) e retorna para Carvahall (onde nasceu e cresceu).

Livro Dois: Eldest

Esse livro conta com uma participação bem mais ativa de Roran, sendo ele também considerado um dos personagens principais, como Arya, Orik e o próprio Eragon. Roran tem por volta de vinte anos no começo do livro, e sua maior preocupação era reconstruir sua fazenda para poder pedir Katrina em casamento. Num determinado momento do livro trinta soldados do império mais os Ra'zac (vilões recorrentes da série) tentam capturar Roran, pois Galbatorix tinha esperança de que ele soubesse onde Eragon estaria. Para se proteger Roran, que estava hospedado na casa Horst, o ferreiro, esconde-se numa montanha.

A Invasão de Carvahall
Com a desculpa de estava caçando Roran foge para as montanhas na esperança de que os soldados se irritassem e partissem, o que não aconteceu e após uma série de eventos, como a morte de Quimby e o celeiro de Carvahal incendiado, Roran volta para a casa de Horst e combina com vários outros habitantes a expulsão dos soldados. Com o intuito de apenas espantar os soldados mas com o resultado da morte de um deles a reação de Carvahal, de certa forma marcou o fim do vilarejo. Construindo algumas barricadas toscas feitas em suma com carroças tombadas o vilarejo sofreu uma intimidação de um Ra'zac que sozinho destruiu as barricadas improvisadas e jurou escravizar todos os habitantes do lugar. Tentando proteger a cidade Roran encarregou diversos homens de fazerem novas barricadas, desta vez mais resistentes, feitas de troncos de árvores. Após o primeiro ataque dos soldados, Roran decidiu levar todas as mulheres e crianças para as Cataratas Igualda, porém com certa relutância. Quando Roran estava dormindo com Katrina, que havia sido deserdada pelo pai, Roran é atacado pelos Ra'zac e tem seu braço gravemente ferido

A Espinha
Convecido de que o unico jeito de salvar Katrina -que foi sequestrada pelos ra'zac- e impedir a completa destruição de Carvahall era levar todo o vilarejo até Surda, ele os convencem com grande discurso. Com o plano de chegar a Narda e pegar um barco até Surda, Roran leva os habitantes de Carvahall a atravessarem a espinha.

Narda
Roran passa a ser conhecido como martelo forte pelos aldeões(por usar um martelo em batalha) e em Narda conhece o capitão Clóvis com quem negocia uma viagem por chatas até Teirm. Ao chegar lá, Roran realiza um motim porque não possuía dinheiro para pagar a viagem.

Teirm
Ao chegarem a Teirm conhece Jeod- que já havia encontrado Eragon algum tempo antes - que estava falido. Assim, eles junto com outros piratas roubam o asa-de-dragão (o melhor navio de toda Teirm)

O Olho de Javali
A bordo do Asa de Dragão e fugindo dos navios de Galbatorix, Roran se vê obrigado a passar pelo olho de javali, um imenso ciclone entre as ilhas Nía e Beirland.

A Campina Ardente
Ao chegar à Surda, Roran é avisado que uma guerra irá acontecer entre os Varden e o Império. Tentando ajudar os Varden, Roran leva o Asa-de-Dragão para a Campina Ardente (local da guerra). Lá ele encontra Eragon, agora um cavaleiro, e mata dois magos do império, conhecido como gêmeos. Ao fim da batalha, Roran descobre que Katrina está aprisionada em Helgrind e parte para salvá-la.

Livro Três: Brisingr

Este é o penúltimo livro do Ciclo da Herança. O livro começa logo por contar o resgate de Katrina, noiva de Roran que havia sido raptada pelos Ra'zac's, por parte de Eragon, Roran e Saphira. Ao longo do livro vai-se contado o percurso de Eragon no acampamento em Surda, e como ele vai lidando com as diversas batalhas tanto bélicas como pessoais. Neste livro é revelado porque Galbatorix tem tanto poder. Katrina esta grávida de Roran. O nome do livro é Brisingr, pois Eragon volta a Ellesméra e lá Rhunon faz uma espada para Eragon, porém como ela tinha prometido que nunca mais faria uma espada, ela possui Eragon e Eragon faz sua própria espada. Oromis e Glaedr saem de Du WeldenVarden e vão ajudar a conquistar Gil'ead. Quando eles chegam lá, encontram Murtagh e Thorn. Eles duelam quando e no meio da luta Galbatorix possui Murtagh e o próprio Galbatorix mata Oromis e Glaedr. Glaedr dá seu Eldunari(coração dos corações dos dragões) a Eragon. Galbatorix roubou a maioria dos eldunari dos dragões que matou e é por isso que ele é tão poderoso. Eragon e Roran matam os Ra'zac e sua montarias. Os elfos também saem de Du WeldenVarden conquistam Ceunon e Gil'ead.Os Varden conquistam Aroughs e Feinster. Em Feinster Arya e Eragon encontram outro Espectro, Arya o mata com a ajuda de Eragon. Orik se torna o rei dos anões. Agora os Varden no quarto livro pretendem marchar sobre Belatona e Dras-Leona para depois se encontrarem com os elfos nos portões de Urû'baen, mas antes Eragon e os Elfos tem que encontrar alguma maneira de tirar os Eldunari do Galbatorix e do Murtagh ( Galbatorix deu alguns Eldunari para Murtagh).

Alagaësia
Alagaësia (pronunciado A-la-guÊi-gia) é um país fictício em que é ambientada a trilogia.

Habitantes
• Dragões- Existentes desde o princípio de Alagaësia;
• Elfos- Originários de terras longuíquas aportaram antes dos humanos
• Anões- Primeiros governantes de Alagaësia.
• Humanos- Dominaram depois dos anões.
• Urgals- Vieram a Alagaësia seguindo os elfos.
• Espectros- Poucos foram vistos ou comentados,e por terem uma origem não-natural é difícil dizer quando surgiram.

Lugares
Carvahall - Vilarejo ao norte, lar e ponto de partida de Eragon, Brom e Saphira. A oeste existe a Espinha uma cadeia de montanhas.

Therinsford - Pequena cidade vizinha de Carvahall.

Teirm - Cidade mercante, vive principalmente do comércio marítimo. Lar de Jeod, amigo de Brom.

Deserto Hadarac - Um deserto de grandes proporções e marca o fim da Alagaësia.

Dras-Leona - Cidade que mantém relações com a capital Uru'baen.

Helgrind - Montanha próximo a Dras-Leona. Seu nome significa portões da morte na Língua Antiga.

Uru'baen - A capital do Império, e sede do governo de Galbatorix.

Gil'ead - Outra cidade-base do Império, foi palco da grande batalha entre Brom e Morzan.

Cavaleiro de Dragões

No Ciclo da Herança de Christopher Paolini a Ordem dos Cavaleiros de Dragões foi uma grandiosa instituição cuja missão era proteger a terra de Alagaësia.Todos os Cavaleiros compartilham suas mentes com um dragão, os quais são seus aliados e parceiros, permitindo além de tudo que seu cavaleiros os usem como montaria,e possuem numa da palma das mãos um gëdwey ignasia uma marca prateada brilhante.Sua base localizava-se na cidade de Dorú Areaba,na ilha de Vroengard. É importante ressaltar que o cavaleiro não possuía o dragão, ou o contrário, o que eles tinham era uma aliança que ia além de posses ou laços físicos, eles eram ligados por suas mentes e, portanto, eram iguais.

Habilidades

Gëdwey Ignasia

Todo Cavaleiro possui uma gëdwey ignasia (palma prateada na Língua Antiga), fato de eles serem chamados também de argetlam, que tem o mesmo significado. Eles a recebem no momento em que tocam um filhote de dragão. Essa marca funciona como uma espécie de "receptor" de magia.

Vantagens
Todos os Cavaleiros possuem sua vida prolongada além de um humano normal, praticamente são imortais. Também recebem um aumento de força, velocidade e resistência. O efeito disso é o longo contato com seus dragões, criaturas misteriosas e mágicas. E também, sempre teriam um companheiro, em qualquer situação, quem nunca irá abandonar você, a não ser que se o dragão fosse morto.

Fonte:
http://www.livrariacultura.com.br

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to