Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Sir Arthur Conan Doyle (Sherlock Holmes: Um Estudo em Vermelho)

No mundo inteiro dificilmente se encontrará alguém que não conheça Sherlock Holmes, talvez o mais famoso e genial detetive de todos os tempos. Durante o século 19 seu nome se tornou um ícone em quase todas as linguas do mundo, garantindo a ele mais admiração e respeito que os reais detetives da atualidade. Mas isso não surpreende pois seus métodos de investigação não podem ser imitados por ninguém.

Sherlock Holmes foi criado por Sir Arthur Conan Doyle, autor britânico, em fins do século 19. Um Estudo em Vermelho foi a primeira prova das habilidades de nosso imortal herói.

A sala de estar estava cheia de ouvintes: havia, por exemplo, alguns homens da Scotland Yard que buscavam fama e respeito dos londrinos que diriam "quão bem eles haviam investigado o caso". Subitamente dois garotos entram na sala acompanhados de um velho.

"Deixe-me apresentá-los ao assassino!", gritou Sherlock Holmes apontando o velho, que era um dos poucos proprietários de carruagem de Londres. A longa e misteriosa estória estava pronta para iniciar. O velho, Sr Jeferson Hope, não tinha nada a dizer pois era incapaz de esconder qualquer detalhe de Sherlock Holmes.

Vingança, velhos ódios e ressentimentos tinham um papel muito importante a desempenharem na estória. O caso tinha se iniciado a muito tempo atrás longe da Inglaterra, mas as consequências deste passado não morreram até Jeferson Hope estar apto a vingar o que seus inimigos haviam feito a sua amada e ao pai dela.

O Sr Hope não era um prisioneiro típico que chora, tenta lutar e recusa-se a admitir que o jogo esta terminado. Ele era um velho moribundo que não se importava com o que lhe aconteceria no futuro.O fato de seus inimigos terem pago, através de suas mãos, pelos trágicos acontecimentos do passado era suficiente. Ele queria nada mais do que contar toda a verdade e morrer redimido.

A complicada verdade torna-se clara mais tarde quando Sherlock Holmes tem a oportunidade de explicar suas investigações ao Doutor Watson. Meu livro quase caiu ao chão quando percebi quão simples tudo realmente havia sido. "O maior erro que pode ser cometido é fazer as coisas mais complicadas do que elas realmente são", Sherlock Holmes explica. Mesmo nos dias de hoje cada palavra sua ainda é verdade: as pessoas tornam tudo difícil quando elas mesmas fazem parecer difícil.

Doutor Watson, que sempre trabalhou com Sherlock Holmes tentando ajudá-lo, ficou também boquiaberto. Ele era uma pessoa muito inteligente e calma, entretanto inábil em perceber os detalhes "claros" como pegadas e cinzas de diferentes tipos de cigarro. Ele só podia escutar e observar como seu amigo trabalhava. Sherlock Holmes, que não era o companheiro ideal, estava pronto a responder qualquer pergunta. Ele não queria esconder sua genialidade e inteligencia de ninguém, mas acima de tudo, ter seus talentos notados.

Mesmo em sua vida diária o comportamento de Sherlock Holmes era quase auto didata. Ele tinha muitas opiniões fortes que todos deviam aceitar. "Eu não tenho que ser interessado em nada", era um de seus pensamentos favoritos. Emoções e relacionamentos com outras pessoas não significavam nada para ele. Doutor Watson era talvez a única excessão.

Acredito que Sherlock Holmes era, apesar de seu comportamento orgulhoso, uma pessoa que merece todo o respeito do mundo. Ele devotou sua vida a capturar assassinos e outros criminosos, fazendo seu trabalho fiel e cuidadosamente. Já seu primeiro caso "Um Estudo em Vermelho" deixa claro que ele sabia exatamente o que estava fazendo. Ele não era somente um jovem e inexperiente garoto mas um super inteligente detetive.

O modo como o Sr Conan Doyle conduz e descreve os eventos e pessoas em seu primeiro romance merece todo meu respeito. Suas descrições exatas me fizeram sentir como se eu fizesse parte do que estava acontecendo. Até as pessoas, descritas tão cuidadosamente, me fizeram imaginar outras coisas que não foram mencionadas: como elas falavam, que tipo de voz tinham e como elas realmente se pareciam. A linguagem era também clara e vívida com frases não muito complicadas de entender.

Se voce quer ler algo muito emocionante e que não o deixe entendiado voce deve realmente ler "Um Estudo em Vermelho" ou outras estórias de Sherlock Holmes. Com seus enigmas muito complicados eles lhe oferecerão uma boa oportunidade de voce usar sua imaginação. A resposta da pergunta "quem fez isso" nunca está escondida atrás da próxima porta; a casa inteira tem que ser investigada.

Fontes:
http://www.netsaber.com.br/resumos/

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to