Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Academia de Letras de Teófilo Otoni/MG (Juventude em Versos Diversos)

JOSÉ FELDMAN*
Saudades

-
Oh! Saudades da juventude,
daqueles dias de outrora,
em que não existia vicissitude,
e eu seguia mundo afora.

Oh! Saudades da juventude,
de quando minha vida era um sonho,
e apesar de toda minha inquietude,
sempre havia um semblante risonho.

Oh! Saudades da juventude,
de um tempo que ficou prá trás,
um tempo em que a solitude,
não era mais que um cartaz.

Oh! Que saudades da juventude,
daqueles tempos de paz!
––––––––––––––––––-
*Escritor, presidente da Academia de Letras do Brasil/Paraná, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
==============================

HELENA SELMA COLEN*
Aos jovens

-
Com o tempo você aprende:
Que a vida é oferecida como um prêmio.
Cultivar esse prêmio é um grande dever.
Que o aprendizado pode perpetuar um bom futuro.
Que o futuro é reflexo do presente.
Que jovem tem o direito de ser jovem.
Mas a obrigação de sentir respeito pelos mais velhos.
Que aquilo que você acredita ser impossível, pode estar acontecendo amanhã.
Que a riqueza pode ser alcançada.
Sem perder a alegria de viver.
Que a felicidade pode ser dividida com outras pessoas.
Que tudo que precisam está ao seu alcance.
É preciso saber procurá-la.
E, acima de tudo, ame.
Ame a Deus e a família. Ame os amigos e os não muito amigos.
Sem desanimar, nunca irá se arrepender.
––––––––––––––-
*Professora, escritora, reside em Ladainha/MG, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni
=======================

CLEVANE PESSOA*
Juventude

-
A juventude mostra uma beleza especial,
pois reúne traços ,força, coragem
para contestar e renovar o Mundo.
Todo o corpo vem da infância,
Com sua carga de vida pura,
Com uma nova existência a possibilitar...
Os órgãos, pouco desgastados,
Quando a saúde impera,
Trazem consigo um vigor
Que se perde depois, sem desejar...
A memória mediata e imediata,
É tão plena de capacidade.
Que os jovens sem perceber,
São capazes de acumular
Informações, lembranças, emoções,
E disputar, desfrutar, narrar,
Tudo que passaram
qual uma ave em voo,
sempre querendo chegar...
Qual uma rosa de pétalas e sépalas perfeitas,
Abrem-se ao beijo de um sol particular!
Ah, se todo esse potencial pudesse ser preservado...
Se os jovens não acabassem as maravilhas
Da vida herdada , com excessos, drogadição,
Se não se expusessem a mil noites indormidas,
à violência, à pressa sem razão!
Se as necessidades do corpo jovem
Não fossem minimizadas pela falta de boa alimentação!
Deveríamos amadurecer a mente, a alma, o espírito,
Mas sem envelhecer , parados
num tempo físico de mais valia,
sem tristezas, mágoas, revoltas,
fome ou violação dos direitos naturais!
A juventude é a verdadeira beleza.
Tudo mais é consolo, é paliativo
À casa corporal que foi bela e agora, em ruínas,
Vai devagar se desgastando
Até ao suspiro final...
–––––––––––––––––
*Escritora, poetisa, membro da Academia Feminina Mineira de Letras, reside em Belo Horizonte/MG, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
==============================

ELBA KHADIJA*
Aos Jovens

-
O refletir e pensar
Ouvir e aceitar,
É o que devemos acatar
Para o nosso bem estar.

Para um futuro brilhante,
Ouvir os sábios
Nos trará glórias
E um saber exemplar.

Educando nossa mente,
Sermos sempre obedientes
Ficaremos à frente
Para as conquistas alcançar.
–––––––––––––––––
*Escritora e poetisa, reside em Paranaguá-PR, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
=======================

FRANSILVA*
Conflito de Gerações

 -
O tempo passa, traz maturidade
Velhas lembranças que se eternizam
Volta e meia traz também saudade
Ou feridas que nunca cicatrizam.

Tempo e experiência, de mãos dadas
Às vezes trazem a sabedoria
Outras tantas, são cruzes ou espadas
Razão de sofrimento e agonia.

Nossa terceira ou, MELHOR IDADE
Lamenta por perder a JUVENTUDE
O jovem busca a maturidade:
Paradoxo em forma de virtude.

Pouco importa a faixa etária
Todas elas são muito importantes
Ainda mais que a faixa é temporária
E os destinos, são itinerantes.
––––––––––––––––––
*Professor, escritor e poeta, reside em Bom Jesus do Galho/MG, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
========================

GLÓRIA BRANDÃO*
Festiva Aurora da Juventude

-
És tu, ser jovem, dono da mocidade
Brisa fresca que invade tua narina
Almejando sorver da vida, toda felicidade
Saiba manejar o lápis para escrever tua sina.

Verdes anos são esses, do teu agora
Vive, pois, esses dias de glória e poesia
Com licitude no desejo que em ti aflora
Colherás flores mescladas de aroma e alegria.

Nos albores fanfarrões da juventude
Esparja belas sementes no teu viver
A vida amiúde, com ledos enganos te ilude
Detentor da juventude, não venhas a padecer.

A aurora da juventude é viçosa e contente
Nesse dilúculo festivo navegam as ciladas
Não penetres em abismo e serás feliz vivente
Assim, tuas pegadas serão por Deus, abençoadas.
––––––––––––––––––––––––––-
*Escritora e poetisa, reside em Itabuna/BA, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
==================================

FRANCISCO ALVES BEZERRA*
Pugilato da razão

-
Surge um facho de luzes, que fazem dos súbitos instantes
Coroa de plumas brilhantes dos páramos azuis.
Ao longe um fraco grito cruza os horizontes
Das páginas do infante livro das luzes.
Nas voltas do século brotam sementes do saber!
E entre as palmas do mundo vão as sementes brotando
E as raízes incólumes vão ficando no solo da amplidão.
E do estrato surgem braços ainda molhados de suor,
Nas mãos um alfarrábio dourado,
Entre os dedos o aljôfar do passado
Com alcunha de esperança do existir.
Mas se o tufão ameaça destruir o Livro Sagrado,
Do esforço grande dos guerreiros verdes,
Surge ao longe sob as imensas plagas
Um forte grito, maior que o infinito,
Mais bravo que Davi.
Meu Deus, que grito é esse,
Que afugenta a tempestade e arrasta o tufão?
Ah! É um grito lançado das páginas brilhantes
Vindo do peito desses bravos estudantes
Do coração do amado Brasil!
E em festa o firmamento aplaude o solo brasileiro,
Que brotou de sementes tão santas
Altaneiras plantas de coração estudantil!
–––––––––––––––––––
*Funcionário Público, escritor, reside em São Bernardo do Campo/SP, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
============================

GESSIMAR GOMES DE OLIVEIRA*
Refém do tempo

-
Juventude,
Fiz o que pude,
Mas, você se foi.

Calmamente,
Lentamente,
Como isso dói!

O tempo passou veloz,
Deixando em todos nós,
Lembranças e cicatrizes.

Hoje sou um idoso,
Desiludido e muito saudoso,
Dos momentos felizes.

Não tenho o vigor de outrora,
Vejo só o correr das horas,
No tristonho rolar do dia.

Ah, se eu pudesse, novamente,
Possuí-la, imediatamente,
Como feliz eu seria!
–––––––––––––-
*Escritor, bancário, reside em Montes Claros/MG, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni
==========================

ANTONIO SÉRGIO TORRES FERREIRA*
Conceito de juventude

-
Como gotas de orvalho,
Que fluem dentre dedos.
Afoitos, vorazes, sem medos,
Vivendo de momentos, atalho.

Doces encantos em faces juvenis,
Forjam personalidades, atrozes,
Permeiam sorrisos em vidas febris,
A vida escoa, tempos velozes.

Momentos de ternura finita,
Encontros de gerações, controversas,
Poesias que nascem em gestos e imitam,
A vida em simples conversas.

Não apenas a esperança do amanhã,
Porém, certezas que englobam experiências,
Todas empreitadas lhe confiadas, pendências.
Serão logo tratadas em todos os temas,
Para produzirem todas as consequências.

Juventude não é apenas não ter idade,
É abrigar no peito um vontade imensa,
Voraz e ter sempre viva a sede do saber e querer,
Como consequência, diariamente oferecidas,
Ter a consciência de absorvê-las com aprazimento.
Para que a experiência do tempo lhe seja amena...!
–––––––––––––––-
*Membro da Academia de Letras de Teófilo Otoni, titular da cadeira 21.
======================

VERÔNICA VICENZA*
Rejuvenescer

-
Velha, depois da batalha
Chora as cinzas da mortalha
Esquece o sol que ainda brilha
Pensas apenas nos dias de anilha
Em que suportaste o peso da estaca.

Fraca, exausta, cansada...
Envenenada vida dançada
Repousa tua mente
Sossega teu coração
Rejuvenesce calmamente

Abastece-te de paixão
E depois de todo o alívio que sente
Ao esquecer os percalços de vivente
Segue...
Siga jovem, o teu caminho.

Pois a vida é feita das feridas que levamos
Mas também do sucesso das batalhas que travamos.
–––––––––––––––––––––-
*Escritora, poetisa, relações públicas, reside em Águas Belas/DF, é membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
===============================

LEUSON FRANCISCO DA CRUZ*
A Juventude

-
Tão sábia, às vezes sabiá
Tanto do campo ou da cidade
Também gosta de cantarolar
É gente moça, é mocidade.

Desabrocha como as flores
Alegra o lugar onde está
Perde tempo pra sonhar
Retira em ilusões de amores.

De passagem é passageira
Porque não se deu conta ainda
Pois vaga como uma estrela
Até de passagem é muito linda.

Perde tempo pra pensar
À vezes tem forte reflexo
Outras vezes pra se mostrar
Fica cheia de complexo.

Gosta sempre de criticar
Atitudes dos mais velhos
Às vezes não leva a sério
Que envelhecer é capacitar.

Quando se é jovem ou juvenil
Com a força da jovialidade
É um orgulho para esta idade
Ser chamada, futuro do Brasil.
––––––––-
*É membro da Academia de Letras de Teófilo Otoni, titular da cadeira 2.
========================

Fonte:
Revista Literária Café-com-Letras – Ano 11 n.11. Teófilo Otoni: Academia de Letras de Teófilo Otoni, 2013.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to