Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

José Feldman (Aquarela de Trovas n. 8)

Cheia de brilho e de encantos,
loucamente apaixonada,
a lua faz chover prantos
nos olhos da madrugada.
ADEMAR MACEDO – Natal/RN
-
Paquerador, mas casado,
da aliança faz segredo.
Sai por aí, o safado,
com um “bandeide” no dedo...
ADILSON DE PAULA – Joaquim Távora/PR
-
Nosso amor só necessita
de alguns metros de coragem,
porque a fronteira limita,
mas não impede a passagem.
ALMERINDA LIPORAGE – Rio de Janeiro/RJ
-
Este céu desarrumado,
em mil cores desiguais,
é o do dia já cansado
que passa e não volta mais.
AMÁLIA MAX – Ponta Grossa/PR
-
Na busca eterna da paz,
a humanidade se enterra;
seus próprios sonhos desfaz
na luta inglória da guerra!
AMARYLLIS SCHLOENBACH – São Paulo/SP
 -
A vida segue de arrasto,
do sonho nada me resta...
E o que sentia tão vasto,
vejo agora que não presta.
ANTONIO MANOEL ABREU SARDENBERG – São Fidélis/RJ
 -
E’ um fato mais que evidente,
e que a própria Bíblia ensina:
que “a língua do imprudente
é a sua própria ruína”.
AMÍLTON MONTEIRO – São José dos Campos
 

Se alguém te humilha, perdoa,
e se alguém te fere, esquece.
Ódio guardado magoa,
só o amor envolve e aquece.
ARLENE LIMA – Maringá/PR
-
Meu verso não se renova,
pois esta angústia sofrida,
mais do que tema de trova,
é o tema da minha vida!
ARLINDO TADEU HAGEN - Belo Horizonte/MG
-
En la isla de tus brazos
quiero estar. cariño mío.
Ser presa de tus abrazos
para quitar yo mi frío.
CARMEN PATIÑO FERNÁNDEZ - Espanha
-
O pão e o vinho, que trago
à mesa para nós dois,
são muito mais que um afago,
visando o agora e o depois.
CIDINHA FRIGERI – Londrina/PR

Ela é muito pecadora,
se o pecado é querer bem:
na verdade é pe(s)cadora
de trovadores também...
CLEVANE PESSOA – Belo Horizonte/MG
-
O tempo não mede espaços,
passa em corrida fatal,
e o trovador, em seus passos,
nunca passa, é um imortal.
CONCEIÇÃO PARREIRAS ABRITTA - Belo Horizonte/MG
-
Ter sempre a palavra certa
e a mão em paz estender;
ter a mente sempre aberta:
isso se chama viver!
CONCEIÇÃO ASSIS – Pouso Alegre/MG
 -
Senhor, neste amanhecer,
louvo a tua criação:
da aurora ao entardecer,
eu te encontro em meu irmão!
CÔNEGO TELLES – Maringá/PR
-
Olhei a foto atrevida
de uma cena de nós dois:
Era o retrato da vida,
tão diferente depois!
DELCY CANALLES – Porto Alegre/RS
 -

Sofrem tantos na agonia
do delírio, dito "amor";
isso tudo acaba um dia,
faz  frio após o calor...
DIAMANTINO FERREIRA – São Fidélis/RJ
-
O nosso amor escondido,
sem promessa de aliança,
tem o sabor proibido
da fruta da vizinhança!...
DOMITILA BORGES BELTRAME – São Paulo/SP
-

Ora eloquente, ora mudo,
teu olhar é uma charada:
promessa sutil de tudo,
no fútil revés... do nada!
DOROTHY JANSON MORETTI – Sorocaba/SP
-
Não julgues a sorte ingrata,
pois Deus, que tudo divisa,
bem sabe a medida exata
da ajuda de quem precisa...
EDMAR JAPIASSÚ MAIA – Rio de Janeiro/RJ
-
Quando o orgulho é o timoneiro
das viagens da paixão,
qualquer que seja o roteiro,
não encontra a direção!
ELIZABETH SOUZA CRUZ – Nova Friburgo/RJ
-
Minha alma tão pequena
perto de um mar tão profundo
torna-se grande e serena
para as ressacas do mundo.
FÁTIMA PANISSET – São Fidélis/RJ
-
O poeta é um fingidor.
finge tão completamente,
que chega a fingir que é dor
a dor que deveras sente!
FERNANDO PESSOA – Lisboa/Portugal
-
Em seu retorno o barqueiro
joga as redes para o ar,
e prossegue o tempo inteiro,
pescando sonhos no mar...
FLAVIO ROBERTO STEFANI - Porto Alegre/RS
-
Perdido em divagações
sento à beira do caminho...
Como se as recordações
não me deixassem sozinho!
IALMAR PIO SCHNEIDER - Porto Alegre/RS
-
Voy por la vida soñando,
de mil sueños, soñador,
yo  voy riendo, voy cantando…
 ¡soy un nuevo trovador!
JAIME CORREA - Chile
-
Se sofres, poeta, canta,
que essa cantiga, aonde for,
consola, embala, acalanta,
quem vive pobre de amor!
JEANETTE DE CNOP – Maringá/PR
-
Aquellos besos que tiernos
ayer me apasionaron
fueron crueles inviernos
que mi isla destrozaron.
JOSELITO FERNÁNDEZ TAPIA – México
 -
Se este mundo tão bisonho
te nega paz e guarida,
usa o refúgio do sonho,
onde o amor sustenta a vida!
JOSÉ LUCAS DE BARROS - Natal/RN
-
Se somos vidas sozinhas
não culpemos mais ninguém:
tu, prometeste ...e não tinhas;
eu...dei tudo e fiquei sem...
JOSÉ OUVERNEY – Pindamonhangaba/SP
-
Todo filho vem dos pais,
vem o mel da flor silvestre;
não há dor sem dor nos ais
nem discípulo sem mestre.
LAIRTON TROVÃO DE ANDRADE – Pinhalão/PR
-
El sol brinda su magia
a la isla de esplendor,
y la luna ya presagia,
momentos de nuestro amor.
LÍBIA BEATRIZ CARCIOFETTI – Argentina
 -
Palabras aún en distancia
son vida para quien ama,
pueden saciarnos el ansia
amándonos con su llama.
MARIA CRISTINA FERVIER – Argentina
-
A tristeza que me invade,
e que nunca chega ao fim,
é fruto de uma saudade
que nasceu dentro de mim.
MARIA GRANZOTO – Arapongas/PR
-
Não me dêem mais ofertas,
Que não seja a Amizade
Coração - portas abertas
Amigos em Unidade!
MARIA JOSÉ FRAQUEZA – Portugal
-
Sem teu amor e carinho,
brindo à ausência da ilusão...
neste cálice de vinho
com sabor... de solidão!
MARIA LÚCIA DALOCE CASTANHO – Bandeirantes/PR
-
Após o tempo vencido,
nesse teu mundo reverso,
que importa o nome esquecido,
se imortal será teu verso?!...
NEIDE ROCHA PORTUGAL – Bandeirantes/PR
-
No teatro desta vida
cada qual faz sua história:
se não for bem aplaudida
é vaiada e vexatória.
NEI GARCEZ – Curitiba/PR
-
Quando há morte programada
pelos quadrantes da terra,
homens que não valem nada
sentem paz plantando guerra.
NILTON MANOEL - Ribeirão Preto/SP
-
Nas capelas, a candura
das esposas nas novenas.
Fora delas, a aventura
dos maridos “noutras” cenas...
OLGA AGULHON – Maringá/PR
 -
“Tem quantas partes o crânio?”,
pergunta a mestra à piazada.
Responde unzinho, instantâneo:
“Depende da cacetada!”
OSVALDO REIS – Maringá/PR
-
Quando a tarde veste o manto,
torna escura a luz do dia,
saudade, dói outro tanto,
do tanto que já doía.
PROF. GARCIA – Caicó/RN
-
Duas almas deves ter...
é um conselho dos mais sábios:
Uma no fundo do ser,
outra boiando nos lábios.
RAUL DE LEONI – Petrópolis/RJ
-

Minhas trovas são abraços,
mil braços vou abraçar,
nos mil infinitos laços
que a trova sabe engendrar.
ROZA DE OLIVEIRA - Curitiba/PR
-
E’ o abuso da riqueza
e o desprezo à educação
que põe sobre a nossa mesa
a fome, em lugar do pão.
SÔNIA SOBREIRA DA SILVA – Rio de Janeiro/RJ
-
Tenho no meu peito um mar
de amor, imenso e profundo
sonho vê-lo transbordar,
causando enchentes no mundo.
VANDA FAGUNDES QUEIROZ - Curitiba/PR
 -
Romântico e apaixonado,
meu pensamento flutua,
vai ao céu... volta zoado:
Vive no mundo da lua!
VÂNIA ENNES – Curitiba/PR

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to