Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

José Feldman (Aquarela de Trovas n. 5)


Ou o amor enfim nos faz
desarmar o coração,
ou do cachimbo da paz
nem as cinzas sobrarão!
A. A. DE ASSIS – Maringá/PR
 * * * * *
Desde o tempo de Noé
que o mundo pôs-se a saber
que manga não cai do pé
porque não sabe descer!
ADEMAR MACEDO – Natal/RN
* * * * *
Eu vi crianças brincando
junto de lindas roseiras,
como aves cantarolando
nos ninhos, todas faceiras!
AGOSTINHO RODRIGUES – Campos/RJ
* * * * *
Da viagem pouco importa
minhas dores e cansaços,
se ao voltar te encontro à porta
a receber-me nos braços!
AMÁLIA MAX – Ponta Grossa/PR
* * * * *
Fugindo pela janela,
o “dom juan” quis “dar no pé”.
– Um fantasma!, gritou ela.
E o marido: – Agora é!
ANGÉLICA V. SANTOS – Taubaté/SP
* * * * *
Eu quero ser o seu vinho,
o cálice que inebria;
ser seu parceiro no ninho,
ser madrugada, seu dia!
ANTONIO MANOEL ABREU SARDENBERG –  São Fidélis/RJ
* * * * *
Quem tem amigos por perto
vence qualquer desafio.
Só o tolo enfrenta o deserto
levando o cantil vazio!
ARLINDO TADEU HAGEN – Belo Horizonte/MG
* * * * *
Se eu for a todos dizer
o que está em meu coração,
num livro não vai caber
toda a minha gratidão.
CIDINHA FRIGERI – Londrina/PR
* * * * *
Eu confesso hoje, sem medo,
que este amor em mim guardado
não é só o meu segredo,
é também o meu pecado!
CLENIR NEVES RIBEIRO – Nova Friburgo/RJ
* * * * *
Tem gente que tanto mente,
conta lorota, faz fita,
que, da verdade descrente,
nem em si próprio acredita.
CLEVANE PESSOA – B. Horizonte/MG
* * * * *
Nossa foto, na "lixeira",
meu amor, levou "delet".
Vou procurar quem me queira,
noutro "site da Internet"
CRISTIANE BROTTO – Curitiba/PR
* * * * *
Sofrem tantos na agonia
do delírio, dito "amor";
isso tudo acaba um dia:
faz  frio após o calor...
DIAMANTINO FERREIRA – São Fidélis/RJ
* * * * *
Poeta mantém acesa
a chama do amor fecundo,
minimizando a tristeza
e as dores cruéis do mundo.
DJALMA MOTA – Caicó/RN
* * * * *
Foi fantasma!... Creia em mim!
diz a soprano ao marido.
– Fantasma no camarim?
– E’ o da ópera, querido!!!
EDMAR JAPIASSÚ MAIA – Rio de Janeiro/RJ
* * * * *
Não te rendas nunca à dor,
se o teu bem tem rumo incerto,
pois, muitas vezes, no amor,
esse longe é muito perto!
EDUARDO TOLEDO – Pouso Alegre/MG
* * * * *
Minhas mágoas disciplino
com a força da oração:
tenho um médico divino
que jamais deixa o plantão!
ÉLBEA PRISCILA – Caçapava/SP
* * * * *
No jogo da vida é assim:
tem encrenca e desacato,
e, quando ele chega ao fim,
a mãe de alguém paga o pato...
ERCY MARQUES DE FARIA – Bauru/SP
* * * * *
Minha jangada, tristonha,
abandonada no cais,
vela içada, ainda sonha
com ventos do nunca mais!
FERNANDO CÂNCIO – Fortaleza/CE
* * * * *
Deus, garimpeiro maior,
vai, no seu mister profundo,
salvando o bom e o melhor
que há nos garimpos do mundo.
FLÁVIO STEFANI – Porto Alegre/RS
* * * * *
Vou revelar o caminho
de uma longa vida-a-dois:
é trocar muito carinho
antes, durante e depois.
FRANCISCO MACEDO – Natal/RN
* * * * *
Tuas palavras magoam,
mas te perdôo, pois, enfim,
são abelhas que ferroam
mas que dão mel para mim.
FRANCISCO PESSOA – Fortaleza/CE
* * * * *
Meus lábios apaixonados
bebem o orvalho dos teus,
desses teus lábios molhados
que sonham com os lábios meus!
GISLAINE CANALES – Balneário Camboriú/SC
* * * * *
Sem esquinas... sem saídas...
muitas vidas são assim...
Ruas retas e compridas,
e um grande portão no fim...
IZO GOLDMAN – São Paulo/SP
* * * * *
No silêncio da memória,
onde a saudade faz ninhos,
eu deixei a nossa história
e vivo a paz dos sozinhos!
JOAQUIM CARLOS – Nova Friburgo/RJ
* * * * *
Insisto em que não desistas
jamais das glórias que queiras:
antes das grandes conquistas
erguem-se as gandes barreiras!
JOSAFÁ SOBREIRA DA SILVA – Rio de Janeiro/RJ
* * * * *

Sonhando com um amor,
buscava um novo horizonte.
Colhi sementes de dor...
espalhadas pela ponte.
JOSÉ FELDMAN - Maringá/PR
* * * * * Caio, levanto-me e sigo!
Mal sabem que esta coragem
é apenas meu medo antigo,
usando nova roupagem!
JOSÉ OUVERNEY – Pindamonhangaba/SP
* * * * *
Nos garimpos desta vida,
que o destino abandonou,
eu sou batéia esquecida
que nem cascalho pegou.
JOSÉ VALDEZ C. MOURA – Pindamonhangaba/SP
* * * * *
Num certo 12 de junho,
vi caracteres gravados:
Meu nome escrito em teu punho,
pois éramos namorados!
LAIRTON TROVÃO DE ANDRADE – Pinhalão/PR
* * * * *
Há sorriso de ironia,
há sorriso imerso em dor,
há também de simpatia...
mas o melhor é o de amor!
LÓLA PRATA – Bragança Paulista/SP
* * * * *
A mais linda das respostas
nos dá Jesus, nosso amigo:
– “Pode o mundo dar-te as costas,
mas Eu estarei contigo!”
LUCÍLIA DECARLI – Bandeirantes/PR
* * * * *
Teus sucessos, conta aos pais,
que ao certo vão se alegrar;
mas aos “amigos”,  jamais,
pois por trás vão te pichar...
MARIA DE ARCHIMEDES – Rio de Janeiro/RJ
* * * * *
Somos, sim, irmãos de fé,
e a música tem provado:
no riso, samba no pé;
no choro, a emoção do fado!
MARIA ELIANA PALMA – Maringá/PR
* * * * *
Pelas procelas da vida
passei tanto vendaval...
A cada onda vencida
nela afundei o meu mal!
MARIA JOSÉ FRAQUEZA – Portugal
* * * * *
Quebrei a estrela do sonho
na longa noite vazia,
mas... de seus cacos componho
o sol de minha alegria...
MARIA LUA – Nova Friburgo/RJ
* * * * *
Para este amor, que a nós dois
tomou – assim de improviso –,
não houve “antes” nem “depois”;
houve o “momento preciso”!
MARIA MADALENA FERREIRA – Magé/RJ
* * * * *
Revivendo o meu passado,
me torturo de tal jeito,
que chego a crer que é pecado
guardar saudades no peito !
MARIA NASCIMENTO – Rio de Janeiro/RJ
* * * * *
Com volúpia e desvario,
neste amor vou mergulhar...
Eu me sinto como o rio,
que se atira para o mar!
MARIA THEREZA CAVALHEIRO – São Paulo/SP
* * * * *
Por razões, às vezes fúteis,
corre o sangue numa guerra.
Eis as sangrias inúteis
que envergonham nossa terra.
MIGUEL RUSSOWSKY – Joaçaba/SC
* * * * *
O poeta, em sua lida,
ainda que o mundo o afronte,
tem sempre um sopro de vida
que o leva além do horizonte...
MILTON NUNES LOUREIRO – Niterói/RJ
* * * * *
Lá fora, nada me importa,
e esqueço da vida ingrata,
quando você fecha a porta...
e tira o nó da gravata!
NEIDE ROCHA PORTUGAL – Bandeirantes/PR
* * * * *
No teatro desta vida
cada qual faz sua história:
se não for bem aplaudida,
é vaiada e vexatória.
NEI GARCEZ – Curitiba/PR
* * * * *
Da Juruti gemedeira
já não ouço o seu refrão:
foi a seca "matadeira"
que enxotou-a do sertão!
NEMÉSIO PRATA CRISÓSTOMO – Fortaleza/CE
* * * * *
De que vale o meu protesto,
se manténs, em tuas mãos,
o poder de, a um simples gesto,
cortar o “til” dos meus nãos!
OTÁVIO VENTURELLI – Nova Friburgo/RJ
* * * * *
Viajei pelo mundo inteiro
e nunca mais pude achar
o que no instante primeiro
encontrei em seu olhar.
OLGA AGULHON – Maringá/PR
* * * * *
Por vaidosa a tartaruga
olha no espelho e faz planos
de remover uma ruga
surgida aos 200 anos!
PEDRO ORNELLAS – São Paulo/SP
* * * * *
Um degrau eu sempre subo
quando a grana é insuficiente
e pulo em cima do tubo
pra sair pasta de dente...
RENATA PACCOLA – São Paulo/SP
* * * * *
Quando me pego tristonho,
de pensamento disperso,
tiro um sonho de outro sonho,
vou passear no universo!
SELMA PATTI SPINELLI – São Paulo/SP
* * * * *
Do sonho compartilhado,
agora, somente resta
um convite, amarelado,
marcando o dia da festa...
SÉRGIO FERREIRA DA SILVA – São Paulo/SP
* * * * *
Colheita, ainda guardada
num simples grão amarelo,
é uma obra a ser lançada,
mas que ainda está no prelo.
VANDA FAGUNDES QUEIROZ – Curitiba/PR
* * * * *
Causador da minha insônia,
motivo do meu sorriso,
sem nenhuma cerimônia
me transporta ao paraíso!
VÂNIA ENNES – Curitiba/PR

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to