Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 29 de julho de 2012

Sexteto em Sextilhas(Parte 5)

121 - Assis
Cada caminho trilhado
nos põe mais perto do irmão,
e cada irmão que abraçamos
nos alegra o coração,
e o coração alegrado
põe o céu em nossa mão.

122 – Ademar
Cada verso é uma emoção
que nasce dentro da gente,
mesmo sendo fantasia
deixa o poeta contente,
pois vem das hostes divinas
como se fosse um presente...

123 – Delcy
Para afastarmos da gente
os  anseios mais diversos,
a vida nos torna astros
de pequenos universos,
e  felizes  viajamos
na  nave dos nossos versos!
 
124 – Prof. Garcia
Somos poetas dispersos,
mas nunca estamos sozinhos;
cantarolamos nos campos
livres como os passarinhos,
que voam de manhã cedo
mas nunca esquecem seus ninhos!

125 – Gislaine
São assim nossos caminhos,
cheios de estrelas e mar,
com campinas verdejantes,
e  Lua pra  iluminar
os  mundos da fantasia,
lindos  para  poetar!

126 – Zé Lucas
Vem a poesia a jorrar
de tão bonita vertente,
nas horas de inspiração,
que todo poeta sente
versos entrando e saindo
pelas janelas da mente!

127 – Assis
Pelas janelas da gente
não entram versos apenas.
Entram também as saudades
de antigas e ingênuas cenas,
como o passar, nas calçadas,
de encantadoras morenas.

128 – Ademar
Temos um milhão de cenas,
no imaginário da gente,
todas criadas por nós,
seja antiga ou mais recente;
e todas ficam gravadas
no vídeo-tape da mente.

129 – Delcy
O poeta é o que mais sente
o peso de uma Saudade,
os  casos  da  Juventude,
o  Bem  da Fraternidade,
e  poetiza  com  alma...
a grandeza  da Amizade!

130 – Prof. Garcia
Faço de cada saudade
um verso em forma de flor,
de cada ilusão perdida
faço uma rosa de amor,
e da musa que me inspira
minha alma de trovador!
 
131 – Gislaine
Meu coração sonhador
sabe se fazer feliz,           
conquista muita amizade,
tem por meta e diretriz
distribuir o seu carinho
sempre com novo matiz!

132 – Zé Lucas
Eu quero, pra ser feliz,
um pedacinho de mar,
um trino de passarinho,
uma nesga de luar,
uma viola afinada
e um poema pra cantar.

133 – Assis
Se uma viola sobrar,
manda ela aqui para mim.
Quero ir com ela esta noite
cantarolar no jardim
numa seresta daquelas
que têm começo, não fim.

134 – Ademar
Não quero muito pra mim,
com pouco eu me satisfaço.
Só quero o Baú do Sílvio,
toda beleza do espaço
e a inspiração de “Quintana”
em cada verso que eu faço!

135 – Delcy
Teus versos, amigo, abraço.
Teus  desejos  eu  quisera,
sem me importar com dinheiro,
mas com um mundo de quimera,
com a inspiração de um quintana,
com  flores  de  Primavera!

136 – Prof. Garcia
Que doce a vida não era,
com a inspiração de um Quintana;
mais uns dois terços da herança
da musa camoneana,
e eu faria num minuto
o que faço por semana!

137 – Gislaine
Quando a nossa alma se irmana
em  busca  de  inspiração,
poderemos,  certamente,
plantar estrelas no chão,
e criar  novas florestas
com a força da emoção!

138 – Zé Lucas
As nossas sextilhas são
produtos de artesanato,
polidos por mãos de fada,
junto às margens de um regato,
com gosto de mel de abelha
e cheiro de flor do mato.

139 – Assis
O teu pensamento acato
com muita satisfação
e o incentivo agradeço
de todo o meu coração,
pois cada nova sextilha
me traz nova inspiração.

140 – Ademar
Com a minha inspiração
eu copulo eternamente.
Meu verso entra no cio
quase que constantemente,
e numa transa de rimas
nasce um filho de “repente”!

141 – Delcy
Essa forma diferente
que tu tens de versejar,
quase assusta quando vemos
teu  jeito  de  sextilhar,
mas o filho que procrias
consegue nos acalmar!

142 – Prof. Garcia
Fazer verso é meu cantar,
pão nosso de cada dia.
Se não fosse esse trabalho
nem sei como viveria;
porque vida de poeta
sem verso, é triste e vazia!

143 – Gislaine
O verso é nossa alegria,
e sendo a luz dos caminhos,
faz parte do nosso sonho,
transforma a dor em carinhos;
versejando de mãos dadas
não ficaremos sozinhos!

144 – Zé Lucas
Tenho andado nos caminhos
da vida correta e boa;
canto a beleza e a virtude,
mas, para este mundo à-toa,
quando acerto, ninguém nota;
quando erro, ninguém perdoa!

145 – Assis
A gente às vezes caçoa
dos desencontros da vida,
mas tudo sempre acontece
na hora certa e devida,
conforme Deus recomenda
à filharada querida.

146 – Ademar
No barco da minha vida
enfrentei muitas procelas,
foram muitas turbulências
mas finquei as minhas velas
no mar das inspirações
pra fazer versos com elas...

147 – Delcy
Buscando as cores mais belas,
a pintar,  logo me  ponho,
e as telas de minha filha
quase...quase, que as transponho,
pois  queria  ser  pintora,
ao menos, neste meu sonho!

 148 – Prof. Garcia
Curtir um mundo risonho,
é bom que se curta e vença,
mas este mundo descrente
às vezes afasta a crença,
e crendo em tudo que faço,
faço com certa descrença.
 
149 – Gislaine
A fé traz a recompensa
de nos sentirmos felizes;
dá vazão aos nossos sonhos 
firmando nossas raízes,
faz, então, que nós sejamos
uns eternos aprendizes!

150 – Zé Lucas
Cantando como concrizes,
má sorte não nos quebranta,
porque, segundo o provérbio,
"quem canta os males espanta",
e assim todas as mazelas
passam longe de quem canta.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to