Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Milton S. Souza (Poemas Avulsos)


AMADA AMIGA

Se, por ventura, eu fosse (sim!!!) teu namorado,
eu pegaria, docemente, em tua mão
e te diria, neste dia consagrado,
palavras lindas, brotadas do coração.

E falaria de mil sonhos, de paixão,
com meu olhar no teu olhar entrelaçado.
E te diria que és a única razão
para que eu viva sempre mais apaixonado.

Mas nada disso a vida permite que eu diga,
só posso, mesmo, te chamar de “minha amiga”
e, quando muito, tentar te fazer feliz.

Com este sonho guardado no pensamento,
uma certeza amplia mais o meu tormento:
eu sei que entendes tudo o que o meu olhar diz.

CHEGA DE ERRAR

Agora é o fim: não quero mais. Chega de dor.
Não tenho mais nem pranto para derramar.
Amor assim, brigas sem fim, é falso amor:
alguém precisa ter coragem de mudar!!!

A gente briga, a gente volta e, sem notar,
mata conceitos e perde o próprio valor.
Este perdão, que estamos prontos para dar,
é um passaporte para a briga posterior.

Somos adultos em quase todos assuntos,
mas quando temos que assumir os riscos juntos,
nos transformamos em assustadas crianças.

Chega de errar. Vamos parar e, com cuidado,
rever os rumos deste amor tão complicado
enquanto ainda temos sonhos e esperanças.

DIA DO AMIGO

Uma amizade verdadeira é raridade
que poucas vezes encontramos nesta vida:
alguém que aplauda o instante de felicidade
e esteja junto, repartindo a hora sofrida.

Que troque afeto pela esperança perdida,
que seja luz, quando rarear a claridade,
que seja apoio, quando não tiver saída,
e aponte os rumos, se sentir necessidade.

Muito obrigado pela luz do teu sorriso,
por ser presença no momento mais preciso,
por este abraço que amplia a fraternidade.

Muito obrigado pela paz que tu me deixas,
pela paciência ao escutar as minhas queixas,
muito obrigado por me dar tua amizade…

LUZ NA ESCURIDÃO
Caminhar lento, tateando pela calçada,
faz a bengala ser a luz na escuridão.
Ouvido atento: som é mensagem cifrada,
calcula o espaço em cada passo pelo chão.

A cada instante, bate forte o coração
pela incerteza que pode surgir do nada.
Algumas vezes, sente a força de uma mão
que muda o rumo da indecisa caminhada.

Olhar sem vida, noite eterna na retina,
ele usa os sonhos... e com eles ilumina
os horizontes onde busca os seus totais.

Nada reclama, porém mostra, do seu jeito,
que o mundo deve um pouquinho mais de respeito
para com todos deficientes visuais.

MORRI DE SAUDADES...
Morri de saudades... - Toda a culpa é tua:
tua ausência encheu de trevas meus espaços.
Definhei tristonho...  namorando a lua,
coração sangrando... perdendo os pedaços.

Morri de saudades... Longe dos teus braços...
chorando baixinho... sentindo a alma nua...
tentei, muitas vezes, seguir os teus passos
com meus pensamentos: não te achei na rua.

Morri de saudades... mas minha esperança
continua viva, teima e não se cansa
de olhar o horizonte, sempre a te esperar.

E ela me garante que, ao te ver chegando,
eu que, mesmo morto, sigo assim chorando,
vou sorrir de novo, vou ressuscitar…

NOSSA ESTRELINHA

Uma estrelinha se apagou bem lentamente,
deixando um rastro de tristeza em seu lugar.
Esta estrelinha tinha um brilho diferente:
deixava um pouco de magia em cada olhar

Era tão meigo o seu jeito de cintilar,
que na sua luz ninguém ficava indiferente:
Não deveria parar cedo de brilhar
quem neste mundo foi presença reluzente.

Ela era linda, mas sua luz tão fraquinha
foi se apagando, até fazer nossa estrelinha
sumir no espaço, colorindo as amplidões.

Antes porém de viajar para o infinito,
deixou sementes do seu brilho mais bonito
nas nossas vidas e nos nossos corações.

SEM DEPOIS

Não sei porque...nem quero tentar explicar
esta loucura que tem sabor de pecado.
Só sei que eu não consigo mais me controlar:
preciso estar o tempo inteiro do teu lado.

Sei muito bem que estamos no caminho errado,
que nesta estrada não vamos poder voltar,
que este presente, sem futuro e sem passado,
traz consequências: pode nos fazer chorar.

Mas é impossível sufocar esta vontade
de saborear os frutos da felicidade
que brotam fartos dos momentos de nós dois...

Nestes mergulhos nos prazeres proibidos,
um só desejo domina os nossos sentidos:
que o tempo pare neste agora sem depois.

SEM GRAÇA
Morrer é a única certeza desta vida,
mas tantos vivem loucamente, sem pensar
que, sem aviso, vai chegar a despedida,
que esta hora triste ninguém consegue evitar.

Tempo e saúde: não devemos esbanjar
pois, se nos faltam, não encontramos saída.
O tempo é louco, corre sempre sem parar,
saúde é ouro, não se gasta sem medida.

A vida ensina, mas não adianta a experiência:
nunca sabemos enfrentar aquela ausência
de quem conosco foi presença muito amada.

A morte sempre marca forte o nosso rosto:
ela não passa de piada de mau gosto
que faz chorar por ser contada na hora errada.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to