Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A. A. de Assis (Lançamento da Revista Virtual Trovia n.131– novembro de 2010)

Trovas do Paraná que estão na Revista
São de cristal ou de barro
nossas vaidades... tão só.
Um baque, um tombo, um esbarro,
e tudo reduz-se a pó...
A. de Assis
Herdou floresta do avô,
“um matuto sem visão”.
E o legado que deixou:
um deserto em erosão!
Eliana Palma
Sobrepujando conflitos
em que o mundo se compraz,
seus braços, ninhos benditos,
são meu refúgio de paz!
Jeanette De Cnop
E’ troca de amor fecundo
a toda mãe concedida:
ela põe vida no mundo,
nela o mundo põe mais vida.
Lucília Decarli
Meu amor da mocidade
foi efêmera ilusão;
dele só resta a saudade,
nas cinzas de uma paixão.
Maurício Friedrich
Viajei pelo mundo inteiro
e nunca mais pude achar
o que no instante primeiro
encontrei em seu olhar.
Olga Agulhon
Tinha coreto na praça,
e ela era alegre e florida...
Quem hoje por ela passa
perde a bolsa... ou perde a vida!
Osvaldo Reis
A Terra, no seu início,
foi palácio verde em flor.
Agora ela é um precipício
de enchentes e dissabor.
Otavio Leite Goetten
Causa-me dupla aflição
ver meu amigo fumar...
Sem respeitar seu pulmão,
o que mais vai respeitar?
Roza de Oliveira
Lembranças, todos nós temos...
mas só vale a pena ter,
quando algo que já vivemos
valeu a pena viver!
Vanda Fagundes Queiroz
O que sei da faculdade,
das viagens e coisas mais
não representa a metade
do que aprendi com meus pais.
Vânia Ennes
A semente adormecida,
a sonhar com benfeitor,
pede terra umedecida
para ser a planta e a flor!
Vidal Idony Stockler
Além destas,

Trovadores Inesquecíveis e suas trovas
Adauto Gondin
Armando Pereira
Américo Falcão
Bastos Tigre
Geraldo Guimarães
Hélio Nogueira
J. G. de Araújo Jorge
José A. Costa
Josué Tabira da Silva
Lindouro Gomes
Orlando Brito
Raul Serrano3
Serafim França
Tobias Barreto

Trovadores do Brasil:
CEARÁ
Francisco Pessoa

ESPIRITO SANTOHumberto Del Maestro

MINAS GERAISConceição Abritta
Conceição de Assis
Eduardo A. O. Toledo
Olympio Coutinho
Thereza Costa Val
Wanda Mourthé

RIO DE JANEIROAgostinho Rodrigues
Edmar Japiassú Maia
Evando Marinho Salim
Evandro Sarmento
Gilvan Carneiro
Jota José
Ma. Madalena Ferreira
Maria Nascimento
Marilu Moreira
Renato Alves
Roberto Acruche

RIO GRANDE DO NORTEAdemar Macedo
Djalma da Mota
Eva Yanni Garcia
Joamir Medeiros
José Lucas de Barros

RIO GRANDE DO SULCarmen Pio
Flávio Stefani
Lisete Johnson
Marisa Vieira Olivaes

SANTA CATARINAAri Santos de Campos
Gislaine Canales

SÃO PAULOAngélica Villela Santos
Carolina Ramos
Darly O. Barros
Divenei Boseli
Ercy Marques de Faria
José Ouverney
Mª Thereza Cavalheiro
Marina Bruna
Mifori
Nilton Manoel
sué de Vargas Ferreira
Selma Patti Spinelli
Sérgio Ferreira da Silva
Terezinha Brisolla
Thalma Tavares

Baixe a Revista em seu computador AQUI

-------------

Fonte:
Colaboração de A. A. de Assis com a Revista Trovia n.131 – novembro de 2010.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to