Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

domingo, 12 de julho de 2015

I Concurso Nacional de Trovas de Itapema/SC (Trovas Vencedoras)




Nacional
Veteranos
Tema: Maré
1º. Lugar
Venci marés violentas,
ondas e mares sem fim...
Só não venci as tormentas
que existem dentro de mim!
Prof. Garcia
Caicó/RN
2º. Lugar
Viver é desafiar
as marés enfurecidas
que teimam em afundar
o barco das nossas vidas...
Ercy Maria Marques de Faria
Bauru/SP
3º. Lugar
Sem contar com teu carinho,
na praia, em pleno verão,
a maré vem de mansinho
molhar minha solidão...
Antonio Colavite Filho
Santos/SP
4º. Lugar
Sem um porto verdadeiro
onde ancorar os meus pés,
meu coração jangadeiro
vive ao sabor das marés!
Arlindo Tadeu Hagen
Juiz de Fora/MG
5º. Lugar
Em fantasias, singrando
nas marés onde navego,
meu barco tem o comando
dos sonhos a que me entrego!
Edmar Japiassu Maia
Nova Friburgo/RJ
6º. Lugar
Na vida, contra a maré
eu remo e jamais afundo
pois quem tem força e tem fé
transpõe marolas do mundo.
José Henrique da Costa
Magé/RJ
7º. Lugar
O mar, quando vê desfeita
a fúria da maré cheia,
na praia, exausto, se deita
e se abraça com a areia.
Sandro Pereira Rebel
Niteroi/RJ
8º. Lugar
Quando, à noite, a maré cresce,
e o plenilúnio incendeia,
o oceano se incandesce,
prateado: - É lua cheia!
Fabiano de Cristo Magalhães Wanderley
Natal/RN
9º. Lugar
Nas praias do desencanto
onde a saudade passeia,
a maré se eleva tanto
que joga os sonhos na areia!
Eduardo A. O. Toledo
Pouso Alegre/MG
10º. Lugar
Sob os raios do luar,
as ondas ficam de pé,
querendo a lua alcançar
no refluxo da maré.
Sônia Maria Sobreira da Silva
Rio de Janeiro/RJ
11º. Lugar
A maré, tão impulsiva,
esbanjando inquietude,
parece a locomotiva
do viço da juventude.
Heder Rubens Silveira e Souza
Natal/RN
12º. Lugar
Com a fronte sempre erguida
e robusto em minha fé,
vou singrando o mar da vida
alheio a qualquer maré!
José Antonio de Freitas
Pitangui/MG
13º. Lugar
Pela maré empurradas,
as ondas, quais corredeiras,
parecem saias bordadas
pelas mulheres rendeiras.
Sonia Maria Sobreira da Silva
Rio de Janeiro/RJ
14º. Lugar
A minha vida, hoje em dia,
do que foi nada mais é
que uma jangada vazia,
indiferente à maré.
Maria Madalena Ferreira
Magé/RJ
15º. Lugar
Um garotinho, na areia,
tantos castelos constrói,
sem saber que a maré cheia,
logo que chega... os destrói!...
Carolina Ramos
Santos/SP
Nacional
Novos Trovadores
Tema: Maré
1º. Lugar
Tanto lixo a maré deixa
na rede do pescador,
que o mar bravio se queixa
num triste grito de dor.
José Feldman
Maringá/PR
2º. Lugar
Singrando o mar desta vida,
mesmo ao sabor da maré,
nenhuma rota é perdida,
se eu não perco o amor e a fé.
Aluízio Alberto da Cruz Quintão
Belo Horizonte/MG
3º. Lugar
Eu comparo o meu passado
à maré, na lua cheia:
- Derruba um sonho encantado
e o meu castelo de areia!
Eulinda Barreto Fernandes
Bauru/SP
4º. Lugar
O meu coração errante
é oceano de emoções...
vive em compasso inconstante
na maré... das ilusões.
Luzia Brisolla Fuim
São Paulo/SP
5º. Lugar
A maré que me levou
para tão longe do lar
também cedo me ensinou
que viver é navegar.
Edweine Loureiro da Silva
Saitama/Japão
6º. Lugar
Maré alta, o mar se enfesta;
sobe a lua, explode em prata;
faz-se a noite toda em festa,
e a beleza me arrebata!
Lilia Maria Machado Souza
Curitiba/PR
7º. Lugar
Neste mar de desenganos,
levado pela maré,
em tantos sonhos insanos,
minha força é sempre a fé.
José Feldman
Maringá/PR
8º. Lugar
Maré - que balé gostoso
das dançarinas do mar...
sobem o aclive rochoso
e descem a descansar.
Adamo Pasquarelli
São José dos Campos/SP
9º. Lugar
No mar azul dos teus olhos,
vai meu barco navegando,
bem distante dos abrolhos,
onde a maré vem chegando.
José Roberto Canôas
Barretos/SP
10º. Lugar
Sumiu minha nova trova
rabiscada em plena areia
debaixo de outra mais nova
que chegou na maré cheia.
Carlos Henrique da Silva Alves
Senhor do Bonfim/BA
Estadual
Tema: onda
1º. Lugar
Que a onda leve a tristeza
e me devolva a esperança,
fortalecendo a certeza
de que me espera a bonança
Jean Carlos Sophiatti
Brusque/SC
2º. Lugar
Quando me deito a seu lado,
as ondas dos seus cabelos
são como ninhos trançados
com finíssimos novelos.
Jean Carlos Sophiatti
Brusque/SC
3º. Lugar
Qual boca sensual, a onda
beija as areias da praia.
Ao final de cada ronda
volta ao seu leito... e desmaia.
Maria Luiza Walendowsky
Brusque/SC
4º. Lugar
A onda beija os rochedos,
deixando neles gravados
velhos sonhos e segredos
jamais ao mar revelados.
Patricia I. F. Sophiatti
Brusque/SC
5º. Lugar
Tal qual indomável onda
que ameaça as cercanias,
terrível perigo ronda
a criança em nossos dias!
Maria Luiza Walendowsky
Brusque/SC
6º. Lugar
Aquelas ondas serenas
largadas de um mar azul
vão banhar belas morenas
nas praias “quentes” do sul.
Ari Santos de Campos
Itajaí/SC
7º. Lugar
Uma garça passeava
naquela praia pequena
e a onda ali cirandava
na branca areia serena.
Maria Carmen Varejão
Balneário Camboriú/SC
8º. Lugar
No balanço do meu barco,
que vai subindo e descendo,
na onda como em um marco
deixo o que está remoendo.
Patricia I. F. Sophiatti
Brusque/SC
9º. Lugar
O mar molhando os meus pés,
suave balanço da onda;
provocantes cafunés
nas belas noites de ronda.
Arthur Gabriel Silveira
Brusque/SC
10º. Lugar
Pororoca, grande onda,
mexe e remexe os barquinhos,
e no barranco ela estronda
assustando os ribeirinhos.
José Carlos Cercal
Brusque/SC

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to