Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 30 de junho de 2016

A. A. de Assis (Revista Virtual de Trovas "Trovia" - n. 193 - julho de 2016)






Um barco à margem de um rio,
abandonado, sem remos...
lembrando todo o vazio
de um sonho que não vivemos...
Colombina
 *
Nesta casa, que é só minha,
onde eu mesmo sou a lei,
obedeço a uma rainha,
muito embora eu seja o rei...
Ernâni Rushel
 *
Saudade de tal maneira
esta noite me abraçou,
que eu ontem dormi solteira,
mas hoje... não sei se sou...
Jesy Barbosa
 *
Ora é brando, ora é demais:
assim o amor da mulher:
– Ela o gradua à vontade,
nunca como a gente quer...
Jorge Beltrão
 *
Perfumadas e mimosas,
num majestoso buquê,
envio-lhe eu onze rosas:
completa a dúzia você!...
José Bandeira
Deixa a criança correr
descalça pelos caminhos!
Ela precisa aprender
a pisar sobre os espinhos...
José Maria M. de Araújo
 *
Meu amor foi-se acabando...
mas a saudade chegou:
– chuva boa refrescando
o chão que o sol causticou.
Lilinha Fernandes
 *
Às vezes, o mar bravio
dá-nos lição engenhosa:
afunda um grande navio,
deixa boiar uma rosa.
Luiz Otávio
Quando a palavra não pode
traduzir a dor da gente,
então a lágrima acode
e diz tudo quanto sente...
Luiz Rabelo
Nosso amor só necessita
de alguns metros de coragem,
porque a fronteira limita,
mas não impede a passagem.
Tita Liporage
 *



Diz a cabra, dando leite
ao cabrito, o quanto pode:
– Mame, meu filho, aproveite,
enquanto não vira bode!...
Barreto Coutinho
 *
Se usa traje curto e justo,
por que então, ao se sentar,
ela tenta, a todo custo,
cobrir o que quer mostrar?...
Benny Silva
 *
Quando eu imaginaria,
naqueles tempos de outrora,
que um dia ainda veria
tanta perna como agora?...
Fontoura Costa
 *
Se não caso, sou um tolo,
pois de casar bem preciso...
Mas, no caso, é meu consolo
ser um tolo de juízo!
José Coelho de Babo
 *
Em carros sou exigente.
Conversível? – E’ aceitável...
Desde que traga – é evidente –
no volante um... conversável!.
Magdalena Léa
 *
Santa insônia – assim se chama –
não é tão santa, vos digo:
sempre que vou para a cama,
ela vem deitar comigo!
Miguel Russowsky
 *
Eu, trabalhar desse jeito,
com a força que Deus me deu,
pra sustentar um sujeito
vagabundo que nem eu?...
Orlando Brito
 *
Quando vinhas caminhando,
disse alguém com grande humor:
– Eis um pecado passando,
em busca de um pecador!
Paulo Emílio Pinto



Sonho um mundo sem violência,
onde um dia poderei
ver que a humana convivência
nem precisa mais de lei.
A. A. de Assis – PR
 *
Chocolate é ingrediente
de precioso sabor,
que entra na boca da gente
igual a beijo de amor!...
Alberto Paco – PR
 *
Sem fazer-me de rogada,
só persiste uma verdade:
a trova em mim fez pousada,
trazendo a felicidade.
Andréa Motta – PR
 *
Na velha casa vazia,
onde entrei, com ansiedade,
só o silêncio respondia
ao chamado da saudade...
Angelica Villela Santos – SP
 *
Na escuridão em que sigo,
no meu passo caracol,
aquele que vai comigo
é meu imenso farol.
Antonio Cabral Filho – RJ
 *
Se houver alguém precisando
de que você faça um bem,
não se importe com o “quando”,
nem o “como”, nem “a quem”.
Antonio Colavite Filho – SP
 *
Nenhuma trova bem feita
é feita sem lapidar.
Mas, para tê-la perfeita,
tem muito que meditar.
Ari Santos de Campos – SC
 *
Lavrador, ao fim do dia,
após a lida no chão,
sua enxada rodopia
celebrando a produção!
Arlene Lima – PR
 *
Mãos tristes, temendo ausências,
se despedem com revolta...
– Nosso adeus tem reticências
que acenam gritando: – Volta!
Carolina Ramos – SP
 *
No contorno do teu rosto
– flor em forma de buquê –
vejo que tenho bom gosto
de ser louco por você
Clênio Borges – RS
 *



Ainda bem que tenho os meios
de não ficar tão sozinha:
desenho e bordo, abro e-mails,
faço versos na cozinha...
Clevane Pessoa – MG
 *
Disse-lhe adeus e mais nada;
seu desgosto foi profundo;
seu peito foi a morada
das dores todas do mundo.
Conceição de Assis – MG
 *
O homem foi feito perfeito,
à semelhança de Deus;
às vezes, fico sem jeito
de não ser igual aos meus.
Cônego Telles – PR
 *
Quem leva a vida no amor,
dos sonhos nunca se cansa,
que o mundo só perde a cor
quando se perde a esperança.
Dáguima Verônica – MG
 *
No meu mundo de magia,
tudo é possível e, assim,
eu vivo na fantasia
o que a vida nega a mim!
Delcy Canalles – RS
 *
Na casa de quem escreve
há sempre papel no chão:
não perde tempo quem deve
segurar a inspiração!
Diamantino Ferreira – RJ
 *
Corta-se a mata nativa,
fica o campo a céu aberto...
É a força bruta nociva
na construção do deserto.
Djalma da Mota – RN
 *
Nesta vida rotineira,
tua saudade em minha alma
é cantiga de goteira
em noite de chuva calma!
Domitilla Borges Beltrame – SP
 *
Trem-de-ferro, o teu apito
lembra-me um sino plangente:
tanta mágoa no teu grito,
tanta saudade na gente!
Dorothy Jansson  Moretti – SP
 *
Arando a terra, meu pai
ensina-me enquanto canta
que uma semente que cai
é esperança que se planta!
Edweine Loureiro da Silva – Japão
 *
Quantas bênçãos recebidas
quando se caminha aos pares:
um ideal, duas vidas,
dois corações similares.
Eliana Jimenez – SC
 *
Ouça o riso da criança,
a chuva, o vento em mil tons:
– música pedindo dança...
Deus falando nos seus sons!
Eliana Palma – PR
 *
Minhas mãos... venho trazê-las,
até parecem vazias,
mas são repletas de estrelas
que eu colho todos os dias...
Elisabeth Souza Cruz – RJ
 *
O espelho, em alguns instantes,
parece que ri... mas chora,
procurando traços de “antes”
na realidade de “agora”...
Ercy Marques de Faria – SP
 *
Este orgulho que carregas,
insano, dentro do peito,
foge, tão logo te entregas
de corpo e alma em meu leito.
Ester Figueiredo – RJ
 *
Minha idade vem rolando
como as pedras no caminho.
Pedra a pedra vou juntando,
edificando o meu ninho.
Eulinda Barreto – SP

 *

Um aceno na partida

faz parar o coração.

O amor passa pela vida,

o aceno marca a emoção.

Evandro Sarmento – RJ
 *
Os teus braços... uma ponte...
Teus olhos... uma canção...
Os teus lábios... uma fonte...
E eu já tenho a inspiração!
Flávio Stefani – RS
 *



Quando a tarde veste o manto,
torna escura a luz do dia.
Saudade dói outro tanto,
do tanto que já doía.
Francisco Garcia – RN
 *
Pedi perdão ao Senhor
por minhas horas vazias,
pelas horas sem amor,
e Ele as encheu de alegrias!
Gislaine Canales – SC
Acordei (tinhas partido)
e me deixaste na estrada:
um pobre arbusto perdido
sem luz, sem pranto, sem nada...
Janske Schlenker – PR
 *
Na clausura da existência,
das prisões que nos impomos,
um devaneio é a essência
do que pensamos que somos.
J. B. Xavier – SP
 *
Entre alegrias e dores
vou indo, como Deus quer,
vivendo muitos amores
como avó, mãe e mulher!
Jeanette De Cnop – PR
 *
Quero um relógio, querida,
cujo mágico processo
atrase a tua partida
e abrevie o teu regresso.
João Costa – RJ
 *
Dê vida ao seu dia a dia,
dedicando-se ao labor.
Trabalho gera alegria,
quando é feito com amor!
Jorge Fregadolli – PR
 *
Perdi, do ouvido direito,
completamente a audição.
Daí me veio o defeito
de ouvir mais o coração...
José Fabiano – MG
Singrei muitos horizontes
em busca do último porto;
bebendo de muitas fontes,
só em você achei conforto.
José Feldman – PR
 *
A vida de quem não sonha
e vive sem ter um bem
lembra uma rua tristonha,
onde não passa ninguém...
José Messias Braz – MG
A luz da noite ilumina
o olhar da menina aflita,
que fita a luz da vitrina
e fantasia o que fita!
José Ouverney – SP
 *
Chego a perder a esperança,
vendo ao relento, a dormir,
uma sofrida criança
sem lar, sem paz, sem porvir!
José Valdez – SP
Com ternura tu me olhaste
e com ternura te olhei...
Nunca mais tu me deixaste,
nunca mais eu te deixei!
Lucília Decarli – PR
A paz que tanto almejei,
em sonhos que não têm fim,
estava onde não busquei:
– perdida dentro de mim!
Luiz Antônio Cardoso – SP
 *
Se não me dás teu carinho,
se não me queres amar,
sou barco triste e sozinho,
que já não quer navegar.
Luiz Carlos Abritta – MG
 *
Seja gentil, cumprimente,
converse, abrace, sorria!
Gentileza está presente
num viver em sintonia.
Mifori
Vou cumprir a minha sina:
– Não pode ter recaída...
Pois teu sorriso elimina
as mazelas desta vida!
Maria Luiza Walendowsky – SC
 *
 

Tão moreno, tão esguio,
tão gostoso de pegar...
que as águas todas do rio
querem teu corpo banhar...
Maria Thereza Cavalheiro – SP
 *
Já não tenho o que falar,
já não choro, já não rio,
já não tenho o seu olhar...
Colho a saudade e o vazio.
Mário Zamataro – PR
 *
Saibam todos que o trabalho
ao homem bom enobrece;
mas quem não pega no malho,
seu espírito empobrece!
Maurício Friedrich – PR
 *
A vida é feita de escolhas:
os acertos festejamos...
O duro é virar as folhas
nas tantas vezes que erramos...
Milton Souza – RS
*
Contemple os campos dourados
que ao bom lavrador deleita:
ontem, bons grãos semeados;
hoje, o prazer da colheita.
Nilsa Alves de Melo – PR
 *
Sonhando de trova em trova
pela estrada da poesia,
minha vida se renova
no correr de cada dia.
Nilton Manoel – SP
 *
O amor, bem como a neblina,
sempre nos turva a visão:
vem do nada e, como sina,
deixa inquieto o coração.
Olga Agulhon – PR
Carícia mais eloquente
que meu coração aprova
é te dar um beijo ardente
nos versos da minha trova!
Renato Alves – RJ
Somente o amor verdadeiro
é por Deus abençoado;
e por não ser passageiro
é tão sublime e sagrado!
Roberto Acruche – RJ
 *
Ante o terror das queimadas
na floresta, com carinho,
as árvores abraçadas
tentam proteger os ninhos.
Ruth Farah – RJ
 *
Não quero chão e nem teto!
Faço da nuvem, morada!
Quem viveu um grande afeto
não precisa de mais nada!
Selma Patti Spinelli – SP
 *
Tudo pode acontecer
no encontro de duas almas.
Tua afeição dá prazer
e sei que só tu me acalmas.
Talita Batista – RJ
 *
Das bofetadas que a vida
me deu sem muita piedade,
tu foste a mais dolorida
e a que mais deixou saudade.
Thalma Tavares – SP
 *
A vida, má roteirista,
dá-me um papel, não me ensaia
e, se eu tento ser artista,
nega-me o aplauso e me vaia.
Therezinha Brisolla – SP
 *
Meu tempo tornou-se esparso...
Por mais que eu tente retê-lo,
nem com tintura eu disfarço
as cinzas do meu cabelo.
Vanda Alves da Silva – PR
 *
Antes que nada mais sobre,
deixa-me ser, por favor,
ao menos a rima pobre
num dos teus versos de amor!
Vanda Fagundes Queiroz – PR
 *
Tendo um bom livro na mão,
viajo o mundo... crio asa.
Mando embora a solidão...
sem sair da minha casa!
Vânia Ennes – PR
 *
Não prometo, em nossa história,
meu amor por toda a vida,
porque a vida é transitória,
e meu amor, sem medida!...
Wanda Mourthé – MG

* * * * * * * * * * * * * * * 
Visite:



Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to