Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

XVIII Jogos Florais de Curitiba 2015 (Âmbito Estadual)

Categoria Novo Trovador
Tema: Gralha Azul
1o lugar
Paulo Roberto Walbach
Curitiba
Gralha azul, que tanto canta
– puro encanto lá na mata —
voa, vai, protege e planta,
que teu canto é uma cantata.
–––––––––––––––––––
2o lugar
Luiza Nelma Fillus
Irati
Paraná, sempre altaneiro,
deve à frágil gralha azul
a plantação do pinheiro,
nas lindas terras do sul.
–––––––––––––––––––
3o lugar
José Feldman
Maringá
A Gralha Azul, quando voa,
espalhando o seu pinhão,
com a semente abençoa
cada canto deste chão.
–––––––––––––––––––
4° lugar
Madalena Ferrante Pizatto
Curitiba
Uma Gralha Azul, no céu,
fertiliza a natureza,
gira, galga e voa ao léu,
cheia de graça e beleza.
–––––––––––––––––––
5o lugar
Lilia Souza
Curitiba
A gralha azul, tão contente,
voeja, aqui, acolá.
Pinhão no bico é semente,
é fruto do Paraná.
–––––––––––––––––––
6o lugar
Lucas Ramos Faria
São Mateus do Sul
Que visão vê-la tão bela
gralha azul é majestosa.
Faz do céu a passarela
e desfila esplendorosa.
–––––––––––––––––––
7° lugar
Álvaro Rocha
Curitiba
Faz falta no céu do sul
o que antes era comum:
– os gritos da gralha azul
nas manhãs de cada um...
–––––––––––––––––––
8o lugar
Mamed Zauíth
Curitiba
A Gralha Azul, diligente,
majestosa, sem igual,
leva distante a semente,
semeando o pinheiral.
–––––––––––––––––––
9° lugar
Paulo Roberto Walbach
Curitiba
Deus fez o mundo perfeito,
o pinheiro, deu ao sul
e, sobre ele, com respeito,
colocou a gralha azul.
–––––––––––––––––––
10o lugar
Osires Haddad
Curitiba
Sendo a forte benfazeja,
cumpro a tarefa do bem;
sou gralha azul que festeja
a vida que se mantém!
–––––––––––––––––––
11o lugar
José Feldman
Maringá
Gralha Azul, qual fazendeiro
semeando o seu pinhão,
faz nascer mais um pinheiro,
construindo esta nação!
–––––––––––––––––––
12o lugar
André Ricardo Rogério
Maringá
Ó, que bonito escarcéu...
Gralha Azul... Panapaná...
A certeza está no céu:
– Deus mora no Paraná!
–––––––––––––––––––
13o lugar
Paulo Roberto Moreira Gomes
Curitiba
A gralha enterra o pinhão,
no seu jeito de plantar:
– Ave de bom coração,
o seu lema é preservar!
–––––––––––––––––––
14o lugar
Karla Cristina Bitencourt
Curitiba
Na imensidão desta terra,
repleta de anseios tersos
bela, a gralha azul enterra
na pinha os seus nobres versos.
–––––––––––––––––––
15o lugar
Karla Cristiane Bitencourt
Curitiba
A gralha azul mui potente,
com o seu topete afiado,
curva-se a Deus não somente
por amar o nosso Estado.
–––––––––––––––––––
16° lugar
Hulda Ramos
Maringá
Enterra o pinhão no orvalho,
faz seu ninho nos pinheiros.
Gralha Azul faz seu trabalho
de plantar talhões inteiros.
–––––––––––––––––––
Categoria Veterano
Tema Gralha Azul
1o lugar
Pedro Melo
Curitiba
Gralha azul, não esmoreces...
Quantas sementes espalhas!
- E a araucária, mãos em preces,
bendiz o quanto trabalhas...
–––––––––––––––––––
2° lugar
Antônio Augusto de Assis
Maringá
A gralha azul nos encanta
pelo exemplo que nos dá:
– a cada pinhão que planta
faz mais verde o Paraná.
–––––––––––––––––––
3o lugar
Janske Schlenker
Curitiba
Realidade que dói
e constatação que espanta:
– enquanto o homem destrói,
vem a gralha azul… e planta!
–––––––––––––––––––
4o lugar
Pedro Melo
Curitiba
Gralha azul... tens tal encanto,
que o céu, em manhãs serenas,
parece apagar-se, um tanto,
e colorir tuas penas...
–––––––––––––––––––
5o lugar
Maria Aparecida Pires
Curitiba
A motosserra se encaixa
no cerne bom, cobiçado,
e a gralha azul cabisbaixa
pousa no galho tombado!
–––––––––––––––––––
6o lugar
Lucília Decarli
Bandeirantes
Disseminando o pinheiro,
laboriosa, a gralha azul,
no cenário brasileiro
encanta os campos do Sul.
–––––––––––––––––––
7o lugar
Maria Helena O. Costa
Ponta Grossa
Exaltemos, sim, a gralha
- a nossa operária azul -
que, com negro bico, espalha
verdes pinhais pelo sul!
–––––––––––––––––––
8o lugar
Dari Pereira
Maringá
Num verde que pouco existe,
dizia o meu velho pai:
- A gralha azul canta triste,
quando um bom pinheiro caí.
–––––––––––––––––––
9o lugar
Antônio Augusto de Assis
Maringá
Traz a gralha o azul que acalma,
a cor que do céu nos vem;
o mesmo azul que há na alma
dos trovadores do bem!
–––––––––––––––––––
10° lugar
Maurício Fernandes Leonardo
Ibiporã
A gralha azul, com destreza,
enterra o pinhão, contente.
Preservando a natureza
e todo o meio ambiente.
–––––––––––––––––––
11o lugar
Lucília Decarli
Bandeirantes
Na serra, o solo até treme...
Tombado ao chão o pinheiro,
ante a gralha azul, que geme,
por perder um companheiro...
–––––––––––––––––––
12o lugar
Maria Aparecida Pires
Curitiba
Bem longe do seu recinto,
perdida, uma gralha azul
usou o mapa do instinto
para voar rumo ao Sul!
–––––––––––––––––––
13o lugar
Maria Helena O. Costa
Ponta Grossa
Ave azul, a nossa gralha
(que faz do bico um condão...)
em revoadas espalha
mais pinheiros neste chão!
–––––––––––––––––––
14o lugar
Istela Marina Gotelipe Lima
Bandeirantes
A Gralha Azul, laboriosa,
cumpre uma bela missão:
– plantar, em terra preciosa,
nosso gostoso pinhão!
–––––––––––––––––––
15° lugar
Sônia Maria D. Martelo
Ponta Grossa
Gralha Azul com seu pinhão
torna o solo bem mais rico
ao fazer a plantação
do gérmen que traz no bico!...
–––––––––––––––––––
16o lugar
Wandira Fagundes Queiroz
Curitiba
Sozinhas, ou mesmo em bando,
beleza maior não há,
gralhas azuis replantando
pinheiros no Paraná.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to