Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 30 de março de 2013

A. A. de Assis (Revista Virtual de Trovas “Trovia” n. 160 – Abril de 2013)


A mais triste solidão
que os seres humanos têm
é abrir o seu coração...
olhar e não ver ninguém!
Ademar Macedo – RN

Eu creio em Deus, com profundo
sentido de lucidez...
Mas, no Deus que fez o mundo,
não no Deus que o mundo fez!
Alfredo de Castro – MG

Não é quando vais embora
que tenho ciúmes assim.
É quando estás como agora,
pensativo, junto a mim...
Carolina de Castro

O livro, a cerveja ao lado,
o rádio, o abajur antigo...
Eu deixo tudo arrumado,
fingindo que estás comigo.
Maria Tereza Noronha

Foi por falta de carinho
que errei e perdi meus passos,
mas bendigo o “mau caminho”
que me levou aos teus braços...
Nádia Huguenin

Por aparências não deve
ninguém tirar conclusões:
conheço seios de neve
tendo o calor dos vulcões...
Oscar Batista

 

O velho tudo trocava
(de namorada, também).
– Como vassoura – explicava –,
a nova é que varre bem!
Adélia Woellner – PR

– Quando saiu… a maninha
foi com “mãinha” ou foi só?
– Sei não! Mas voltou “mãinha”,
quando chegou do forró!
Jaime Pina da Silveira – SP

Ao fazeres repreensão,
não te esqueças do lembrete:
melhor que "passar sabão"
será  "passar sabonete"...
José Fabiano – MG

O terapeuta sugere:
– “Apimente” a relação!
Mas a mulher interfere:
– “Tô” fora!... Pimenta, não!
Lucília Decarli – PR

Quem quer agradar a dois
e em cima do muro fica
perde o primeiro, e depois
o segundo... e se trumbica.
Osvaldo Reis – PR

Tem três fases na gaveta
da vida de um velho pai:
a de rei, a de careta,
e a de bom, quando ele vai.
Raymundo Salles Brasil – BA

Moderninha como quê,
vovó diz no "facebook":
– Quero entrar no BBB!...
Vou dar "upgrade" em meu "look"!
Renato Alves – RJ

 
Que tristeza ouvir um santo,
um sábio, um poeta, um rei,
ao peso do desencanto,
dizer ao mundo: – Cansei!
A. A. de Assis – PR

Costumo dizer que a trova
é diminuta poesia,
mas que sempre põe à prova
a nossa sabedoria.
Agostinho Rodrigues – RJ

O meu humilde barquinho
à praia eu fiz aportar.
Vim procurar o carinho
que teimas em me negar.
Alberto Paco – PR

Que a verdade não se cale
ou que sempre nos lembremos
de que nossa vida vale
pelos amigos que temos!
Aluízio Quintão – MG

Meu amor, botão ainda,
desabrochou na alvorada,
e agora é uma rosa linda,
mas de saudade orvalhada...
Amaryllis Schloenbach – SP

Enquanto o tempo ameaça
com seus bloqueios constantes,
o amor entorna uma taça
no banquete dos amantes.
Antonio Cabral Filho – RJ

Vou sem rumo, de partida,
nas águas do meu sonhar;
– a jangada é minha vida,
vou remando além do mar.
Ari Santos de Campos – SC

A praia é sempre pisada,
mas nos dá grande lição,
pois, mesmo sendo humilhada,
massageia o coração.
Arlene Lima – PR

A minha roça eu troquei
pelas luzes da cidade.
Nesse dia eu comecei
meu plantio de saudade!
Arlindo Tadeu Hagen – MG

Quando a saudade me embala,
o teu nome a repetir,
o silêncio tanto fala,
que não me deixa dormir!
Carolina Ramos – SP

Por timidez, dei as costas
ao amor que eu sempre quis...
– E a vida deu-me as respostas
às perguntas que eu não fiz!...
Clenir Neves – Austrália

No meu giro de lembranças,
as pequenas coisas tecem
doce teia de esperanças,
e as saudades se amortecem...
Clevane Pessoa – MG

Entre o sonho e a realidade,
vendo o meu filho eu pensei:
eis a mais bela verdade
de tudo quanto sonhei.
Conceição de Assis – MG

El mundo gira hechizado,
baila samba su tesoro
de Brasil su enamorado,
!No lo cambia ni por oro!
Cristina Oliveira (Colibrí) – USA

Cem vezes tu repetiste
que me amavas loucamente...
Cem vezes tu me mentiste
e cem vezes eu fui crente!
Delcy Canalles – RS

Lua, que vagas, serena,
na amplidão do azul celeste,
traz consolo à minha pena,
leva a dor que me trouxeste!
Diamantino Ferreira – RJ

A minha grande alvorada
será eterna... eu suponho:
– Se um sonho não der em nada
eu troco por outro sonho!
Dilva Moraes – RJ
 Quero ser sempre a criança
com desejo de estudar,
curiosa e na esperança
de nunca me completar...
Dinair Leite – PR

A vovó não tem memória:
perde os óculos... na testa!
Mas jamais esquece a história
da varanda... e uma seresta!...
Domitilla B. Beltrame – SP


Sou livre, sem restrição,
mas afinal, para quê?
Mil vezes a escravidão...
mas juntinho de você.
Dorothy J. Moretti – SP

Já tive família e nome,
posição...luxo também,
mas de mim fiz um pronome
indefinido: ninguém!
Élbea Priscila – SP

Urge o tempo, faz-se escasso,
e, ao sofrer na despedida,
o nosso amor, sem espaço,
mostra a vida não vivida.
Eliana Jimenez – SC

Carícias íntimas, belas,
minha maior emoção
foram chutes nas costelas:
meus bebês em gestação!
Eliana Palma – PR

Eu não me prendo à verdade
e à razão sempre me imponho,
porque toda a realidade
antes de tudo foi sonho!
Elisabeth Souza Cruz – RJ

Este silêncio, tão mudo,
que o nosso olhar escondia,
nos fez sentir quase tudo
de tudo o que eu já sentia!
Eva Yanni Garcia – RN

Na ausência que não nos poupa,
saudade é formiga arisca
que fica dentro da roupa
e volta e meia belisca.
Flávio Stefani - RS


Minha renúncia...Quem sabe...
não seja a chave secreta,
de tudo quanto só cabe
na inspiração de um poeta!
Francisco Garcia – RN

Saudade é o tempo guardado
dentro do peito da gente...
Nó que se dá, no passado,
e se desfaz no presente.
Francisco Pessoa – CE

Meia-noite e eu te espero...
É grande a minha ansiedade.
Vem, amor! Vem que eu te quero;
és minha felicidade!
Gislaine Canales – SC
 

Na resposta, que não veio,
certeza e desilusão;
você não quis que o correio
fosse cúmplice de um não!
Istela Marina – PR

Precisa o mundo, imperfeito,
saber o quanto é capaz
a ausência de preconceito
de ser prenúncio de paz.
Jeanette De Cnop – PR

Com meus sonhos mais singelos,
embalados na esperança,
venho erguendo meus castelos
desde os tempos de criança.
Jessé Nascimento – RJ
 

O tempo passa, não para,
mas meu amor por você
é como o canto da Iara:
um coração… à mercê.
José Feldman – PR

A preguiça dos ponteiros
de meu velho carrilhão
mostra os minutos ronceiros
das noites de solidão!
José Lucas de Barros – RN
 

Sonhei um sonho tão triste!...
Sonhei que o mundo acabou...
– Logo depois, tu partiste,
e o sonho se confirmou...
José Ouverney – SP
 

Em cada nota eu receio,
na pauta que a vida escreve,
que transformem nosso enleio
numa simples semibreve.
Luiz Carlos Abritta – MG

Trovadores... luz... ribalta!
No cenário: a poesia.
Trova nasce... verso salta...
na maior coreografia.
Mª das Graças Stinglin – PR

Em tua ausência, a esperança
põe seus véus na realidade,
mas quem vive de lembrança
morre aos poucos... de saudade!
Maria Lúcia Daloce – PR
 

Para escrever os sentidos,
companheiros de ilusão,
não servem versos contidos:
tem que abrir o coração.
Mário Zamataro – PR

Um romântico poeta
tem seu dia, sim senhor,
e por ser do amor esteta,
com certeza é um trovador!
Maurício Friedrich – PR

Lá fora nada me importa,
e esqueço da vida ingrata,
quando você fecha a porta...
e tira o nó da gravata!
Neide Rocha Portugal – PR
 

Xeroquei a sua imagem
e guardei na minha mente;
sempre na minha abordagem
é você que está presente.
Neiva Fernandes – RJ

Coragem: medo vencido...
Fé em Deus, em nós, na lida.
Nunca nada está perdido
se há amor em nossa vida.
Olga Agulhon – PR

Tua imagem refletida
no espelho do nosso quarto
mostra a saudade sentida
que só contigo reparto.
Olga Ferreira – RS
 

Entre esperas e procuras,
encontros e despedidas,
somadas, nossas loucuras
dão mais vida a nossas vidas!
Rodolpho Abbud – RJ
 

Um coração congelado
pega fogo de repente,
quando o amor, fósforo alado,
risca faíscas na gente!
Roza de Oliveira – PR

Quem dera se a vida fosse
mais simples de ser vivida:
nem todo regresso é doce,
nem sempre é amarga a partida...
Selma Patti Spinelli – SP

Nas noites frias, um drama
que a miséria perpetua:
alguns chamarem de cama
o que outros chamam de... rua !
Sérgio Ferreira da Silva – SP

Tira-me o sono um passado
não distante do presente:
– Eu tomei o “bonde errado”
do teu sorriso inocente.
Thalma Tavares – SP

Somos dois... mas  somos um!
Temos tanta afinidade
que, entre nós, tudo é comum,
até  mesmo a identidade...
Thereza Costa Val – MG
 

O peso do tempo é brando,
se carrego este preceito:
Ao poente vou chegando,
mas tenho auroras no peito.
Vanda Queiroz – PR
 

Reconheço que a razão
me exerce extremo fascínio,
mas, se acerta o coração...
perco o rumo e o raciocínio!
Vânia Ennes – PR

Partiu... nem disse o motivo,
e eu, da saudade à mercê,
estou viva, mas não vivo,
pois não vivo sem você.
Wanda Mourthé – MG
 

Felicidade é a rota
do sábio... Que vai além!...
O que possui não se esgota,
mesmo entregando o que tem!
Wagner M. Lopes – MG

O tempo passou... e agora...
já é mais que entardecer,
mas tua presença é aurora
na noite do meu viver.
Zeni de Barros Lana – MG

Fonte:
A. A. de Assis

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to