Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

sábado, 29 de setembro de 2012

A. A. de Assis (Revista Virtual de Trovas “Trovia” – n. 154 – out 2012)




Quando o tempo em seu abraço
quebra meu corpo e tem pena,
quanto mais me despedaço
mais fico inteira e serena.
Cecília Meirelles

A primavera aos oitenta
só não está mais vazia
porque a saudade a sustenta
e é seu pão de cada dia.
Miguel Russowsky

Esperança, não me peças
que acredite em tuas juras...
 Já me cansei de promessas
e me perdi nas procuras.
 Milton Nunes Loureiro

No amor que a nós dois encanta
e, para alguns, é até “crime”,
há tanta ternura, tanta,
que mesmo errado... é sublime!...
Nádia Huguenin

Poeta, gêmeo do santo,
sofre muito e não blasfema;
faz dos gemidos um canto,
faz da saudade um poema.
Pe. Celso de Carvalho

Zerando ofensas e afrontas, 
o beijo é o mago auditor
que faz o ajuste de contas
depois das brigas de amor!
Waldir Neves

Deu-se mal em sua empresa
de pedir a mão da bela.
Era a ponte pra riqueza,
não conseguiu nem pinguela...
Alba Krishna Topan Feldman – PR

A noiva, por ironia,
na mala só vai levar
a camisola-do-dia,
que à noite... nem vai usar...
Izo Goldman – SP

– Aqui fala o cobrador.
Pague a conta. Não questione.
– Houve engano, meu senhor.
Eu nem tenho telefone!
Newton Vieira – MG

Viúvo, triste, franzino,
numa fria ele enfiou-se:
por pirraça do destino,
pela sogra apaixonou-se!...
Osvaldo Reis – PR

A cinquentona emergente
se acha culta e esclarecida:
Esforçada... persistente...
já leu um livro... na vida!
Pedro Mello – SP

Mil livros já devorei,
mas neles não achei graça: 
até hoje eu nada sei...
-– Muito prazer! Sou a traça!
Renato Alves – RJ

Toda noite sai “na marra”,
 dizendo à mulher: -”Não torra!”
 Se na rua vai à farra,
 em casa ela vai à forra!…
 Rodolpho Abbud – RJ

É sapateiro e faz “rangos”,
sem grana, não tem recatos...
– Corre aqui, quando assa frangos...
Corre lá, quando há sapatos!
Therezinha Brisolla – SP


Neste planeta avarento,
onde o “ter” é o ditador,
que triste é ver o cimento
roubar o espaço da flor!
A. A. de Assis – PR

De sua ausência estou farto;
por toda casa ela habita...
é na varanda e no quarto
onde ela mais me visita!...
Ademar Macedo – RN

Em qualquer hora do dia
se pode amar de verdade.
São momentos de alegria,
que depois deixam saudade!
Alberto Paco – PR

Um loiro raio de sol
trouxe paz à minha vida...
Sou planta que, no arrebol,
hoje esplende renascida!
Amaryllis Schloenbach – SP

Tão certo quanto a laranja
é toda feita de gomos,
amigo bom sempre arranja
como elevar o que somos.
Amilton Maciel – SP

Meia noite... ou meio dia?
O meu relógio quebrei.
E, na minha nostalgia,
se é dia ou noite...não sei...
Angélica Villela Santos – SP

Quando você está presente,
 de imediato a vida muda...
– Você é linda, é doce, é ardente,
minha amada, minha tuda...
Bruno Pedina Torres – RJ

Quando afago teus cabelos,
como o vento afaga a flor,
tenho a esperança de vê-los,
brancos, seguidos de amor.
Carmen Pio – RS

Por te amar, tenho sofrido,
mas não me arrependo: Vem!
Quem ama as rosas, querido,
ama os espinhos também!
Carolina Ramos – SP

O vento sopra tristonho,
na solidão que me invade...
– Transforma brisa de sonho
em vendavais de saudade...
Clenir Neves – Austrália

Nosso anel só de ternura,
elo de eterno esplendor,
guarda em firmeza e espessura
toda a beleza do amor.
Conceição Abritta – MG

Se já viveste bastante,
se já sofreste também,
por certo já vai distante
o peso que a vida tem!
Cyroba Ritzman – PR

Ponha luz no seu caminho,
pinte a estrada de alegria,
deixe um rastro de carinho,
faça um mundo de poesia!
Dáguima Verônica – MG

Meia-noite, e só o que eu faço
é abraçar a solidão,
sentindo inveja do abraço
que os dois ponteiros se dão...
Darly O. Barros – SP

Beijo nas faces, carícias
– como tantas, inocentes;
mas abraços são primícias
dos desejos mais ardentes!
Diamantino Ferreira – RJ

Eu não ouço os teus conselhos
mas, quando fala a razão,
 meus pecados, de joelhos,
 imploram por teu perdão...
Dilva Moraes – RJ

Adotando os bons conselhos
das faculdades morais,
os filhos serão espelhos
da retidão de seus pais.
Djalma da Mota – RN

Vendo a descrença ao meu lado
e a esperança por um triz,
eu chego a achar que é pecado
crer na vida e ser feliz!
Domitilla B. Beltrame – SP

A mão que vai e que vem,
lenta e triste, num aceno,
pertence ao braço de alguém
que ama e perde, mas sereno.
Eliana Palma – PR

Cheiro de terra molhada
é convite à nostalgia
de minha infância encantada
onde morava a alegria.
Eliana Jimenez – SC

Pouco importa que tu venhas
apressado, em teu fulgor,
 pois trazes contigo as senhas
para os feitiços do amor!
 Elisabeth Souza Cruz – RJ
––––––––––––––––
Por estar na solidão, / tu de mim não tenhas dó. / Com
trovas no coração, / eu nunca me sinto só. Luiz Otávio
__________________________
Aquele sonho, tão lindo,
entre nós dois, na verdade,
era um mistério sorrindo
entre o amor e a saudade!
Eva Garcia – RN

A aurora, rubra, se espraia,
e, amanhecendo, deslumbra;
joga o seu charme na praia,
com requintes de penumbra...
Flávio Stefani – RS

Cadeira velha... esquecida,
sem dono e sem mais ninguém...
Só a saudade atrevida
reclama a ausência de alguém!
Francisco Garcia – RN

Saudade é o tempo guardado
dentro do peito da gente...
Nó que se dá, no passado,
e se desfaz no presente.
Francisco Pessoa – CE

Somente o mar é capaz,
numa beleza sem fim,
de encher minha alma de paz,
e essa paz transborda em mim!
Gislaine Canales – SC

Qual um pastor diligente
cuidando do seu rebanho,
pastoreio no presente
minhas saudades de antanho!
Gutenberg Andrade – CE

O forte nó da saudade
amarra o tempo num laço,
e aprisiona a mocidade
nas trovas de amor que eu faço.
Héron Patrício – SP

Debruçado na janela, 
vendo a vida que passou,
 fez o pintor aquarela
das lágrimas que chorou.
 Ieda Lima – RN

Eu pedi felicidades,
pedi alegrias e amor,
pedi grandes amizades,
e Deus me fez Trovador
JB Xavier – SP

O amor é o que mais importa
nos caros anseios meus:
é ponte que nos transporta
a um doce encontro com Deus.
Jeanette De Cnop – PR

Ah, relógio, meu amigo,
teus ponteiros, como correm!
O tempo voa contigo
e com ele os sonhos morrem...
Jessé Nascimento – RJ
––––––––––––––––-
A Folhinha do Sagrado Coração de Jesus e o Almanaque Santo Antônio 
(Editora Vozes), 2013, trazem um grande número de trovas. Confiram
–––––––––––––––––––––
Os meus versos se calaram,
à saudade sucumbi,
minhas lágrimas secaram
de tanto chorar por ti...
João Costa – RJ

Tanta gente em si perdida 
entre sombras se escondendo, 
cada dia é uma outra vida 
que em disfarces vai morrendo… 
José Feldman – PR

A inspiração não me veio
trazer um verso feliz,
mas em teus olhos eu leio
a trova que não te fiz.
José Lucas de Barros – RN

No inverno longo e silente
que atinge a terceira idade
há um fenômeno envolvente:
não cai neve... cai saudade.
José Messias Braz – MG

Em meus delírios te vejo
surgindo na escuridão,
toda vez que o vento andejo
bate a tranca do portão...
José Ouverney – SP

Os espíritos de escol,
exercendo a caridade,
brilham tanto como o sol,
no silêncio da humildade.
Luiz Antonio Cardoso – SP

Se caem do céu as águas,
com tanta beleza e encanto,
por que desencanto e mágoas
há nas águas do meu pranto?
Mª Conceição Fagundes – PR
––––––––––––––––––
A trova não precisa ser apenas uma quadra bonitinha. 
Pode também (e deve) dizer coisas que façam pensar.
–––––––––––––––––––
Procuro em cada jornal
– num devaneio profundo –
notícia que, afinal, 
anuncie a Paz ao Mundo!
Mª Madalena Ferreira – RJ

Sou como as uvas pisadas
pra fazer vinho e licor,
que mesmo sendo esmagadas
dão de presente o sabor.
Manoel Cavalcante – RN

Em toda esquina virada
há uma surpresa escondida;
 cada surpresa encontrada 
pavimenta essa avenida!
Mário Zamataro – PR

Saibam todos que o trabalho
ao homem bom enobrece;
mas quem não pega no malho,
seu espírito empobrece!
Maurício Friedrich – PR

Amigo eu trago guardado
 sempre com muita afeição
 naquele lugar sagrado
 que se chama coração.
Neiva Fernandes – RJ

Casa velha, quanto encanto!
 tem cobras, cupins, lagartos...
 uma história em cada canto
e fantasmas pelos quartos.
Nilton Manoel – SP

De nada vale uma imagem
de Cristo em sua parede,
se você nem tem coragem
de dar água a quem tem sede.
Olga Agulhon – PR

Ante o terror das queimadas
na floresta, com carinho,
 as árvores abraçadas
tentam proteger os ninhos.
Ruth Farah – RJ

No embalo da serenata,
 quisera ser como a lua
vestindo com tons de prata
os homens tristes da rua!
 Selma Spinelli – SP

Paraná das águas tantas,
do roxo e dourado chão,
o teu verde forma as mantas
ditosas de vinho e pão!
Sinclair Casemiro – PR

Findou a paixão intensa,
o prazer deu-se ao cansaço...
E, entre nós, a indiferença
construiu o seu espaço.
Thereza Costa Val – MG

Doce palavra vibrante,
lapidada na emoção,
é a trova um raro brilhante,
moldado na nossa mão.
Vanda Alves da Silva – PR

Lembranças de amor desfeito...
silêncio em horas tardias,
pois tua ausência em meu leito
dorme onde outrora dormias.
Wanda Mourthé – MG

Também gosto do palhaço,
mas não pela palhaçada,
e sim pelo estardalhaço
que gera na criançada.
Vidal Idony Stockler – PR

================================
Visite:
http://poesiaemtrovas.blogspot.com/   
http//www.falandodetrova.com.br/   
http://aadeassis.blogspot.com/

Fonte:
A. A. de Assis

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to